Estar na Figueira da Foz

Em férias, é claro

Marina com ponte à vista

Estar na Figueira da Foz, mesmo por curtos períodos de tempo, é sentir-me longe de algumas rotinas que cansam. Outros ambientes, embora com ventos semelhantes aos das minhas terras de origem, as Gafanhas, que a ria e o mar acarinham, dão-me uma certa tranquilidade, que para mim vale oiro.
Chegámos à tardinha. Eu e a minha Lita já por cá não passávamos há meses, por estranho que possa parecer. A vida é assim. Arrumadas as malas, sacos, saquinhos e saquetas, cai a noite. Na varanda, agora, com a cidade iluminada, indícios de que há muita gente em férias, ensaio o programa de amanhã. Na lista consta uma visita ao mar, de passagem apenas, já que é o mesmo nas nossas praias da Barra e Costa Nova, seguindo depois para a foz do Mondego, bem emoldurado por obras recentes. Depois direi e mostrarei.
A Figueira da Foz, a praia da moda de há décadas, não terá a fama que lhe acrescentou vida social e económica. Mantém, contudo, marcas indeléveis desse tempos áureos, de que apresentarei alguns registos fugazes, embora. Que as férias não são para grandes canseiras. 
Aproveito para desejar aos meus amigos o merecido descanso, valorizado por alegria e otimismo, que urge cultivar

Comentários