Há tempo para tudo


Há tempo para tudo, mas tenho a sensação de que o tempo agora corre mais depressa. Voa a velocidade louca e nem tempo temos para contemplar certas margens dos caminhos da vida. Hoje, dei conta da rapidez com que passou a semana. Parece que ainda há pouco, há poucochinho, era domingo e já estamos no fim de semana. 
Para quem trabalha, espera-se por esta hora com ansiedade, com apetite insaciável para usufruir do prazer de viver dois dias descontraidamente. Para os aposentados ou reformados, com todo o tempo do mundo, não será assim. E neste cogitar sobre o tempo lembrei-me deste texto do Eclesiastes, Edição Literária da Bíblia, cuja tradução se lê com mais gosto.



Neste mundo, tudo tem a sua hora;
cada coisa tem o seu tempo próprio.


Há o tempo de nascer, e tempo de morrer;
o tempo de plantar e o tempo de arrancar;
o tempo de matar e o tempo de curar;
o tempo de destruir e o tempo de construir;
o tempo de chorar e o tempo de rir;
o tempo de estar de luto e o tempo de dançar;
o tempo de atirar pedras e o tempo de as juntar;
o tempo de se abraçar e o tempo de se afastar;
o tempo de procurar e o tempo de perder;
«o tempo de guardar e tempo de deitar fora;
o tempo de rasgar e o tempo de coser;
o tempo de calar e o tempo de falar;
o tempo de amar e o tempo de odiar;
o tempo de guerra e o tempo de paz.


Do Eclesiastes,
Edição literária da Bíblia

Comentários