Cortejo dos Reis — Festa de generosidade e alegria

Próximo domingo
8 de janeiro 

No cortejo não podia faltar a sagrada família com o Menino sorridente

Músicos e cantores, apesar da chuva

Nem as  crianças faltaram com tempo agreste


E a juventude também não faltou

No próximo dia 8 de janeiro, os gafanhões vão ter o privilégio de participar, novamente, no mais que centenário Cortejo dos Reis, manifestando a sua alegria pela caminhada que a todos conduz ao Menino Deus. E para essa alegria ser mais expressiva, ninguém recusará um presente, por mais simples que seja, na hora da adoração, que terá lugar na chegada à nossa igreja matriz, por entre cânticos de louvar e de ternura. É assim desde que a comunidade cristã da Gafanha da Nazaré se uniu para, em conjunto, todos os seus membros testemunharem, daquela maneira, a fé herdada dos seus e nossos antepassados.
O cortejo inicia-se no lugar de Remelha, mas a aparição do Anjo, que convida os presentes a porem-se a caminho para adorar o Menino, só acontecerá algum tempo depois, junto à Pastelaria Primavera. E a caminhada, ao som dos cânticos natalícios, recomeça, rumo à nossa igreja matriz.
Os participantes apresentam-se vestidos com trajes representativos de outras épocas e profissões, ora cantando ora pedindo a quem assiste um contributo para o Menino, e a todos anima a vontade de encher as sacas de moedas que a boa vontade dos gafanhões nunca recusará. Alguns, em grupos de quatro jovens ou adolescentes, seguram nas extremidades de uma colcha convidando quem está a olhar a tirar do bolso umas moedas que, multiplicadas por um bom número, dá uma boas notas.
Pelo caminho, há sítios estratégicos onde são representados outros autos de Natal, que culminam no palco principal, junto à igreja, para que todos ouçam o Rei Herodes que esconde as suas artimanhas, no diálogo com os Reis Magos, para mandar matar o Menino Deus, com medo que Ele lhe roube o trono. Os Reis Magos, astutos, trocaram-lhe as voltas e nunca mais apareceram para indicar a Herodes onde estava o anunciado Salvador do povo de Israel.
O momento culminante, desejado por todos os participantes, é a entrada na igreja. Portas fechadas, Reis Magos, pastores, cantoras à frente, tudo a postos, e a um sinal a porta é aberta e todos entram no templo, ao som das mais lindas melodias desta época. Mais um auto com os pastores e Magos a adorarem o Deus Menino e logo depois o nosso prior, Padre César, com o Menino acalentado nas suas mãos, oferece-O a quem quiser beijá-Lo.
Segue-se o leilão no salão Mãe do Redentor.
O rendimento do Cortejo dos Reis reverte para a requalificação que foi operada nos templos da paróquia.

Fernando Martins 

NOTA: As fotos são do meu arquivo

Comentários