À memória do diácono José Luís Macedo da Silva



Após uns breves instantes de reflexão sobre a notícia chegada, logo me veio o convite amável da parábola dos trabalhadores do campo a quem o dono da propriedade havia confiado a missão. “Servo bom e fiel… Entra na alegria do teu Senhor”.
De facto assim é. O tempo da labuta e da dor terminou. Foi vivido com paciente espera e grande sofrimento nos últimos anos. O Luís exerceu uma notável diaconia: a do progressivo despojamento e a da entrega confiante na misericórdia do Senhor Jesus. Este longo período veio coroar uma vida de dedicação e serviço. Período em que a esposa nos deu também testemunho admirável.
Muitos de nós o acompanhámos com solicitude. Com ele fomos caminhando na esperança e vendo como a fase dolorosa da vida nos ajuda a burilar as asperezas da cruz sempre prontas a afirmarem-se. Com ele, podemos agora louvar o Senhor da missão e pedir-lhe que interceda pela nossa Igreja Diocesana, especialmente pelas vocações ao ministério ordenado. Com ele, vamos acompanhando a Esposa Graça e sua família, pois a fase do luto real provoca, frequentemente, choques emocionais profundos.
Em comunhão de sentimentos e de esperança teologal, fico unido a todos e a cada um.

Aveiro, 19 de Julho de 2017

P. Georgino Rocha

NOTA: A Eucaristia exequial realizar-se-á amanhã, quinta-feira, 20 de julho, às 17h00, na Igreja de Salgueiro, e será presidida pelo nosso bispo,  D. António Moiteiro.

Comentários