Um livro de Afonso Reis Cabral


Há dias recebi uma reprimenda de uma amiga por ter dito que não tinha lido o livro “O Meu Irmão” de Afonso Reis Cabral, trineto de Eça de Queirós. Não sei se disse apenas que não andava a ler ou se pronunciei alguma heresia.
A minha amiga adiantou que tinha estado num colóquio em Ílhavo com Afonso Reis Cabral e que tinha ficado encantada com a simplicidade do jovem escritor de 25 anos. Sobre o livro, acrescentou, em crónica que publicou no meu blogue: «O livro [O Meu Irmão], pousado na mesa de cabeceira e autografado pelo autor, é o bombom que saboreio todas as noites, antes de mergulhar nos braços de Morfeu.»
Desculpe lá, Maria Donzília, a minha heresia sem nexo. Já ando a ler o livro. E porque estamos em maré de emoções, confesso que chego a comover-me.

Comentários