Uma opinião para não ficar calado




Por aqui não me manifestei politicamente. Foi uma opção pensada e refletida. Mas hoje optei por meter a colherada no tema escaldante que foram e são os resultados eleitorais. 
O governo liderado pelo PSD/CDS-PP, com maioria absoluta, resolveu os problemas da governação como entendeu. A situação do país era grave, todos o sabíamos, e era preciso negociar com os nossos credores, porque somos gente séria. Fizeram-no sem obstáculos da parte dos restantes partidos. Tinham a faca e o queijo na mão. Houve cortes e mais cortes, uns cegos e outros camuflados, mas os nossos governantes conseguiram aguentar o país na UE e no Euro, sem fugir às suas responsabilidades internacionais. Houve, da parte do povo, sofrimento, desânimos, horizontes fechados, emigração forçada…
Mas a partir de hoje, com os resultados eleitorais, a coligação já não pode fazer o que quer e lhe apetece. Não tem deputados na Assembleia que, com um simples levantar do braço, aprovam as decisões do governo, doa a quem doer. Negociar é preciso. Com quem? Com partidos que não gostem da terra queimada. Aprecio, apesar de tudo, estes resultados, por exigirem o diálogo responsável.

Comentários

  1. Negociar é preciso. Com quem?!...
    Com António Costa que é um homem sério e de consensos, mas que já está a ser acossado não só por alguns dos seus colegas de partido em busca de vingança por não terem sido integrados nas listas, como também e pasme-se: - Por muitos apaniguados de PAF que desejam vê-lo cair para provocar uma crise no PS, sem terem a noção que essa crise arrastaria com ela a própria governação da sua coligação!
    Quantos meses mais, seria necessário o país esperar, para que o novo governo, tivesse um interlocutor válido para negociar a aprovação do OE?!!!

    ResponderEliminar
  2. Não será necessário negociar com ninguém. Depois de segunda-feira teremos, felizmente, um governo de esquerda em Portugal.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário