Capitais Imperiais — Praga

16 de Agosto 

Moldava em Praga (Foto do Google)

Praga e o seu rio Moldava

Ontem, 6.ª feira, o grupo da Vera-Cruz deu início à viagem para a sua digressão pelas capitais imperiais. 
Após as formalidades de embarque, no ambiente cosmopolita do aeroporto da Portela, entrámos na grande máquina da TAP e rumámos a Praga, aeroporto Ruzyne, onde chegámos às 19 horas locais, uma hora mais tarde que em Portugal. 
A História da República Checa começa em 1 de janeiro de 1993,  quando a Checoslováquia se dividiu, pacificamente, em dois países: a  República Checa e a Eslováquia. Praga é a capital e a maior cidade da República Checa, situada na margem do Vitava, conhecida como "cidade das cem cúpulas". É um dos mais belos e antigos centros urbanos da Europa, 
Fomos recebidos pela guia local, uma húngara chamada Verónica, que nos acompanhará durante toda a viagem e nos conduziu ao cais, para um passeio de barco, pelo rio Moldava, com jantar a bordo. 
É verdade que a beleza e singularidade de uma cidade dependem muito do rio que a atravessa. É esse rio que torna cada cidade única. O Moldava em Praga, o Danúbio, em Budapeste, o Sena, em Paris, o Tamisa, em Londres, o Tejo, em Lisboa, o Mondego em Coimbra... É impossível pensar em cada uma destas cidades, sem pensar no seu respectivo rio. O último referido, assoma-me muitas vezes à memória. Aquele amanhecer... dum S. João... inesquecível! 


O Moldava é o rio mais longo da República Checa, e podemos vê-lo em Praga. 
Corre, de sul para norte. Ao fundo, o complexo do Castelo, com os pináculos da catedral de S. Vito. Cruzam-no muitas pontes, sendo a Ponte Carlos IV o mais famoso marco de Praga que comunica com a Cidade Velha a Malá Strana. O nome vem do seu criador, Charles IV, que lançou a 1.ª pedra em 1357. Peter Parlér iniciou a sua construção nesse mesmo ano, sobre a antiga Ponte Judith do século XII, que foi destruída por uma inundação em 1342. A ponte de 516 metros  de comprimento e quase 10 metros de largura foi levantada sobre a base de 13 pilares. Atualmente, a ponte é totalmente pedonal. Celebrizou-se pela coleção de trinta esculturas, muitas das quais cópias, pois as originais estão no Museu Nacional de Praga e foram construídas nos finais do século XVII. São obra dos mais famosos escultores da época: Matías Braun, Jan Brokof e outros... 
O passeio noturno apenas nos fez criar o apetite, após a degustação da gastronomia local, para uma visita, amanhã, mais detalhada e com a panorâmica geral da cidade. 
Após o passeio, fomos conduzidos ao hotel, onde pernoitámos. 

M. ª Donzília Almeida 

Comentários

  1. Não deixes de visitar a Igreja do Menino Jesus de Praga!... Não pela sua sumptuosidade porque a acho um templo normal, mas pelo significado para os devotos desta rara imagem do Deus Menino.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário