Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2016

Fora do estudo não há salvação

Imagem
Crónica de Frei Bento Domingues  no PÚBLICO

1. Ao apresentar em Luanda, com este título, um programa de trabalho histórico-teológico a um grupo de jovens estudantes dominicanos, sobre os modos de fidelidade e infidelidade ao carisma da Ordem dos Pregadores – ao longo dos seus 800 anos – um deles destacou os graves inconvenientes desta afirmação. A sua sonoridade evocava demasiado uma outra expressão que envenenou séculos de teologia missionária e pastoral: fora da Igreja não há salvação! Mas o que agora propomos é algo que nada tem a ver com essa aberração. O título diz apenas que em qualquer tempo, lugar e cultura, sem a dedicação permanente ao estudo, os dominicanos não podem realizar a sua missão na Igreja, acabando por cumprir tarefas que os não definem e os torna facilmente dispensáveis e substituíveis.

As obras de misericórdia (2)

Imagem
Crónica de Anselmo Borges
no Diário de Notícias

No "Ano da Misericórdia", aí estão, com Xabier Pikaza, as obras de misericórdia. São catorze: sete corporais e sete espirituais. Vinculam a justiça e o coração: a misericórdia não pode esquecer a justiça, mas a justiça tem de ser mobilizada pela misericórdia. Para sermos humanos.

Obras de misericórdia corporais

1 "Dar de comer a quem tem fome". Há certamente muitas outras necessidades: afecto, cultura, carinho, palavra... Mas a maior e mais urgente é a comida. Nem só de pão vive o homem, mas sem pão não vive. É uma vergonha haver comida suficiente para todos e morrerem de fome todos os dias 40 mil pessoas (16 mil crianças). Há várias, mas duas são "as causas principais" da fome: o egoísmo de indivíduos e de grupos e a injustiça do sistema dominante.

2 "Dar de beber a quem tem sede". Sem água não há vida. Jesus disse: "Quem vos der de beber um copo de água não ficará sem recompensa." Multipl…

Mau jornalismo, bom jornalismo

Um texto de Pedro Correia  no "Delito de Opinião"
«O tratamento jornalístico do terrorismo abusa de dois males simétricos: confere projecção global a quem dispara, mata, fere, mutila e viola - favorecendo comportamentos miméticos de um incontável número de potenciais assassinos sequiosos dos seus 15 minutos de fama - enquanto silencia os nomes e esconde os rostos das vítimas. Como se elas nos envergonhassem.»
Ler mais aqui  porque vale a pena.

Grandes Veleiros — 5 a 8 de agosto

Imagem

O que resta de religioso nesta sociedade "laica"

Imagem
Reflexão de José Tolentino Mendonça




As nossas sociedades tornam-se fisicamente extenuantes para os indivíduos, e parece faltar um apoio para as difíceis questões que respiram em nós com maior frequência: «Porquê precisamente a mim?»; «Que fazer da minha vida quando tenho de decidir sozinho?»; «Para que serve viver, se temos de desaparecer sem deixar rasto?»
Relativizado o círculo confessional, a religião tornou-se um estimulante terreno inculto para a produção científica e cultural mais heterogénea. É um fenómeno aparentemente inexaurível de meditação no qual todos têm alguma coisa a dizer: sociólogos, antropólogos, pensadores de teoria política, romancistas... Nos nossos dias vão adquirindo plausibilidade, aplicadas ao religioso, expressões que aos ouvidos de outros séculos pareceriam totalmente insólitas, como «restrição de campo», «reconfiguração», «deslocação para a esfera íntima», «mudança de papel social», «religião implícita», tudo expressões que dizem muito do processo epocal e…

SER RICO AOS OLHOS DE DEUS

Imagem
Reflexão de Georgino Rocha

Jesus termina com esta afirmação exortativa a parábola do homem rico que conseguiu uma boa colheita e possuir grande riqueza. Narra esta parábola para fazer uma “catequese” sobre o valor dos bens materiais e a atitude a cultivar na relação com eles. Quer deixar claro que o projecto de Deus se manifesta no sentido da vida dos discípulos missionários e nas prioridades que eles assumem. O mais importante deve marcar as pautas de comportamento. A liberdade em segurança vive-se com regras. O possível comporta energias a desabrochar. Em cada opção corrente está contida o gérmen da opção final.
Jesus é surpreendido pelo pedido de um anónimo que ergue a voz do meio da multidão: ”Mestre, diz a meu irmão que reparta a herança comigo”. Lucas, o narrador do episódio, nada diz sobre os motivos de tal pedido: Injustiça na retenção da herança, ganância do irmão, cobiça do queixoso? Outras razões? Nada. É pedido que pode nascer no coração humano que sente o pulsar da vida. …

A enguia na Ria de Aveiro

Imagem
Uma riqueza gastronómica regional 
«Pela abundância com que ocorreu na laguna e pela sua qualidade alimentar, a enguia é uma imagem da Ria de Aveiro, diremos que um ex-libris. A pesca exercida sobre esta espécie espalhava-se da Torreira à Vagueira, através do chinchorro, com galrichos, numa área mais ampla, e à sertela (ou minhoqueiro). As capturas eram abundantes e fomentaram duas atividades económicas que ainda persistem e continuam a ser de relevo elevado para a região: o turismo gastronómico e a indústria conserveira.»
Ler mais aqui

SPA salínico revitaliza salinas de Aveiro

Imagem
Notícia da LUSA editada pelo Diário das Beiras
«Um “SPA salínico” é inaugurado quinta-feira em Aveiro, numa iniciativa privada que procura revitalizar as marinhas “Grã Caravela e Peijota”, transformando-as em piscina salgada, a par da exploração do sal. Outrora o “ouro branco” aveirense, devido à sua importância na conservação dos alimentos, o sal de Aveiro era já explorado antes mesmo da fundação da nacionalidade, como o atestam documentos coevos e marcou a paisagem da cidade, rodeada de “mosaicos” de água, mas a atividade entrou em decadência e das 252 marinhas referenciadas na Ria de Aveiro já só apenas nove estavam em laboração em 2009. A “Grâ Caravela” e a “Peijota” são duas marinhas sobreviventes “às portas da cidade”, junto ao Ecomuseu Municipal da Troncalhada, cujos proprietários procuram agora reanimar, dando-lhes novos usos num “Salinário” de utilidade também terapêutica.»
Li aqui 
NOTA: Texto e foto do Notícias Google

calado como na missa?!

Uma reflexão de Pedro José Lopes Correia
calado como na missa ?!

“Chamo liberdade à minha ignorância do destino; e destino ao meu ignorar da liberdade”. Agostinho da Silva (1906-1994, filósofo e ensaísta português) in Público, 26-07-16.
[No contexto de receber o troco ao balcão… no almoço de 3 trabalhadores]

[1ªvoz – gerente] – Fica por 20,20 euros… fica por 20,00 euros certos.
[2ªvoz – cliente] – 0,20 cêntimos já dá para pôr de oferta na missa…

[3ªvoz – cliente] – 0,20 cêntimos não chega para nada, a pintura da Igreja é mais de 100.000 mil!

[2ªvoz – cliente] – o resto que ponha o Padre, que também ganha!?

Eu ouvia – calado como na missa?! – e aguardava a vez para pagar o meu almoço-refeição – na escolha da ementa económica: 6,00 euros – num restaurante implantado na Gafanha da Nazaré. Não longe da nossa Igreja Matriz. Suspeito que não falavam assim… Sabendo que eu era padre, residente e trabalhador, na paróquia, e estava ao seu lado no balcão do pagamento. Sabendo ou não. Não fiz “alarme” …

À descoberta da Gafanha da Nazaré

Imagem
Das dunas batidas por vento agreste, um povo habituado a vida dura noutras paragens, soube tirar o seu sustento. A laguna deu-lhe o moliço com que fertilizou os campos. Gente humilde e trabalhadora juntou ao das terras o amanho das águas de onde tirou sal. Aventurou-se e fez-se ao mar, em demanda do fiel amigo, e o mar deu-lhe riqueza, mas reclamou inúmeras vidas. De todo o lado vieram e fizeram grande esta terra de oportunidades e tolerância que ainda busca identidade. Para os visitantes reserva sempre a melhor parte e um convite para que venham…
Helena Maia Silva, João Alberto Roque Roteiro Turístico Junho de 2016


Ficha Técnica
Iniciativa: Departamento de Línguas do Agrupamento de Escolas da Gafanha da Nazaré Coordenação: Helena Maia Silva Pesquisa e redação: Alda Fernandes, Helena Maia Silva e João Alberto Roque Edição: João Alberto Roque Tradução: Elementos do Departamento de Línguas Fotografia: Helena Maia Silva e João Alberto Roque (ver nota) Tratamento de imagem: João Alberto Roque Impressão:…

Os dominicanos em Angola

Imagem
Crónica de Frei Bento Domingues no PÚBLICO
1. No Domingo passado, não tive condições para mandar, de Angola, a minha crónica para o PÚBLICO. A pedido do meu Provincial, vim a Luanda participar num conjunto de iniciativas de estudo organizadas pelos dominicanos angolanos. A perspectiva que me orienta, na realização do programa desenhado, é esta: outro mundo, outra Igreja e outra vida dominicana são possíveis. É uma questão de fidelidade à mensagem cristã. Jesus Cristo cresceu e foi educado nas tradições da religião de Israel. Quando hoje se fala de inculturação do Evangelho, algumas práticas pastorais julgam que se trata de adaptar o Evangelho a uma cultura. Se assim fosse, Jesus Cristo não tinha nada que fazer, pois já estava moldado pela sua herança judaica, cultural e religiosa. O que pode ser observado, tanto nos escritos de Paulo como nas narrativas dos Evangelhos, é que Jesus de Nazaré não se apresentou para perpetuar os costumes do seu tempo. Teve de discernir o que havia de m…

Papa Francisco e os jovens em 10 frases

Imagem
Espero que façam barulho
Não olhem a vida da varanda
Não beber a fé espremida
Não aos jovens de museu, sim aos jovens santos
Viver, em vez de ir vivendo
Sonhai grandes coisas
Aprendamos a chorar
Sede castos, sede castos
É preciso andar contracorrente
Quem não arrisca não caminha
Propomos uma recolha de dez frases, na expectativa de outras surpresas "fora do programa" que o papa Francisco poderá reservar nos dias da próxima Jornada Mundial da Juventude, em Cracóvia, Polónia, durante os dois encontros no Parque Jordan de Blonia (a cerimónia de acolhimento dos jovens, na próxima quinta-feira, 28 de julho, e a via-sacra da sexta-feira seguinte) e no "Campus Misericordiae" (vigília de sábado) e a missa conclusiva, no domingo, dia 31. A puxar por Francisco, segundo as previsões oficiais, estarão entre um milhão e meio e dois milhões de jovens, de 187 países.
Ler mais aqui

As obras de misericórdia (1)

Imagem
Crónica de Anselmo Borges  no Diário de Notícias

Há hoje um acordo praticamente unânime. Jesus de Nazaré foi um homem, talvez o único, que viveu e comunicou uma experiência sã de Deus, sem desfigurá-la com os medos, ambições e fantasmas que, habitualmente, as diversas religiões projectam sobre a divindade." Quem isto escreve é o grande exegeta José Antonio Pagola. A citação provém do livro Entrañable Dios. Las obras de misericordia: hacia una cultura de la compasión, que escreveu com outro grande teólogo, Xabier Pikaza, e aparece no contexto da definição de Deus. O nome de Deus é misericórdia. "A compaixão é o modo de ser de Deus." Neste sentido, Jesus contou histórias que abalam uma Igreja clericalizada, centrada no culto. Lá está, por exemplo, o bom samaritano. Um homem foi espancado e roubado, ficando meio morto à beira da estrada. E passou por ali um sacerdote, que se desviou para nem sequer o ver. O mesmo fez um levita que servia no Templo. Mas um samaritano, estran…

A Quinta da Ilha

Imagem
Crónica de Maria Donzília Almeida



Com a chegada do verão, foram-se aproximando do fim as atividades escolares, nas instituições de ensino público e privado.  Desde os tempos remotos em que era estudante, à estação quente, vinha associada a palavra que nos soava a lazer e cheirava a maresia — férias.  Agora, noutra dimensão académica, nas US (Universidades Seniores) de todo o país, também se fazem planos e preparativos para uma merecida pausa.  Para dar uma certa relevância ao encerramento do ano letivo, multiplicam-se as festas de despedida entre formandos e professores, que, invariavelmente, decorrem à volta de uma mesa num opíparo repasto. O descanso do guerreiro! Desfrutar é viver!  Hoje, mais uma vez nos reunimos para um convívio de confraternização do grupo AF (Amigos da Fotografia) orientado pelo eminente fotógrafo Carlos Duarte, numa nova modalidade, um piquenique.  Evoquei os meus tempos de juventude, em que adorava fazer piqueniques com as crianças, nos mais diversos lugares:…

Festival do Bacalhau — Concertos

Imagem
17 de agosto
18 de agosto
19 de agosto

A oração que Jesus nos ensinou

Imagem
Reflexão de Georgino Rocha


O caminho de Jesus para Jerusalém constitui referência modelar para o itinerário de iniciação à vida cristã dos que pretendem ser seus discípulos missionários. Assinala com grande evidência os marcos principais do percurso e as atitudes fundamentais de quem o assume. Uma imagem expressiva chega-nos, hoje, dos que fazem o caminho de Santiago, na Galiza, e dos peregrinos a Fátima. Lucas, o narrador de “serviço” assinala que “estava Jesus em oração em certo lugar”. Destaca assim a sua atitude orante, o local em que reza e o recolhimento em que permanece, apenas interrompido pela súplica dos discípulos. Causa a mais profunda impressão o seu modo de orar. E ainda mais quando se ouve a resposta dada a este pedido: O Pai Nosso e seus desejos. A versão de Lucas é mais breve que a de Mateus. Possivelmente estará mais próxima da original. Nela, Jesus deixa-nos ver a sua relação com Deus Pai e transmite-a aos discípulos. A oração é entrar nesta relação filial, sentir-s…

Férias — A Ria de Aveiro na literatura

Imagem
Para estas férias, proponho aos nossos leitores uma viagem pela literatura à cata da Ria de Aveiro. É um desafio interessante e todos confirmarão que a laguna de águas mansas ainda tem muito por descobrir. Aqui deixo algumas notas como ponto de partida:
«A Ria entende-se em canais, em esteiros, em valas, em fiozinhos de água, dividindo-se e subdividindo-se até ao capilar, entrando pela terra dentro, recortando-a e irrigando-a de água salgada, ou, pelo menos, salobra, e que se vai adocicando à medida que foge do mar e se estende, por aí fora, a servir de espelho a uma lavoura anfíbia que lança a semente ao chão e penteia o fundo lodoso das cales, que surriba terra até sentir os pés encharcados e pesca pimpões nas valas intercalares nos fugidios momentos de lazer.»
Frederico de Moura "Aveiro e o seu Distrito",  n.º 5, junho de 1968
«A ria é um enorme pólipo com braços estendidos pelo interior desde Ovar até Mira. Todas as águas do Vouga, do Águeda e dos veios que nestes sítio…

Faleceu o Diácono Permanente Emanuel Ribau Caçoilo

Imagem
Funeral | amanhã | quarta-feira | 11 horas | Igreja Matriz da Gafanha da Nazaré

Ontem, já noite, chegou-me a triste notícia do falecimento do diácono permanente  Emanuel Ribau Caçoilo. Natural da Gafanha da Nazaré, onde nasceu em 21 de agosto de 1934, completaria brevemente 82 anos. Foi ordenado diácono permanente em 15 de agosto de 1993 e estava acamado há algum tempo. O Emanuel mostrou, desde muito novo, inclinação para o trabalho eclesial. Frequentou o seminário de Aveiro, pois sentia-se vocacionada para exercer o sacerdócio. Quis Deus que assim não fosse vindo a casar com Paulina Conde Sarabando. Foi pai de cinco filhos e avô de dez netos. Pintor de louça artística com sensibilidade e arte, sempre que solicitado pintava cenários para alguns espetáculos e com traços bem definidos chegou a fazer caricaturas expressivas. Se não foi sacerdote, veio a ser diácono permanente, exercendo a seu ministério na Gafanha da Nazaré, onde era muito estimado e apreciado pela sua dedicação plena ao …

Há muitos, muitos anos que não ia à missa

«... Há muitos, muitos anos que não ia à missa. As razões não são originais. Há um dia em que damos por nós afastados dos rituais, embora não necessariamente da crença. Não posso dizer isto a pessoas que não admitem que a segunda possa sobreviver sem a prática regular da primeira, mas não faz mal. Acontece que assisti a um sermão que me deixou a pensar, a partir de um episódio da vida de Jesus, sobre como a urgência é tantas vezes uma distracção disfarçada de prioridade. Esta conclusão do jovem padre na sua primeira missa foi luminosa e alegre. E assim é-se eficaz. É possível que volte a ouvir este sacerdote que me despertou por momentos de um sono de décadas.»
Carla Hilário Quevedo

Li no blogue Bomba Inteligente

JACINTA — Redemption Song

Imagem

Frei Bento Domingues de férias

Imagem
Os meus leitores hão de estranhar a ausência da crónica de Frei Bento Domingues no meu blogue, por transcrição do PÚBLICO. De férias até setembro, ficaremos privados da sua reflexão semanal, sempre oportuna, lúcida e independente,  durante o descanso a que tem direito.  Se possível, editarei, aos domingos, textos relacionados com Frei Bento Domingues.


Um livro de Valdemar Aveiro — Nómadas do Oceano

Imagem

Dois Papas

Imagem
Crónica de Anselmo Borges  no Diário de Notícias

1. Há quem suspeite que o Papa emérito, Bento XVI, possa ser um dos centros de oposição ao Papa Francisco. E apresentam razões para essa suspeita. Há quem pergunte porque é que continuou no Vaticano. Mais grave será, ainda no exercício das suas funções, ter feito arcebispo o seu secretário, Georg Gänswein, que nomeou, ao mesmo tempo, para Prefeito da Casa Pontifícia, garantindo assim que ficaria permanentemente informado do que faz o seu sucessor. Em 1972, ainda professor, escreveu um ensaio académico, manifestando abertura à admissão à Eucaristia dos divorciados recasados, no caso de a nova união ser sólida, haver obrigações morais para com os filhos, não subsistindo obrigações do mesmo tipo em relação ao primeiro casamento, "quando, portanto, por razões de natureza moral é inadmissível renunciar ao segundo casamento". Ora, este ensaio foi retirado das "Obras Completas" de Ratzinger, cuja edição está a cargo do carde…

Giro pela noite

Imagem
A noite não é sempre escuridão. E mesmo esta, com um ou outro raio de luz, pode oferecer-nos motivos de beleza, que a luz do sol até pode esconder. Num giro pelo jardim, noite de lua de quarto crescente, com pouco luar, registei estas fotos que partilho com quem gosta de arbustos, dos quais sobressaem gestos em busca dos céus.

Recebe Jesus em tua casa

Imagem
Reflexão de Georgino Rocha
Jesus continua o seu itinerário para Jerusalém. Avança com uma liberdade impressionante. Nada nem ninguém faz parar a sua determinação de chegar. Em cidades e aldeias. Sendo acolhido ou rejeitado. Compreendido pelos discípulos ou “censurado”. A iniciativa é incondicionalmente sua. O texto de Lucas, hoje narrado de forma tão bela e expressiva, transmite e visualiza uma nova faceta da mensagem de Jesus. Trata-se do encontro em casa de Marta e de Maria descrito com pormenores significativos e com sabor delicioso. Nele, condensa, de modo emblemático, as etapas principais da iniciação cristã: Acolher, dialogar, servir. Sem encontro pessoal com Jesus Cristo, sem escuta diligente da sua palavra e oração de comunhão de sentimentos, sem cooperação responsável por meio de obras eficazes no seu projecto de salvação, não há discípulo fiel, cristão apto a dar razões da esperança que o anima, membro consciente da Igreja nem cidadão missionário empenhado na humanização da …

Homenagem ao Padre Artur Sardo

Imagem
Na sexta-feira, 24 de junho, foi prestada justa homenagem ao Padre Artur Sardo no Centro Social Paroquial Nossa Senhora da Nazaré, com o descerramento da sua fotografia e de uma placa, onde se lê:
“Padre Artur Ferreira Sardo  (1912-2000)  Homenagem e gratidão do Centro Social  Junho de 2016”
No momento próprio, o Padre César Fernandes, pároco da Gafanha da Nazaré e presidente da direção do Centro Social, referiu que «esta homenagem de gratidão para com o Padre Artur Sardo é de toda a justiça», pois veio dele a iniciativa de «oferecer o terreno para a construção do Lar, sendo à data da inauguração (maio de 1991) membro da mesma direção». O Padre César fez questão de sublinhar que «estamos a reconhecer publicamente» o gesto do Padre Artur, enquanto desejou que se perpetue no futuro «a sua dedicação à instituição com a doação do terreno onde está implantado o Centro Social Paroquial». O Padre Artur Ferreira Sardo, natural da Gafanha da Nazaré, onde viu a luz do dia em 21 de março de 1912, t…

376 milhões de euros para ligação ferroviária Aveiro-Vilar Formoso

Imagem
UE dá luz verde a 376 milhões de euros 
para obra de ligação ferroviária 
Aveiro-Vilar Formoso


«Os Estados-membros da União Europeia deram 'luz verde' a uma injeção de 393 milhões de euros para o financiamento de oito iniciativas no âmbito das infraestruturas de transporte em Portugal, dos quais se destaca o projeto de execução da obra de ligação ferroviária entre Aveiro e Vilar Formoso (Linha da Beira Alta), por um montante aproximado de 376 milhões. Os Estados-Membros da UE aprovaram formalmente na sexta-feira uma lista de 195 projetos no setor dos transportes, que receberão 6,7 mil milhões de euros de financiamento ao abrigo do convite à apresentação de propostas de 2015 do Mecanismo Interligar a Europa (MIE). Esta lista - que tinha sido apresentada a 17 de junho pela Comissão Europeia - deverá permitir a libertação «de cofinanciamento suplementar, público e privado, num montante total combinado de 9,6 mil milhões de euros e criar 100 000 postos de trabalho até 2030» salienta…

“Os últimos marinheiros” — Um livro de Filipa Melo

Imagem
“Há três espécies de seres: os vivos, os mortos  e os que andam no mar.” 
Anacársis,  filósofo cita
Acabei de ler um livrinho de Filipa Melo, com edição da Fundação Francisco Manuel dos Santos. Faz parte da coleção “Retratos da Fundação” e tem apenas 70 páginas, que se leem num fôlego. Trata-se de trabalho muito bem escrito, edição de bolso, que toca fundo na sensibilidade de quem carrega, como eu, no seu ADN, o mar e a pesca do bacalhau, mas também navios, mastros e velas, ondas, botes, redes, ausências, naufrágios, caldeiradas, partidas dolorosas e regressos felizes.  Diz a autora na Introdução que, «Em Portugal, os homens do mar estão em vias de extinção ou quase», sendo eu sou testemunha disso. Vai já longe o tempo em que o Porto de Pesca de Aveiro era um viveiro de navios para todos os mares e para todas as pescas, com gentes da costa de Norte a Sul do país. A história é por demais conhecida e Filipa de Melo é clara e oportuna quando diz: «Inclinados perante a Europa, virámos as cost…

Acordo Ortográfico: Onde andastes, que vos não vi?

Imagem
NOTA: Não sou, nem pretendo ser, especialista em matérias relacionadas com a Língua Portuguesa, falada ou escrita. Sou apenas um leitor que gosta de ler e de escrevinhar umas coisas simples. Adotei o Acordo Ortográfico porque foi aprovado legalmente depois de muitos estudos, reflexões e debates. Sei que a questão é complexa, que as línguas vivas não podem ficar agarradas teimosamente ao passado, que há e haverá sempre novos vocábulos, e que em algumas situações deveria ter havido mais cuidado. Também admito que, mais tarde ou mais cedo, teremos acertos.  Concordo com o que Francisco José Viegas diz neste texto que escreveu para a Revista LER e que aqui reproduzo, sublinhando a questão expressa no título: ONDE ANDASTES, QUE VOS NÃO VI?  Pois é. Nós, os portugueses, somos assim. Andamos entretidos, por vezes, com ninharias, e atiramos os trabalhos e ideias para cima de outros. E depois da casa roubada trancas à porta. 
Fernando Martins

Férias à porta de casa

Imagem
Grandes Veleiros e Festival do Bacalhau em agosto  O próximo mês de agosto vai ser um mês cheio, com dois acontecimentos que são outras tantas festas, daquelas que nos enchem os olhos e a alma. Para quem não pode gozar férias, por variadíssimas razões, tem aqui, na nossa Gafanha da Nazaré, duas grandes festas. A festa dos Grandes Veleiros e o Festival do Bacalhau. Os Grandes Veleiros entre 5 e 8 de agosto; o Festival do Bacalhau de 17 a 21 de agosto.  Estas festas são tão expressivas que até ganham em estar separadas. Assim, dá para nos deliciarmos com os veleiros imponentes e carregados de história que nos visitam, qual deles o mais belo e harmonioso, e a seguir, uma semana depois, todos teremos a oportunidade de saborear os acepipes que à volta do “fiel amigo” o povo e os cozinheiros souberam criar com gosto: a posta do bacalhau de mil maneiras, as caras de bacalhau fritas, as línguas de bacalhau à maneira de cada imaginação, as pataniscas com os seus segredos, e a feijoada de samo…

As trapalhadas do Crisma

Imagem
Crónica de Frei Bento Domingues  no PÚBLICO

1. Rui Osório, jornalista e pároco da Foz do Douro, na sua pertinente coluna na Voz Portucalense (2016.06.29) revela preocupações que não são exclusivas: “Se a minha confidência de pastor vos parecer pessimista, peço-vos desculpa, mas deixem-me desabafar: a prática do Crisma é uma das experiências pastorais mais frustrantes que tenho encontrado. “Em tempos primitivos, os catecúmenos, depois de um longo crescimento na fé, entravam na piscina e eram lavados; saíam e eram perfumados com óleo do crisma; e acediam à mesa eucarística para serem alimentados. “Hoje, não é tanto assim e andamos, na longa e agitada onda da cristandade sociológica, a surfar um pouco aturdidos entre o cansativo cristianismo de tradição e o sedutor cristianismo de opção. “Pastoralmente, parece-me que, em vez da iniciação à fé cristã, o Crisma está em risco de se tornar no sacramento que marca o fim de uma certa educação e de pertença cristã construídas na areia. “Já lhe c…

Travessia da Ria de Aveiro a nado

Imagem
17 de julho Está a decorrer, até ao dia 14 de julho, o prazo de inscrições para a IX Travessia da Ria a Nado/IV Aquatlo, que vai ter lugar no próximo dia 17 de julho, com organizada pela Câmara Municipal de Ílhavo através do Fórum Náutico do Município de Ílhavo, esta iniciativa já conquistou uma significativa relevância regional.  A prova tem início (concentração pelas 13h45 e partida 14h35) no Largo da Bruxa, Gafanha da Encarnação, e termina no Relvado da Costa Nova, perfazendo uma distância total de 750 metros. Os mais audazes terão ainda a oportunidade de realizar o IV Aquatlo (travessia + corrida).  te evento permite aos participantes testar a sua capacidade física e aos apoiantes, familiares, amigos e interessados assistir a uma prova única na região.  Mais informações em www.cm-ilhavo.pt  ou pelo e-mail forum.nautico@cm-ilhavo.pt.
Fonte: CMI