"Malhapão Rico — Confidências à Sombra do Sobreiro"

Um livro de Aida Viegas



PARTILHA 

Precisava de alguém p’ra partilhar
A alegria que trago no meu peito
Precisava de alguém a quem contar
Que tudo agora corre do meu jeito.
Precisava de abrir meu coração
Ver brilhar outros olhos de alegria
Ver sorrir outro rosto de emoção
Ter mil amigos a fazer-me companhia.
Mas... estou quase só. Todos estão ocupados.
Ocupados por virtude ou por defeito.
Bebo sozinha, estou quase embriagada
Tanta emoção já não cabe no meu peito,
Tanta ventura já transborda em minha taça.
Assim não vale. Assim não sabe a nada.
Beber sozinha a alegria, não tem graça.

                        Aida Viegas
                        14/9/9

Comentários

Enviar um comentário