Uma hora no Jardim Oudinot







Hoje à tarde andei pelo Jardim Oudinot a gastar algumas calorias que vêm da vida muito parada que tenho levado. Tinha uma hora livre para o fazer e aproveitei a oportunidade para caminhar por lá, sem vivalma que me distraísse nem me interrompesse. E foi muito bom. Apenas uns pescadores de cana e anzol à cata de alguns robalos para uma boa caldeirada marcaram presença nesta tarde de primavera com um sol tímido. 
Num outro canto da larga avenida uns homens gozavam o prazer do convívio, num jogo cujo nome desconheço. Sei que atiram umas bolas de aço, suponho eu, direcionadas para um taco, na tentativa de acertarem nele, o que raramente acontece. Mas acontece de vez em quando. Depois medem as distâncias das bolas, para confirmarem o vencedor. Penso que é assim. 
Volta e meia por ali, sem pressas nem correrias, ainda deu para tirar umas fotos que aqui ofereço aos meus leitores, na esperança de que passem pelo Jardim Oudinot, mesmo em dias ainda longe do verão.

Comentários