O artesão Jorge Cardoso continua a criar

Na garrafinha está o presépio

Hoje foi dia de curto passeio para descontrair. Obras em casa provocam sempre um natural desgaste. E ainda não terminaram. Mais uns dias e tudo ficará operacional. 
De passagem pelo Continente, em Aveiro, encontrei o Jorge Cardoso numa feira de fim de semana com artesanato por tema. Este conterrâneo, que conheço há bons tempos, lá estava a atender clientes e curiosos. O seu artesanato é original. Acho que todo o artesanato tem o seu quê de original. 
Desta feita apreciei, com mais cuidado, os seus trabalhos feitos com grãos de arroz. Uns dentro de garrafas minúsculas e outros em belíssimas composições que só o rigor, o cuidado e a arte de manusear produtos tão pequenos explicam. 
Dele ouvi que, para além de manter vivas as suas criações que de início o apaixonaram, com base na utilização de amendoins devidamente tratados para não se deteriorarem, a sua arte não pode estacionar no tempo. Há continuamente desafios que o animam a prosseguir. E ainda nos disse que estará no Festival do Bacalhau em dois espaços: a banca com as suas produções ditas normais e uma oficina para construção de papagaios. Mas disso falaremos na altura, porque há inovações, garantiu-nos o Jorge.

- Posted using BlogPress from my iPad

Comentários