"Artesãos da festa, da maravilha e do belo"

«Semear a beleza e a alegria também é misericórdia», 
disse o Papa no encontro que reuniu também 
profissionais das feiras e espetáculos itinerantes


O Papa destacou [ontem] no Vaticano a missão dos profissionais do mundo do circo, das feiras e espetáculos itinerantes, em “enriquecer a sociedade” através da sua alegria, do seu empenho e audácia.
Numa audiência com cerca de 6 mil profissionais do setor, integrada no Jubileu da Misericórdia, Francisco classificou os presentes como “artesãos da festa, da maravilha e do belo”.
Lembrou ainda que os artistas “têm um recurso especial, de com a sua contínua itinerância levarem a todos o amor de Deus, o seu abraço e a sua misericórdia, de serem comunidade cristã itinerante, testemunhas de Cristo que está sempre a caminho ao encontro de quem está mais longe”.
A iniciativa está a decorrer esta manhã na Sala Paulo VI, no contexto do Ano Santo da Misericórdia que a Igreja Católica tem vindo a promover.
Durante o Ano Santo, os espetáculos têm sido abertos e gratuitos para todas as pessoas mais necessitadas, para os pobres e sem-abrigo, para os presos e jovens com deficiência.
Agradecendo a todos os profissionais por este gesto, Francisco lembrou que esta atitude “também é misericórdia”.
“Semear a beleza e a alegria num mundo tantas vezes sombrio e triste. Muito obrigado a todos”, complementou.
No encontro estiveram artistas dos vários continentes, que tiveram oportunidade de atuar para o Papa e inclusivamente desafiá-lo a dar festas num tigre e a dar colo a uma cria de pantera.
A seguir à audiência com o Papa argentino, os participantes vão ter oportunidade de passar pela 'porta santa' da Basílica de São Pedro, no âmbito do Jubileu da Misericórdia.

Li na Ecclesia 

Comentários