Suicídio quotidiano

«A resignação é um suicídio quotidiano»
Honoré de Balzac
(1799-1850)

Comentários