RECEITA PARA SE SER FELIZ

Crónica de Anselmo Borges no DN

O que é que verdadeiramente queremos? Não há dúvida: ser felizes. Quanto a saber em que consiste a felicidade já não haverá unanimidade. Aristóteles escreveu: "Todos estão praticamente de acordo quanto ao bem supremo: é a felicidade. Mas quanto à natureza da felicidade já não nos entendemos." Julgo, porém, poder dizer-se que ela tem a ver com uma vida boa, realizada, de tal modo que daí resulta o contentamento da vida e com a vida.
E, claro, sempre se foram apresentando conselhos, receitas para alcançá-la. Agora, foi o Papa Francisco, em entrevista ao diário Clarín, de Buenos Aires. O jornalista Pablo Calvo: "Queria perguntar-lhe a si que, para lá de Papa, é químico: qual é a fórmula da felicidade?"


E Francisco, depois de rir com vontade, foi dando sabiamente dez conselhos: 1) "Vive e deixa viver. Anda para diante e deixa que as pessoas andem também. Este é o primeiro passo da paz e da felicidade." 2) Dar-se aos outros. "Se alguém estagna, corre o risco de ser egoísta." 3) Mover-se com respeito, sem agitação. "A capacidade de mover-se com benevolência e humildade, o remanso da vida. Os velhos têm essa sabedoria, são a memória do seu povo, que, se não cuida dos seus velhos, não tem futuro." 4) Brincar com os filhos. "O consumismo leva-nos a essa ansiedade de perder a cultura sadia do ócio, ler, fruir a arte." E "brincar com os filhos é uma questão-chave, é uma cultura sã. É difícil, pois os pais vão trabalhar cedo e voltam por vezes quando os filhos já estão a dormir; é difícil, mas é preciso fazê-lo." 5) Partilhar os domingos com a família. Que o domingo seja dia de descanso, "é para a família." 6) Ajudar os jovens a conseguir emprego. "É preciso ser criativo com esta faixa etária". 7) "É preciso cuidar da Natureza e não estamos a fazê-lo. É um dos desafios maiores que temos." 8) Esquecer o negativo. "A necessidade de falar mal do outro é sinal de baixa auto-estima, isto é, sinto-me tão em baixo que, em vez de subir, rebaixo o outro. Esquecer rapidamente o negativo é saudável." 9) Respeitar quem pensa de modo diferente. Do pior que pode haver é "o proselitismo religioso, que paralisa: "Eu dialogo contigo para convencer-te" não é bom. A Igreja cresce por atracção, não por proselitismo." 10) Procurar activamente a paz. "Estamos a viver numa época de muita guerra. A guerra destrói. E é preciso gritar o clamor pela paz. A paz por vezes dá a ideia de quietude, mas nunca é quietude, é sempre uma paz activa."

O receituário papal para a felicidade tem muitas coincidências com o do filósofo R. D. Precht no seu best-seller Wer bin ich und wenn ja, wie viele? 1. Actividade. Para lá do ter e do ser, é preciso agir, sem agitação. 2. A amizade, a família, são saudáveis, pois quem tem uma rede densa de relações não enfrenta sozinho a dureza da vida. 3. É preciso aprender a fruir o aqui e agora nos prazeres simples. 4. Ter expectativas realistas, sem exigir demais nem de menos de si mesmo. 5. Pensamentos positivos: "procede como se fosses feliz, e sê--lo-ás". 6. Aprender a arte de lidar com as dificuldades e o sofrimento: há crises salutares. 7. "O trabalho é a melhor das terapias."

Agora, digo eu. Também faz parte ser gratuitamente generoso com alguém. Passear à beira-mar, ouvir o silêncio da noite e a paz do brilho das estrelas. Não esquecer o horizonte do infinito: "O nosso coração está inquieto enquanto não repousar em Ti", dizia Santo Agostinho a Deus.

Comentários