segunda-feira, 21 de maio de 2018

Notas do meu diário – O Futebol

Com as histórias do Sporting a dominarem todo o panorama noticioso de todos os quadrantes, fico perplexo com este mundo português que dá a entender que nada mais há para além do futebol. Quase tudo foi relegado para os sacos negros do esquecimento ou para planos secundaríssimos. Problemas sociais, económicos, da justiça, da cultura, de gente que sofre e que luta pela sobrevivência, desemprego, ensino, saúde e tantas outras questões deixaram de ter voz e vez. É pena. 
Entretanto, li este texto de Miguel Poiares Maduro, que anexo, para refletirmos: 

Como o jogo mais bonito ficou tão feio 

“a violência é apenas a manifestação mais extrema de uma doença profunda que ocupa o “corpo” do futebol há bastante tempo. Os sintomas têm-se multiplicado. Campeonatos do mundo atribuídos através de votos comprados; jogos viciados através da compra de jogadores ou árbitros; doping organizado e, nalguns casos, promovido por Estados; evasão fiscal; lavagem de dinheiro; e até funcionários judiciais corrompidos por agentes desportivos. Estes são alguns exemplos de processos judiciais que envolvem atualmente o futebol. Dos EUA à França, passando por Portugal, organismos de investigação criminal e magistrados têm tornado público uma pequena parcela do lado sujo daquele que durante tantos anos pensámos ser o jogo mais bonito. Mas a expressão criminal é apenas o estado mais avançado da doença ética e moral que domina a cultura do futebol”. 

Sem comentários: