Faleceu o jornalista Oscar Mascarenhas

Óscar Mascarenhas ao centro (foto do PÚBLICO)

Não conheci de perto Oscar Mascarenhas, embora tenha participado num encontro de jornalistas no qual foi preletor de temas ligados à comunicação social. Pelo que vi e ouvi, Oscar Mascarenhas gostava de pôr os “alunos” a pensar antes de expor as suas ideias. E foi precisamente uma questão que lançou como desafio que me ficou para a vida. Perguntou ele, com toda a naturalidade, qual era o grande objetivo dos jornalistas. Os presentes não se cansaram de dissertar sobre as funções de quem trabalha nos órgãos de comunicação social: Têm de informar, formar, esclarecer, anunciar, denunciar, apontar caminhos, comentar, divertir, etc. etc.
Oscar Mascarenhas deixou falar e continuava a desafiar os presentes, ao jeito de quem ainda não estava satisfeito com as definições de jornalista. E depois de longa conversa, com ele a assistir, meio calado e interrogativo, como quem aguarda uma síntese que tudo englobe, diz, mais palavra menos palavra: — Compete ao jornalista contribuir para a construção de um mundo melhor. E todos disseram Amém.
Que descanse em paz.


Comentários