Cataplana à moda do Tiago Lourenço



Cataplana de Bacalhau, Amêijoa e Camarão 

Ingredientes (para 4 pessoas):

4 postas de bacalhau (lombo)
250 g de amêijoa da Ria de Aveiro
8 camarões
1 pimento verde
1 pimento vermelho
6 batatas médias
1 cebola grande
2 dentes de alho
Flor de sal q.b.
Azeite q.b.
Vinagre q.b.
Açafrão q.b.
Salsa fresca q.b.

Preparação:

Comece por colocar as amêijoas de molho em água e sal para abrir e retirar a areia (cerca de 30 minutos).
Coza o camarão em água e sal (coloque depois de a água levantar fervura, durante 3/4 minutos) e reserve.
Descasque as cebolas e corte-as em rodelas, assim como as batatas que deverá cortar em rodelas grossas.
Corte também os pimentos, descasque os dentes de alho e pique-os.
Corte os lombos do bacalhau em cubos.
Na cataplana disponha uma camada de cebola seguida dos pimentos. Acrescente as batatas e novamente a cebola, os pimentos, a salsa e o açafrão.
Tempere com flor de sal.
Coloque o bacalhau e as amêijoas, regue com um generoso fio de azeite e leve ao lume brando a cozinhar cerca de 30 minutos.
De vez em quando agite cuidadosamente a cataplana (movimentos circulares, nunca destapando).
Acrescente o camarão e a “moira” (alho picado com vinagre). Cerca de 1 minuto depois disponha num prato e sirva. 

Bom proveito

Receita publicada na agenda "Viver em..." da CMI

Notas:

1.Receita apresentada por Tiago Lourenço, vencedor do Concurso Gastronómico “O Meu Bacalhau é melhor do que o Teu”, no âmbito do Festival do Bacalhau 2016;

2. Quando soube que o criador deste prato e vencedor do Concurso Gastronómico do Festival do Bacalhau 2016 foi Tiago Lourenço fiquei agradavelmente surpreendido, porque conheço o Tiago desde menino mas não sabia do seu prazer pela Gastronomia. Eu já sabia, contudo,  que em casa dos seus pais, meus bons amigos, havia um gosto natural pelas artes, cultivado no dia a dia: Música, Decorações, Antiguidades, um museu recriado ao estilo dos nossos avós e outras artes que brotam espontaneamente. Longe estava de pensar, porém, que o Tiago tivesse, pelo que vi deste concurso, o tal dedo raro e palato afinado para criar pratos,  partindo de ingredientes que sempre andaram pelas mesas dos ílhavos e gafanhões.
Os meus parabéns, com a certeza de que optarei pelo teu prato no próximo Festival do Bacalhau, se alguma instituição tiver a coragem de seguir os teus conselhos, meu caro Tiago. Um abraço também com votos de que não esmoreças nas artes culinárias das nossas tradições, lutando contra a cozinha do descartável que nada tem a ver com os nossos hábitos alimentares. 

Fernando Martins 

Comentários