Poesia para este dia



“De um e outro lado do que sou,
da luz e da obscuridade,
do ouro e do pó,
ouço pedirem-me que escolha;
e deixe para trás a inquietação”

Nuno Júdice (1949),
poeta e ensaísta português


No PÚBLICO de hoje

Comentários