quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Universidade do Minho concede “honoris causa” ao “maior teólogo” português


Li no  7MARGENS 
em texto de António Marujo


«“O maior teólogo” da Igreja e uma “voz grande da cultura”, justifica Moisés Lemos Martins. Um reconhecimento de um itinerário centrado numa “teologia da periferia”, como diz frei Bento. Ou um nome “marcante na produção teológica em Portugal” e “um dos pilares da sociedade portuguesa”, como dizia há poucos meses, sobre Bento Domingues, o agora arcebispo Tolentino Mendonça.»

Congratulo-me com esta distinção atribuída a Frei Bento Domingues pela Universidade do Minho, lamentado que o seu contributo em prol de uma Igreja mais reflexiva e mais aberta ao mundo não tenha sido reconhecido há mais tempo. 
Admiro a sua frontalidade e o seu saber, há bastante tempo. Daí o interesse com que publico, semana a semana, as suas crónicas no meu blogue, editadas pelo PÚBLICO,  onde não faltam apreciadores. 

Ler escrito de António Marujo aqui

NOTA: Numa rápida procura no meu Pela Positiva, encontrei textos de Bento Domingues desde dezembro de 2004, mês e ano em que me iniciei no ciberespaço.  

Sem comentários:



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...