O Coelhinho da Páscoa

Crónica de Maria Donzília Almeida


Num dia cinzento e frio, 21 de março, o GTUS (Grupo de Teatro da Universidade Sénior) levou brilho e magia a um grupo de criancinhas dos jardins-escola da cidade de Ílhavo, com a dramatização da história do Coelhinho da Páscoa, ali no seu Museu Marítimo.
No imaginário das crianças, a entrega dos ovos de chocolate é feita por um coelho de olhos vermelhos e pelo branquinho. Como se trata de uma historinha ternurenta, passo a transcrevê-la sucintamente.
Perto da casa do Menino Jesus, um passarinho construiu o seu ninho. Todas as manhãs, Jesus era acordado pelo alegre chilrear da avezinha.
Certa manhã, porém, Ele foi acordado pelo piar aflito do passarinho. Jesus espreitou e viu que a mamã passarinho chorava inconsolável, pois a raposa havia roubado os seus ovinhos.
O menino Jesus ficou triste e saiu pela floresta, pedindo aos bichos que passavam que o ajudassem a encontrar os ovinhos roubados.
—Gatinho, queres ajudar-me a encontrar os ovos da mãe passarinho?
—Não posso Jesus. A minha dona encarregou-me de caçar um rato que lhe rouba queijo todas as noites.
Assim, Jesus ia-se dirigindo aos animais, mas foi inútil. Todos estavam ocupados. O cão cuidava da casa. A formiga trabalhava apressadamente. O grilo estava cansado de pular de galho em galho. Nenhum bicho podia ajudar Jesus. Foi então que o coelho colocou as orelhas para fora da toca e disse:
— Jesus, se quiseres, eu posso ajudar-te.
E saiu correndo até encontrar o esconderijo da raposa. Mas que pena. Ela já havia comido todos os ovinhos. O coelho com pena do passarinho e querendo agradar a Jesus, resolveu pedir um ovinho a cada um dos passarinhos que conhecia e levou-os a Jesus.
Este colocou os ovinhos no ninho da mamã passarinho, que nem desconfiou de nada. Como recompensa, o coelhinho foi encarregado por Jesus, de todos os anos, na Páscoa, distribuir ovinhos pelas crianças.
E assim se criou a réplica do Santa Claus na figura do fofinho Easter Bunny.
As criancinhas que entraram a chilrear como um bando de passarinhos, acomodaram-se, ordeiramente, nos seus lugares e escutaram com toda a atenção, sem um piu. No fim da atuação, com toda a vivacidade que lhes é peculiar, interagiram com os atores e receberam o brinde do coelhinho – um ovinho de chocolate.
A mim, coube-me a dura, ingente tarefa de distribuir ovinhos de Páscoa, por todo esse vasto mundo, já que encarnei o papel do coelhinho.
Pratiquei uma boa ação... (a solidariedade) e o Menino Jesus indigitou-me como DOOP (Distribuidor oficial dos ovos da Páscoa).
Com tantos milhões de criancinhas por esse mundo fora…não sei como me vou sair desta missão...
 —  Ah…já sei! Já que Jesus me é imanente (sou…de Jesus)vou pedir-Lhe ajuda, tal como ele fez à mamã passarinho…Talvez ele me arranje um trenó para transportar os ovinhos…ah…mas falta a neve…



Mª Donzília de Jesus de Almeida

Comentários