Um homem que é homem...



Ser livre é ser homem!

Um homem que é homem,
acima de tudo
sorri;
sorri mesmo
quando o turbilhão do desânimo 
o envolve!...

Um homem que é homem,
acima de tudo 
sofre,
sofre mesmo
quando vê faces dominadas
p’la fome…

Um Homem que é homem,
em primeiro lugar
ama;
ama mesmo
quando dentro de si
alegria não existe…

Um homem que é homem,
em primeiro lugar
vive;
vive mesmo
quando p’la força da solidão
é subjugado…

Um homem que é homem,
em primeiro lugar
procura ser livre;
livre mesmo
quando é escravo
de qualquer vício!...

Um homem só é homem,
quando conseguir de facto,
Ser livre! Ser livre!... Ser homem…

Dinis Casqueira

Notas: 
1. Poema publicado no Timoneiro, julho de 1975;
2. Uma explicação necessária: Encontro, frequentemente, nas minhas buscas, curiosidades que despertam a minha atenção e mexem com  a minha sensibilidade. Encontrei hoje, numa dessas buscas, este poema de um amigo que partiu muito cedo para o aconchego de Deus. De forma inesperada, como todas as mortes dos nossos familiares e amigos. Publico-o com o sentimento de grata recordação do Dinis Casqueira e em sua homenagem. 

Comentários

Muito bonito e sentido!