Cultura do encontro

Temos de trabalhar pela cultura do encontro 
na família e sociedade 
e combater a indiferença, afirma papa


«À mesa, na família, quantas vezes se come a ver a televisão ou se escrevem mensagens no telemóvel. Cada qual é indiferente [ao] encontro. Inclusive precisamente no núcleo da sociedade, que é a família, não há encontro», frisou Francisco. «Se eu não vejo – não é suficiente olhar, não, ver –, se eu não me detenho, se eu não vejo, se eu não toco, se eu não falo, não posso fazer um encontro e não posso ajudar a fazer uma cultura do encontro.»

Ler mais aqui 

Comentários