quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Tancos : Uma vergonha

Francisco Seixas da Costa

«Tancos é uma vergonha. Começa por sê-lo para as Forças Armadas, cujas chefias não foram capazes de assumir as suas responsabilidades. A hierarquia de turno não soube tomar a decisão óbvia - demitir-se –, face a uma flagrante incompetência de gestão, não percebendo que assim colocou em causa a honra e o prestígio, nos planos interno e externo, das nossas Forças Armadas. Estas já provaram que são bem mais capazes do que a imagem que esta sua chefia conjuntural agora projetou. A coreografia disciplinar evidenciada após a revelação do assalto já tinha mostrado uma aliança entre o pior corporativismo e a inépcia, perante a gargalhada e o sorriso amarelo de um país que tem a sua “tropa” em bem melhor conta. O que depois se veio a saber sobre as moscambilhas da Polícia Judiciária Militar excede tudo quanto, de ridículo, se supunha plausível. Ora se as chefias militares não estavam, como era evidente, à altura da situação, o poder político teria feito melhor em tê-las “ajudado”, a tempo e horas, afastando quantos, ao menos por omissão, se revelaram abaixo dos mínimos exigíveis. O poder político - presidente e governo - deveriam ter sabido medir melhor a fronteira que existe entre o “tratar com pinças” os militares, atitude que faz parte da nossa cultura de gestão política no quadro do compromisso constitucional, e o custo público de uma longa e penosa hesitação, que acabou por ter o preço de um ministro da Defesa e que agora coloca o comandante-supremo numa escusada atitude defensiva.»

Faço minhas as palavras de Francisco Seixas da Costa

Sem comentários: