Papa sublinha necessidade de «acompanhar» e «não condenar» os casais separados ou divorciados


«Há que saber estar ao lado dessas pessoas, 
caminhar com elas na sua dor», 
realça Francisco




O Papa Francisco destacou hoje a importância de “acompanhar” e “não condenar” os casais separados ou divorciados.
“Quando um homem e uma mulher se unem num só corpo em matrimónio e o amor falha – e isso acontece tão frequentemente – há que saber estar ao lado dessas pessoas, caminhar com elas na sua dor”, sublinhou o Papa argentino, durante a eucaristia desta manhã na residência de Santa Marta.
Segundo o serviço informativo da Santa Sé, o Papa alertou para a tendência de “apontar o dedo” a quem não conseguiu manter o seu matrimónio e mesmo de fazer desta questão “um caso de estudo”.
“Por detrás da casuística há sempre uma armadilha. Sempre! Contra as pessoas, contra Deus, sempre!”, apontou.
Os problemas que afetam as famílias estiveram em cima da mesa, nos últimos dias no Vaticano, durante as reuniões preparatórias do Sínodo dos Bispos marcado para outubro e que será dedicado aos “desafios pastorais sobre a família no contexto da evangelização”.
Na sua homilia, o Papa destacou ainda a “beleza do casamento”, desse caminho conjunto de “amor” com que “Deus abençoou” a mulher e o homem, “obras-primas da sua Criação”.

JCP

Li na Ecclesia

Comentários