O grande Brasil

Crónica de Miguel Esteves Cardoso
no Público de hoje

Nestes jogos olímpicos já estou a torcer pelo Brasil e para que tudo corra bem. Li algures que só os atletas de todo o mundo podem salvar estes jogos, como se os brasileiros nada tivessem feito para isso.
Visto de fora e do alto o Brasil e os brasileiros fizeram um esforço enorme e conseguiram organizar o maior de todos os espectáculos, contra uma oposição feroz e constante. Só por isso estão de parabéns.
Acho graça ler comentadores de países pequenos, a grande maioria dos quais nunca foi ao Brasil, a lamentar que está tudo atrasado, que todos estão corrompidos e a avisar que vai tudo correr mal.
Não sabem que o Brasil é um país enorme, habituado a fazer as coisas em grande escala. Não sabem que o Brasil é um país espectacular, onde o espectáculo se sente em casa. Não sabem que o Brasil sabe fazer uma festa como ninguém.
É normal, para o Brasil, que os jogos olímpicos corram bem. Não é uma vitória milagrosa contra todos os obstáculos. Organizar um grande espectáculo e ser um grande anfitrião é normal para o Brasil. O Brasil é espectacular. Os brasileiros são os melhores do mundo a dar show – melhores ainda do que os EUA, porque carregam mais na emoção e porque cada brasileiro sabe estar na festa. Não é só uma questão de artistas e espectadores. Está tudo misturado e é por isso que é mágico, seja futebol, música, dança ou jogo olímpico.
Os comentadores burros e preconceituosos bem podem esperar pelos desastres que não vão acontecer. O Brasil sabe fazer tudo.
 

Comentários