sexta-feira, 19 de julho de 2019

Teresa Machado é uma referência para todos nós

Homenagem a Teresa Machado 
na cerimónia da atribuição da bandeira 'Eco-Freguesia'

Presidente da Junta entrega uma lembrança à Teresa
"O Coração Motivado e a Mente Determinada Fizeram-te Campeã. Obrigado Teresa!"

Teresa Machado,  Rosa Mota e Carlos Rocha

Rosa Mota e Teresa
Teresa com o filho e Rosa Mota 
“Insatisfeita, sempre na busca do melhor que é possível ao ser humano”, a Teresa Machado “foi um marco na nossa infância e continua hoje a ser uma referência para todos nós”, afirmou o presidente da Junta de Freguesia da Gafanha da Nazaré, Carlos Rocha, na homenagem que lhe foi prestada, no passado sábado, 13 de julho, integrada na cerimónia que assinalou a atribuição da bandeira 'Eco-Freguesia', pela Associação Bandeira Azul Europa à nossa terra. 
O autarca frisou que a reconhecia atleta reúne qualidades que a alcandoraram a níveis altíssimos nas inúmeras competições em que participou, em Portugal e no Estrangeiro, em provas nacionais, europeias e mundiais, marcadas pela simplicidade e humildade. “Nunca quis ser o que não era” e normalmente “soube ouvir o que tinham para lhe dizer”. 
A Teresa, frisa Carlos Rocha, viveu e vive com a consciência das suas capacidades físicas e anímicas: “Onde se mete é para fazer bem e ser”; e “quando os outros desistem, ela teima e vai”, mas “vai a todas”; “sempre na busca do melhor que é possível”, mostrou à saciedade “o espírito de sacrifício e de resiliência”, disse. 
Júlio Cirino, seu treinador praticamente desde os primeiros degraus da escada que Teresa Machado haveria de subir com coragem e determinação, associou-se à homenagem, em missiva que lhe dirigiu dos Açores, onde reside presentemente, traçando, com riqueza de pormenores, o percurso da atleta de que todos os gafanhões, e não só, se orgulham. 
“Nos teus anos de maior fulgor, as adversárias com quem medias forças eram preparadas pelos melhores treinadores da Europa de Leste (que utilizavam nos treinos aparelhagem altamente sofisticada) e eram apoiadas por médicos mundialmente reconhecidos, biomecânicos experientes, exímios fisioterapeutas e psicólogos de renome. E tu? Treinavas na Lota da Gafanha!”, sublinhou o seu treinador, Júlio Cirino, que, queremos frisar, muitos desses treinadores ele próprio superou ao lado da Teresa, dando-lhe dos seus conhecimentos e do apoio anímico de que ela precisava nos momentos da concentração e nas horas decisivas. 
Júlio Cirino evoca os progressos conseguidos em crescendo nos exigentes campeonatos, nacionais, europeus e mundiais, mas ainda em quatro Jogos Olímpicos (Barcelona, Atlanta, Sydney e Atenas), nas áreas do Disco e Peso, em que competiu. Garantido está que foi grande entre os mais conceituados atletas do planeta, depois de treinos e estágios em quadrantes variados. “Quem nos devia ajudar, não o fez. Por isso, quase todos os dias tínhamos de lutar contra alguém ou contra alguma coisa”, salientou. E adiantou: “A tua brilhante carreira, de 24 anos, na qual tive o privilégio de trabalhar todos os dias contigo, à chuva, sob um calor abrasador, ao frio, com as rajadas de vento que na Lota da Gafanha temos com fartura, nunca te desviaram um milímetro que fosse do rumo traçado, treinando de dia e estudando à noite.” 
Presente na cerimónia a também famosa campeã Rosa Mota, convidada de honra, tendo dados ambas os seus testemunhos relacionados com a atribuição da bandeira “Eco-Freguesia” à nossa terra, graças às campanhas e trabalhos desenvolvidos pela Junta de Freguesia nessa área, garantidamente com a envolvência em tantas instituições da Gafanha da Nazaré. 
O testemunho dos nossos ídolos são de enorme importância para a juventude, mas ainda para o povo mais maduro; todos veem neles a capacidade de entrega e a generosidade de se apaixonarem por causas, como foi o caso da Teresa Machado e da Rosa Mota. 

Fernando Martins

Sem comentários:



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...