A bicicleta do Padre Manuel Maria

Merecida homenagem a um homem bom 


Um objeto de pessoa que estimamos, cuidado e guardado com gosto, é sempre uma homenagem merecida. Esse objeto, por mais simples que seja, torna presente as boas recordações que essa pessoa nos suscitou ao longo da vida. A bicicleta do Padre Manuel Maria Carlos, restaurada a rigor, tem agora lugar cativo no Museu Paroquial da Gafanha da Nazaré, graças à sensibilidade do nosso prior, Padre Francisco Melo, e ao saber e esmero do restaurador João Vinagre.
Quando nos foi dada a notícia do restauro da velha bicicleta, surgiu de imediato a necessidade de apreciar o trabalho levado a cabo pelo João Vinagre, motorista marítimo reformado e apaixonado por este tipo de tarefas, por simples prazer e para ocupar o tempo de forma saudável e útil. Já restaurou mais de 20 bicicletas e tem cinco em mãos. A arte de reparar e restaurar bicicletas veio-lhe da juventude, quando aprendeu e trabalhou numa oficina de seu tio Joaquim Vinagre, antes de enveredar pela mecânica, que o levaria a embarcar e a seguir a profissão de motorista marítimo. 
Olhámos para a bicicleta, que lhe foi entregue em «péssimo estado, com peças podres e uma roda inadequada», e logo nos veio à memória o Padre Manuel Maria, que a utilizava nas suas voltas pela Gafanha da Nazaré, tal como pela Torreira, onde foi pároco, entre 1960 e 1974.

O João começou por desmontar tudo, peça por peça, reconstruindo o que foi possível. Depois seguiu o caminho normal nestas tarefas, procurando, em casas da especialidade, as componentes de origem e das respetivas marcas, porque era fundamental dar dignidade à bicicleta, garantiu-nos. 
Durante a conversa que mantivemos com o João, percebemos o entusiasmo que pôs neste serviço e a admiração que nutria pelo Padre Manuel Maria, um sacerdote que viveu humildemente, dando a toda a gente o exemplo de serenidade e integridade, com total dedicação ao Evangelho que pregava, de forma muito simples e compreensiva, levando-o à prática no seu dia a dia.
Referiu o João Vinagre que a bicicleta terá mais de 60 anos, marca Veneza Sport, quadro, guiador, dínamo e farol Bosch (Germany), intactos, selim de molas longas e com capa de cabedal que foi possível encontrar, rodas 26x1-3/8, mudanças de três velocidades, caixa inteira de proteção da corrente (antiga) e campainha. A bomba, de marca Veneza, foi oferecida por um amigo. A pintura da bicicleta foi executada em estufa numa fábrica. Tudo feito com rigor e responsabilidade, o João ofereceu o serviço e demais despesas à paróquia. 
Como era de lei, o Padre Manuel Maria estava bem identificado na chapa que diz: P. Manuel M. Carlos B. Murtosa. A matrícula 1 – MRS 06-10.
Não se sabe quando foi adquirida a bicicleta, mas sabe-se que a matrícula veio da Câmara Municipal da Murtosa, município a que pertencia, como pertence, a paróquia e freguesia da Torreira, paroquiada pelo Padre Manuel Maria até 1974, ano em que voltou para a Gafanha da Nazaré, para ajudar o pároco, como nos confidenciou em 1973, ano em que o visitámos na Torreira. 
Nascido em 3 de outubro de 1911, foi ordenado presbítero em 6 de abril de 1935. Faleceu em 12 de junho de 2004. Como sacerdote, trabalhou em Ancas e Amoreira da Gândara, Vagos, Glória (capelão de Vilar), Recardães, Torreira e Gafanha da Nazaré. 

Fernando Martins


Comentários