PRISÃO DE LUÍS GOMES DE CARVALHO

1823 – 5 de junho


«Por motivos de ordem política, a Câmara Municipal cometeu a iniquidade de prender e mandar sob custódia para o Porto o Engenheiro Luís Gomes de Carvalho, a quem Aveiro ficou a dever os mais assinalados serviços. Presidia então à Câmara o barão de Vila Pouca, Rodrigo de Sousa Teixeira da Silva Alcoforado, do partido absolutista, o qual nesta cidade possuía um vínculo importante, herdado de sua avó D. Maria José de Carvalho e Nápoles (Marques Gomes, Aveiro – Berço da Liberdade, pgs. 26 e 33 e ss.; Revista de Obras Públicas e Minas, Tomo II, Abril de 1875) – A.»

In "Calendário Histórico de Aveiro"
de António Christo e João Gonçalves Gaspar


Nota: Luís Gomes de Carvalho, genro do Eng. Oudinot, foi um dos principais obreiros da abertura da Barra de Aveiro, no local em que ainda se encontra. Depois de outras tentativas, levadas a cabo por outros tantos engenheiros, foi Luís Gomes de Carvalho quem, no dia 3 de abril de 1808, abriu a porta ao progresso da nossa região. Contudo, as guerras políticas, ontem como hoje, foram capazes de humilhar um homem que tanto deu ao nosso país. 

Comentários