A Rádio Terra Nova não pode morrer


A Gafanha da Nazaré sofreu as consequências do vento forte que varreu a noite passada a nossa região. A antena da Rádio Terra Nova, apesar de bem peada, não resistiu. A natureza, realmente, derruba tudo quando lhe apetece, ou quando, sem aparentes motivos, o deus Éolo, por pura maldade, enraivecido, resolve destruir o mundo. Não o há de conseguir, asseguramos nós, os homens que teimam em ter voz nas terras dos seus ancestrais. E a antena há de ser erguida, custe o que custar, pela vontade indómita das nossas gentes. E como a união faz a força, todos, de mãos dadas, como símbolo da concentração de energias, ressuscitaremos a antena. Viva a Terra Nova.

Fernando Martins

Comentários