Os abusos


Hoje de manhã fiquei incomodado. Os níveis de glicémia dispararam para valores nada aconselháveis. Isto não pode ser. Sou habitualmente moderado no comer e no beber, tomo a medicação sem deslizes, portanto não haveria razões para ficar neste estado. Mas fiquei. Porquê?
Ora, tudo isto é muito simples… Que podia comer 52 doces por ano, disse-me um dia um médico, com graça, isto é, um por domingo, que tomasse a medicação prescrita, que não abusasse do pão e da fruta, e que levasse uma vida tranquila. 
O problema está num ou noutro abuso. O tal bolo de domingo, um prato mais pesado do que o normal, uns bocadinhos de pão que me desafiaram, um copo de vinho de uns graus acima da média e lá está. Agora dieta redobrada. Mas tudo há de entrar nos eixos. 
Mas por que razão havemos de estragar tudo? Já sei: há anos li um livro com o título “A vida depois dos quarenta”, salvo erro, onde se dizia claramente que a vida a partir daí sem uns abusozitos nem é vida nem é nada. Pois é. O pior é o resto.

Comentários