Capitais Imperiais - Praga

Sábado 17 de Agosto

"A CIDADE DOURADA DAS 100 CÚPULAS"


Hoje, dedicámos o dia, a uma visita à cidade de Praga, capital do antigo reino da Boémia e uma das cidades mais belas da Europa, conhecida como a “A Cidade Dourada das 100 cúpulas”.
Os seus principais pontos de atração encontram-se do lado direito do rio Moldava, em especial, na chamada Cidade velha. Aqui se poderá admirar para além do castelo de Praga que apesar do seu nome não é um castelo no sentido comum da palavra, mas um conjunto de palácios, conventos e igrejas, que começaram a ser construídas a partir do séc IX; o Palácio Real antiga residência dos reis da Boémia e posteriormente residência imperial; o Mala Starna, o bairro da cidade pequena, conjunto histórico quase intacto com palácios, igrejas, casas e jardins barrocos e renascentistas. Aí se encontra a catedral de S. Nicolau, obra barroca do séc XVIII; a igreja do S. Tomás, construção de estilo gótico datada de 1285 que pertenceu, originalmente, aos Padres Agostinhos; a Igreja da Nª Sra do Loreto, construída à imagem da construída em Itália; a Ponte de Carlos, autêntico símbolo de Praga.


De entre as várias esculturas que a compõem, a mais popular corresponde a São João Nepomuceno. Trata-se da primeira estátua colocada na ponte em 1683, no ponto onde foi atirado ao rio, em 1393 sob as ordens de Venceslau IV. Foi canonizado no século XVIII. Diz a lenda que quem pedir um desejo, colocando a mão esquerda em representação do seu martírio, na base da estátua, ser-lhe-á concedido.
Os companheiros de viagem seguiram a tradição e também fizeram as suas preces. Que o santo tenha compaixão de nós e... o Pe Rocha seja o medianeiro entre as duas partes!
Com efeito, a ponte converteu-se num ponto-chave de reunião para a multidão de turistas que aqui se concentram, sítio para todo o tipo de artistas de rua que acorrem, precisamente, à procura do turista para venderem o seu trabalho: pintores, músicos, artesãos e, em geral, todo o tipo de vendedores. Tudo isto torna o ambiente muito pitoresco e cosmopolita.
A ponte une a Cidade Pequena, à Stare Mesto, Cidade Velha, o conjunto mais belo e atraente de Praga. O visitante fica rendido à beleza e diversidade arquitetónica da Cidade Velha de Praga. Esta apresenta uma amálgama de estilos de arquitetura, acontecendo que numa mesma rua pode haver uma igreja de estilo romano, uma torre gótica, uma casa renascentista, um palácio barroco, um banco Art Nouveau e uma galeria de comércio contemporânea.
Entre todas as suas praças e ruas destaca-se sobretudo o seu coração – a Praça da Cidade Velha, com a igreja de Nª Srª de Tyn e a Torre da Pólvora.
Gente aos magotes, turistas das mais diversas proveniências com destaque para Italianos, Japoneses, Portugueses, Russos, etc.
O calor estival a acentuar-se, nas artérias apinhadas de forasteiros. Artistas de rua a animar o cenário, quase fazem criar a ideia de um museu ao ar livre.
De tarde, após o almoço, visitámos o bairro Judeu da cidade, onde se pode conhecer a história das comunidades hebraicas na Boémia e Morávia e os costumes e tradições judaicas. Destaque para a Sinagoga Espanhola e o cemitério Judeu. No final, fizemos a visita à Igreja da Nª Srª da Vitória, construída em 1613, onde se encontra a famosa estátua de cera, do Menino Jesus de Praga, trazida de Espanha, em meados do séc XVI. Pude constatar, in loco, o que o meu imaginário havia criado acerca desta figura, mundialmente reconhecida e venerada.
É uma famosa estátua venerada em Praga. A igreja em Malá Strana, esconde um tesouro que é admirado por milhões de pessoas no planeta inteiro. Todos os dias, centenas de fiéis vêm venerar a encantadora estatuazinha do Menino Jesus de Praga, conhecido no mundo cristão como Bambino di Praga.
A estátua de cera, à qual são atribuídas poderes miraculosos, tem a sua origem na Espanha. A lenda conta que um certo monge, ao qual apareceu o Menino Jesus nesta forma, mandou produzi-la. O Menino Jesus chegou a Praga, graças à duquesa espanhola Maria Manrique de Lara, que veio casar na Boémia. A sua filha viúva doou a estátua ao mosteiro dos carmelitas descalços da Igreja da Virgem Maria Vitoriosa.
Este menino tem um guarda-roupa riquíssimo, com peças bordadas a fio de ouro e muda a indumentária conforme a época do ano.
Ao jantar, assistimos a um espetáculo de folclore local, em que a degustação do famoso strüdel, doce de maçã, foi animada pela juventude esfusiante dos bailarinos checos. Colorido, ritmo, animação, interação com os comensais, tudo isto aconteceu neste sábado quente de verão! Até uma turista madeirense se juntou ao grupo da Vera-Cruz, neste convívio de fim de tarde. O apelo da pátria lusitana, mesmo além fronteiras!

Mª Donzília Almeida

17.08.2013

Legenda da foto: Donzília na Igreja do Menino Jesus de Praga

- Posted using BlogPress from my iPad

Comentários

  1. Bravo Zi!
    Nada te escapa nessa cidade encantadora.
    Estou a seguir os teus comentários e as tuas degustações que, me recordam momentos inesquecíveis, por essa Europa fora.
    Bjos da amiga de sempre.
    :-)

    ResponderEliminar
  2. Ana! My dear FRIEND!
    This is really wonderful! Just as you have told me before...and much more than what I expected! I can really attest what Frank Sinatra told once:_"What a wonderful world!"
    Hugs, my dear FRIEND!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário