Os heróis de Marcelo Rebelo de Sousa

Li na Revista E do EXPRESSO

O homem que hoje nunca dorme "menos de três horas e meia por dia" e "raras vezes mais de cinco e meia", ou seja, "mais do que há dez ou vinte anos", respondeu assim à jornalista Inês Maria Meneses, do Expresso, que lhe pôs a seguinte questão:

Qual é o último herói de que se lembra?

O do gesto heróico do próprio dia ou da véspera. O doente que enfrenta corajosamente o seu desafio dito quase terminal. O mais idoso que sofre a sua pobreza tantas vezes envergonhada. O jovem que tem de fazer tudo menos aquilo para que se preparou anos a fio. O desempregado que tem de começar de novo o seu caminho, mais desamparado, mais angustiado, amiúde mais velho.
Encontro, encontramos, desses heróis todos os dias na realidade aparentemente mais anónima. Banalizando os heróis da ficção, da televisão, dos cortejos da fama.


- Posted using BlogPress from my iPad

Comentários