A nossa gente — Maria Andrelina Teixeira

“Só temos uma vida 
para cumprir o projeto de Deus”


Neste mês de junho, em que se realiza o VIII Acampamento Municipal de Escuteiros, dedicamos a rubrica “a nossa gente” a Maria Andrelina Teixeira. 
Maria Andrelina nasceu a 4 de fevereiro de 1945, na freguesia de Mancelos, Concelho de Amarante. Devido ao falecimento do pai, foi, com apenas oito anos de idade, estudar para Angola (Huambo/Nova Lisboa) no Colégio Interno “S. José de Cluny”, por orientação de um irmão que é sacerdote. 
A desordem que se começava a sentir em Angola impôs o regresso a Portugal. Em Anadia, continuou os seus estudos na mesma Congregação até ao então 7.º ano, que lhe deu acesso ao Curso de Assistente Social, em Coimbra. 
Já licenciada, regressou a Angola, desta vez à cidade de Cabinda, para lecionar na Escola Comercial e Industrial. Seguiu-se a cidade de Saurimo, onde trabalhou, como Assistente Social, em Jardins de Infância e com deficientes motores, aquilo que mais gostava de fazer.
Em 1974, voltou a Portugal com a oportunidade de trabalhar em Aveiro. Estava, então, a ser implementado o Serviço de Ação Social Escolar, projeto que abraçou com dedicação e empenho até ao momento da sua aposentação.
O seu gosto pela música levou-a a inscrever-se no Conservatório de Música da Gulbenkian, onde aprendeu Flauta Transversal, Música e Educação Musical. Mais tarde, por eleição de sócios, assumiu o cargo de Secretária de Direção, tendo a mesma pugnado pela oficialização do Conservatório, que era privado. Maria Andrelina orgulha-se também da criação de uma Associação para os restantes serviços (Cerâmica, Serigrafia, Ballet, Alemão e Infantário). 
No final da década de 70, elegeu a Praia da Barra, Município de Ílhavo, para viver. Aqui passou a ter, desde logo, um contacto muito próximo com a Comunidade. Dinâmica e sempre pronta para ajudar o próximo, Maria Andrelina envolveu-se na angariação de fundos para a construção da atual Igreja da Barra, bem como, após a inauguração da mesma (1990), nas diligências necessárias à Paroquia, entre as quais a Catequese, o Movimento Escutista e a Música com a formação do Grupo Cultural. 
Catequista e corresponsável pelo Grupo Cultural, Maria Andrelina deu também, desde a primeira hora, o seu contributo para a formação do CNE - Agrupamento de Escuteiros 1021, assumindo o cargo de Secretária. Foi depois Chefe de Pioneiros, Chefe de Agrupamento e de Lobitos e, atualmente, é a Subchefe, dedicando-se de alma e coração à missão do escutismo. 
Considera que “só temos uma vida para cumprir o projeto que Deus tem para cada um de nós... O que nos compete? Dar o nosso melhor em serviço, alegria e paz...”

Fonte: Agenda ”Viver em…” da CMI

NOTA: Na vida apressada que levamos nem sempre nos damos conta de pessoas que se dão à comunidade com entusiasmo e amor. Amor a causas, a valores e a dinâmicas para que algo de importante valorize o povo, jovem e menos jovem. 
Confesso que não conhecia suficientemente bem o labor e a determinação que Maria Andrelina põe gratuitamente ao serviço da comunidade da Praia da Barra, razão por que considero muitíssimo oportuna a merecida homenagem que a autarquia ilhavense lhe prestou incluindo-a na  lista de “A nossa gente”. É que o seu exemplo de se dar aos outros assenta bem na frase com que termina a entrevista que concedeu à Agenda “Viver em…” deste mês: “só temos uma vida para cumprir o projeto que Deus tem para cada um de nós... O que nos compete? Dar o nosso melhor em serviço, alegria e paz...”
Os meus parabéns à Maria Andrelina Teixeira.

Comentários