Dia Nacional do Mar celebrado em Ílhavo

Amaya Sumpsi Langreo com Fernando Caçoilo

Prémio Octávio Lixa Filgueiras
 para Amaya Sumpsi Langreo

O Museu Marítimo de Ílhavo (MMI) assinalou o Dia Nacional do Mar no passado dia 15 de novembro, com diversas atividades, de que destacamos uma visita especial e restrita aos bastidores do Aquário de Bacalhaus e uma sessão de Histórias e Novelas Marítimas dinamizada por Miguel Horta.
Na sessão comemorativa do Dia Nacional do Mar, foi apresentado o número dois da Revista ARGOS do MMI, procedendo-se depois à divulgação dos vencedores da segunda edição do Prémio Octávio Lixa Filgueiras do Museu de Ílhavo. No final da tarde, os presentes foram brindados com uma Conversa de Mar, em que participaram Pedro Adão e Silva e João Catarino, autores do guia "Tanto Mar - À descoberta das melhores praias de Portugal”.
A revista ARGOS do MMI é dedicado à museologia marítima e à herança cultural que os museus desta temática  procuram preservar e transmitir. E neste número houve a intenção de editar um volume capaz de questionar os sentidos da museologia marítima que se pratica em diversos países e em museus que, pelo facto de serem marítimos, têm afinidades próprias de comunidades de gentes do mar.


Nessa perspetiva, a revista inclui vários artigos dedicados aos projetos de admiráveis museus marítimos da Europa, África e Ásia, bem como divulga reflexões partilhadas por investigadores e responsáveis por museus portugueses. Assim, a ARGOS assume o papel de agitar as águas mornas da museologia portuguesa, até hoje pouco sensível à realidade dos museus do mar.
O júri do Prémio Octávio Lixa Filgueiras do Museu Marítimo de Ílhavo distinguiu como vencedor o trabalho “Apanhados na Rede: Considerações das noções de progresso e modernidade na comunidade piscatória de Porto Formoso”, de Amaya Sumpsi Langreo, natural de Madrid, residente em Lisboa e docente na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril. Trata-se de uma tese de mestrado em Antropologia e Culturas Visuais pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, na qual a autora faz uma abordagem a partir de pesquisas de campo na comunidade de Porto Formoso, na Ilha de São Miguel, Açores.
Uma Menção Honrosa foi atribuída ao trabalho “A Futura Unidade Museológica Marítima de Sesimbra: Contributos para a sua programação e para as suas relações com unidades regionais afins”, da autoria de Adelina Gomes Domingues, antropóloga e responsável pela área de Investigação do Ecomuseu Municipal do Seixal.

Fernando Martins com Hugo Pequeno do MMI


Comentários