Natal



Natal

Outro Natal.
Outra comprida noite
De consoada,
Fria,
Vazia,
Bonita só de ser imaginada.

Que fique dela, ao menos,
Mais um poema breve,
Recitado
Pela neve
A cair, ao de leve,
No telhado.

Miguel Torga

Diário, 
S. Martinho de Anta, 24 de dezembro de 1975

Comentários

  1. Tanta beleza............inscrita numa tão grande singeleza! Por isso te aprecio tanto, ó meu grande Miguel Torga! Sou tua fan!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário