Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2015

Fantoches, Robertos...

Imagem
Foi provavelmente em 1949 ou no ano seguinte do século passado que pela primeira vez assisti a um curto espetáculo de Fantoches ou Robertos. Já estudava em Aveiro. Aconteceu no Rossio, palco habitual à época da Feira de Março, mas o certame já teria terminado. Estava bom tempo e a malta andava por ali a usufruir uns "feriados".  Aparece, entretanto, um homem com uma coisa esquisita às costas. Junto dele vinha um outro com uma máquina de filmar. Atrás deles seguiam uns miúdos da minha idade que davam a impressão de alguma familiaridade. Sabiam ao que iam, talvez por terem participado no espetáculo num outro recanto da cidade.  O homem pousa a espécie de barraca sem teto, ficando dentro dela, e de repente surge no ar um fantoche a saudar-nos com um olá numa voz fina mas roufenha. E outro salta com um pau na mão desancando no primeiro. O homem da máquina de filmar começa a orientar o pessoal assistente, recomendando que não olhássemos para ele. Qual quê! Todos deitávamos uns…

Alegria, Amor, Sofrimento

"Toda a alegria vem do amor, e todo o amor inclui o sofrimento"
Abílio de Guerra Junqueiro  (1850-1923)

Escuta Jesus, o Filho de Deus

Imagem
Reflexão de Georgino Rocha

Escutar Jesus, eis a ordem do Pai que tinha falado muitas vezes ao longo da história. Mc 9, 2-10. Agora é o seu Filho muito amado que tem a Palavra, ou melhor, é a Palavra de Deus num mundo cheio de vozes e mensagens. Segundo a Bíblia, escutar não é apenas prestar atenção ou exercer uma actividade auditiva que facilita a compreensão intelectual do que é dito. É mais, pois exige a aceitação da mensagem, a atitude de quem deseja ser coerente e viver em sintonia, a decisão de lhe ser fiel. Que bem nos faria saber ouvir. Não percamos a força do seu apelo.

Sobre sexo e género. 1

Imagem
Crónica de Anselmo Borges  no Diário de Notícias


No contexto dos debates sobre a família no Sínodo e de alguns pronunciamentos oficiais de responsáveis da Igreja, pouco adequados, sobre o feminismo e teorias de género, deixo algumas reflexões sobre o tema, retomando ideias expandidas no prefácio que escrevi para Vagina, de Naomi Wolf, uma feminista considerada da terceira vaga
1. Os seres humanos são o que são enquanto produto inextirpável de uma herança genética e de uma cultura em história. Será muito difícil destrinçar exactamente o que pertence à natureza e o que pertence à cultura. A questão agrava-se no que se refere à tentativa de definir o masculino e o feminino.

2.ª Mostra de Robertos e Marionetas

Imagem
No Centro Cultural da Gafanha da Nazaré, está patente, até 26 de abril, a 2.ª Mostra de Robertos e Marionetas. Durante a mostra houve oficina de construção de marionetas em esponja, palestra sobre a marioneta como terapia e espetáculos, de que destacamos "O Barbeiro e A Tourada", "Para que servem as mãos", "Dom Roberto e a Namorada", "O Burro Teimoso" e "Robertos e Outras Marionetas",como se lê no desdobrável promocional. O piso 0 foi «dedicado às companhias de teatro de marionetas, com atividade regular, numa abordagem contemporânea», sendo que  os  conteúdos expostos «refletem a atualidade das Marionetas em Portugal, descendentes da sua primeira forma: o Teatro Dom Roberto». No piso 1,  há Robertos em exposição (espólio de marionetas), com realce para o espólio das peças “O Barbeiro” e a “Tourada à Portuguesa” das Marionetas da Feira.  É oportuno sublinhar que uma exposição deste género não se destina apenas a crianças, porque os ad…

“O Lado de Dentro do Lado de Dentro”

Imagem
“O Lado de Dentro do Lado de Dentro” é uma coletânea de poemas e outros textos editada pela Associação de Ideias para a Cultura e Cidadania e coordenada por Filipe Lopes, um voluntário junto dos reclusos, integrando o projeto “A Poesia não tem grades”, que existe desde 2003. O seu voluntariado apoia-se essencialmente em levar literatura aos reclusos, recolhendo deles, também, poesia e outros textos.  A venda deste livro, que inclui colaborações de Afonso Cruz, Alice Vieira, Catarina Fonseca, Duarte Belo, Filipa Leal, Richard Zimler, Rowan Schelten e Nuno Garcia Lopes, entre outros, vai traduzir-se num precioso contributo para que o projeto “A Poesia não tem grades” continue em todos os Estabelecimentos Prisionais do nosso país. As fotografias do interior são de Duarte Belo e a foto da capa é de Rowan Schelten.

A tua alma começará a sentir a sua profundidade  quando deixares de fugir do silêncio.
Despe-te dos teus medos, lágrimas, sonhos, desejos, esperanças, regras e ressentimentos; Deu…

Um poema de Miguel Torga

Imagem
CORDIAL
Não pares, coração! Temos ainda muito que lutar. Que seria dos montes e dos rios Da nossa infância Sem o amor palpitante que lhes demos A vida inteira? Que seria dos homens desesperados, Desamparados Do conforto das tuas pulsações E da cadência surda dos meus versos? Não pares! Continua a bater teimosamente, Enquanto eu, Também cansado Mas inconformado, Engano a morte a namorar os dias Neste deslumbramento, Confiado Em não sei que poético advento Dum futuro inspirado.
Coimbra, 30 de Janeiro de 1991
 In “Miguel Torga – Poesia Completa”

Palmeiras do Oudinot

Imagem
As palmeiras sempre me atraíram desde pequeno, talvez por serem raras nos meus horizontes de miúdo gafanhão, que nunca chegaram longe. Quando muito, até Aveiro e Ílhavo, na companhia dos meus pais. Havia uma que até veio dar nome a um café, o Café Palmeira. Ficava junto ao estabelecimento comercial do senhor Zé da Branca, que, além de comerciante, foi industrial das pescas e proprietário de marinhas de sal, segundo creio. À sombra dessa palmeira ou à volta dela se juntava a malta, em especial aos domingos, sobretudo quando ele resolveu montar uma aparelhagem sonora com um altifalante de corneta, para se ouvir à distância. O pessoal mais novo ou de espírito mais gaiteiro, como então se dizia, dançava que se fartava. E a palmeira ainda lá continua. Hoje, porém, para satisfazer este meu gosto, aqui deixo aos meus leitores palmeiras do Oudinot, perfiladas, ao jeito de quem está a proteger alguém das investidas dos ventos.

Farol da Barra de Aveiro

Imagem
Uma evocação para avivar memórias
O Farol da Barra de Aveiro, situado em pleno concelho de Ílhavo, na Gafanha da Nazaré, é um ex-líbris da região aveirense. Imponente, não há por aí quem o não conheça como o mais alto de Portugal e um dos mais altos da Europa. Já centenário, faz parte do imaginário de quem visita a Praia da Barra. Quem chega, não pode deixar de ficar extasiado e com desejos, legítimos, de subir ao varandim do topo, para daí poder desfrutar de paisagens únicas, com mar sem fim, laguna, povoações à volta e ao longe a dominar os horizontes, os contornos sombrios das serras de perto e mais distantes. À noite, o seu foco luminoso, rodopiante e cadenciado, atrai todos os olhares, mesmo os mais distraídos, tal a sua força. Mas são os navegantes, os que podem correr perigos ou desejam chegar à Barra de Aveiro em segurança, os que mais o apreciam, sem dúvida.
Ler mais aqui

Padre João Gonçalves — O Padre das Prisões

Imagem
Participei no sábado à tarde, no edifício da Assembleia Municipal de Aveiro e antiga Capitania, na apresentação do documentário “O Padre das Prisões”, que retrata o trabalho do Padre João Gonçalves, capelão do Estabelecimento Prisional de Aveiro e Coordenador Nacional da Pastoral das Prisões, junto dos reclusos. O documentário resulta de um desafio do Padre João lançado às irmãs Inês e Daniela Leitão, argumentista e realizadora, respetivamente, que há bons meses foram recebidas pelo Papa Francisco, a propósito de “O meu bairro”, documentário que mostra a ação pastoral de Missionários da Consolata. O Padre João Gonçalves é um sacerdote de causas, que não se fica pelas meias tintas. Anda há 40 anos nesta missão de assistência espiritual e não só aos reclusos na Cadeia de Aveiro, sem descurar outros trabalhos eclesiais e sociais, bem conhecidos de todos os aveirenses, a par da coordenação nacional da pastoral direcionada para os que se encontram privados da liberdade, por crimes que a…

Necessidades

«Quem não tem necessidades  próprias  dificilmente se lembra das alheias»
Mateo Alemán (1547-1614), escritor espanhol

NOTA: Admiro muito os que, com meia dúzia de palavras, conseguem transmitir mensagens verdadeiramente intemporais.

Mudar radicalmente a religião (1)

Imagem
Crónica de Frei Bento Domingues 
no PÚBLICO



Os caminhos de Deus não se podem  confundir com os de uma só religião


1. Não tive condições para seguir as cerimónias que envolveram a nomeação dos novos “príncipes da Igreja”. Um amigo, pouco dado a críticas à hierarquia eclesiástica, manifestou-me, no entanto, o seu desapontamento. Daquilo tudo, só as palavras do Papa estavam ajustadas a um programa de reforma da cúria e da Igreja. Seria arcaico exigir dos novos cardeais vestes parecidas com as do carpinteiro de Nazaré. Mas aquele espectáculo era a reprodução de sempre do mau gosto purpurado. As delegações portuguesas, ao convidar o Papa para vir a Fátima, revelaram pouca imaginação e, até parece, uma oposição ao seu programa. Seja como for, importa redescobrir o papel das religiões no mundo, na Europa e em Portugal. O que as terá anestesiado para que, durante estes anos todos de miserável humilhação dos povos do Sul da Europa e de transformação do Mediterrâneo num cemitério medonho, não tenh…

“As sopas da Avó entr’outros sabores e saberes”

Imagem
Mais um livro de Manuel Olívio da Rocha

“As sopas da Avó entr’outros sabores e saberes” é mais um livro de Manuel Olívio da Rocha em edição familiar, com capa de Domingas Vasconcelos. Trata-se de um brinde de Natal, o 26.º da coleção “Cadernos de Família”, extensivo apenas a alguns amigos, que não deixarão de saborear o trabalho decerto intenso do autor, durante todo o ano. Se Deus quiser, no próximo Natal há mais, talvez com tema que ninguém ousará adivinhar.  Quando este brinde me chega, é certo e sabido que fica logo no sítio ideal para uma leitura serena, até porque o seu conteúdo não é nem tem sido para ser engolido sem mastigar, como quem bebe um batido de amoras silvestres. Devo confessar que este livro  está profusamente recheada de informação consistente, de curiosidades inesperadas para muitos, de saberes acumulados ao longo de anos pelo Manuel Olívio, criteriosamente guardados na sua memória poderosa e nos seus arquivos certamente bem ordenados.

Não a ofertas à custa da injustiça

Imagem
Não se podem fazer ofertas à Igreja 
às custas da injustiça com os trabalhadores,  sublinha papa Francisco

«O papa sublinhou hoje , no Vaticano, a importância da coerência entre a espiritualidade da Quaresma, que acentua a esmola, o jejum e a oração, e os comportamentos sociais dos cristãos, designadamente com as pessoas mais pobres. «O amor a Deus e o amor ao próximo são uma unidade, e se tu queres fazer penitência, real, não formal, deves fazê-la diante de Deus e também com o teu irmão, com o próximo», afirmou Francisco na homilia da missa a que presidiu, refere a Rádio Vaticano.»
Li aqui
- Posted using BlogPress from my iPad

Solidão e ética do cuidado

Imagem
Crónica de Anselmo Borges  no DN


Italo Calvino escreveu, em As Cidades Invisíveis: "A cidade de Leónia refaz-se a si própria cada dia que passa: todas as manhãs a população acorda no meio de lençóis frescos, lava-se com sabonetes acabados de tirar da embalagem, veste roupas novinhas em folha, extrai do mais aperfeiçoado frigorífico frascos e latas ainda intactos, ouvindo as últimas canções no último modelo do aparelho de rádio. Nos passeios, embrulhados em rígidos sacos de plástico, os restos da Leónia de ontem esperam o carro do lixo. Não só tubos de pasta dentífrica bem apertados, lâmpadas fundidas, jornais, contentores, restos de embalagens, mas também esquentadores, enciclopédias, pianos, serviços de porcelana: mais do que pelas coisas que dia-a-dia são fabricadas, vendidas, compradas, a opulência de Leónia mede-se pelas coisas que dia-a-dia se deitam fora para dar lugar às novas. De tal modo que há quem se interrogue se a verdadeira paixão de Leónia é realmente como dizem o g…

Aprender a viver; aprender a morrer

"Quando eu pensar que aprendi a viver, terei aprendido a morrer."
Leonardo da Vinci  (1452-1519)

- Posted using BlogPress from my iPad

Mensagem quaresmal do Bispo de Aveiro

Imagem
Jesus é o Filho de Deus: escuta-O!



«A decadência do catecumenado trouxe alguns elementos positivos que importa realçar: estruturou-se a Quaresma como um período intenso de formação dos futuros batizados, e a Igreja, como boa mãe, alimenta, com o seu ensino e os ritos litúrgicos aqueles que já renasceram na fonte das águas batismais, mas ainda necessitam continuar a crescer na fé.»


Ler a Mensagem aqui

Vencer a tentação da indiferença

Imagem
Reflexão de Georgino Rocha


Após o baptismo, Jesus dirige-se imediatamente ao deserto. Mc 1, 12-15. Os Evangelhos mostram-nos o contraste aqui ocorrido: Ele, que havia sido proclamado Filho de Deus é tentado na sua condição divina para que mostre “o que vale e o que pode”. As obras seriam as suas credenciais por excelência. O prestígio do poder, a ganância fácil da economia, o pronto socorro da religião são-lhe propostos como caminhos de realização da sua missão. A tentação sedutora tem como fundamento as apetências humanas e como motivação próxima a prova de Jesus ser o Filho de Deus. Por isso continua tão actual e a dominar muitos corações.

Foto do Dia — Barcos em descanso

Imagem

Foi há 40 anos que faleceu o meu pai

Imagem
Foi há 40 anos que faleceu o meu pai, Armando Lourenço Martins, mais conhecido por Armando Grilo. Parece que foi há dias, tão presente tenho esse momento doloroso na minha memória. A partir do dia 20 de fevereiro de 1975, a sua recordação faz parte da minha existência. Não há dia sem o seu sorriso, a sua voz forte e doce, as suas mãos calosas de tantas lutas na vida, de trabalho sem férias. Desde os 14 anos na pesca do bacalhau e depois nas instalações em terra da EPA (Empresa de Pesca de Aveiro), nunca gozou férias na verdadeira aceção da palavra.  Quando as teve, ficava envolvido em tarefas caseiras e no quintal da nossa casa. Ria-se quando eu lhe sugeria que fosse passear com a minha mãe, embora algumas vezes desse uma volta comigo e com o meu irmão. Mais nada. Morando perto de mim, todos os dias nos visitava para brincar com os netos, com os quais tanto se ria e gargalhava.  Morreu com enfarte no miocárdio. Às três horas da manhã, um médico diagnosticou-lhe dores no estômago e s…

Mensagem do Papa para a Quaresma

Imagem
Fortalecei os vossos corações(Tg 5, 8)

«Quando estamos bem e comodamente instalados, esquecemo-nos certamente dos outros (isto, Deus Pai nunca o faz!), não nos interessam os seus problemas, nem as tribulações e injustiças que sofrem; e, assim, o nosso coração cai na indiferença: encontrando-me relativamente bem e confortável, esqueço-me dos que não estão bem! Hoje, esta atitude egoísta de indiferença atingiu uma dimensão mundial tal que podemos falar de uma globalização da indiferença. Trata-se de um mal-estar que temos obrigação, como cristãos, de enfrentar.»
Ler toda a Mensagem aqui

Foto do Dia — Painel cerâmico

Imagem
As marcas de Aveiro para memória futura.  Propósito: olhar, apreciar, registar e partilhar.

Líder religioso saudita diz que a Terra está parada

Imagem
Não será brincadeira de carnaval?


Quando se comemoram os 451 anos do nascimento de Galileu Galilei, astrónomo que defendeu o heliocentrismo, 
um sheik saudita deixou os estudantes boquiabertos com a sua teoria

«A Terra não anda à volta do Sol e está, na verdade, parada. Foi esta a teoria apresentada pelo sheik Bandar al-Khaibari, numa palestra para estudantes numa universidade dos Emirados Árabes Unidos no domingo. O líder religioso saudita acredita precisamente naquilo que Nicolau Copérnico e Galileu Galilei tiveram de contrariar há cerca de 500 anos, quando a teoria do geocentrismo colocava a Terra imóvel no centro do universo. Com o heliocentrismo mais do que comprovado cientificamente, quando se comemoram precisamente 451 anos do nascimento do astrónomo italiano Galileu Galilei (a 15 de fevereiro de 1564), o sheik saudita foi à universidade dizer que se a Terra se movesse os aviões não poderiam nunca chegar ao seu destino. No vídeo colocado no Youtube, ouvem-se as explicações deste …

AVEIRO: “O padre das prisões” é apresentado no dia 21

Imagem
Documentário de Daniela e Inês Leitão 
acompanha o padre João Gonçalves como responsável 
pela Pastoral Penitenciária portuguesa


«A apresentação do documentário “O padre das prisões”, que relata a história do padre João Gonçalves como coordenador da Pastoral Penitenciária portuguesa, está agendada para o próximo dia 21, em Aveiro. A obra, com realização de Daniela Leitão e guião de Inês Leitão, estará disponível nas redes sociais durante o dia 20, Dia Internacional da Justiça Social. No dia seguinte, Aveiro acolhe a apresentação oficial (16 horas, antiga Capitania). Lisboa, Braga e Porto também receberão sessões de divulgação, embora ainda sem datas conhecidas.»
NOTA: Texto e foto do Diário de Aveiro

Movimento de Schoenstatt no Jornal i

Imagem
«Marcos e Raquel, casados, Rita, a aguardar a decisão final sobre a anulação de um casamento, e João Pedro, a terminar a faculdade. Mingas, a representante da juventude feminina, não pôde, à última hora, estar presente. Só leigos e nenhum sacerdote, por incompatibilidade de horários. Mas, por telefone, o padre José Melo, coordenador das actividades do Movimento de Schoenstatt, viria a explicar que estava muito bem assim, porque "estrutura não é piramidal, é federativa". E depressa se percebe que, sem uma hierarquia vincada, este tipo de estrutura é uma das marcas-d'água da instituição, um dos movimentos católicos mais elitistas e por muitos considerado ultra-conservador. Riem-se os quatro quando pergunto se estão de acordo e, à laia de brincadeira, lhes peço os apelidos: Frescata, Fontoura e Duarte. A intermediária do encontro é Rocha e Melo. Coincidência. Acontece que o santuário de Lisboa, à volta do qual se realizam todas as actividades, foi construído no Restelo, um…

Passadiços devolvidos à Praia da Barra

Imagem
Terminou hoje, 16 de fevereiro, a obra de reposição dos Passadiços da Praia da Barra, da responsabilidade da Agência Portuguesa do Ambiente, no seguimento dos danos causados pela forte  agitação marítima e temporal do inverno passado. Inaugurados a 6 de abril de 2013, numa extensão de 1100 metros, entre o Molhe Sul e o fim da área concessionada da Praia da Barra (a norte), os passadiços ficaram seriamente danificados. A reposição dos passadiços vem complementar a empreitada de alimentação artificial  da Praia da Barra, surgindo agora numa posição mais recuada face ao inicial e obedecendo a uma lógica preventiva e de adaptação às novas condições que a própria praia adquiriu. Desta forma, fica garantida a existência de um importante elemento de qualificação da vivência e  fruição da Praia da Barra.
Fonte: CMI

As mulheres chegaram demasiado tarde?

Imagem
Crónica de Frei Bento Domingues  no PÚBLICO

1. Na paisagem pós-religiosa da Europa não foi necessária nenhuma heroicidade para organizar, em Paris – e noutras cidades -, a grande procissão para defender a liberdade de expressão, mesmo acerca das religiões. Nas Filipinas, 6 milhões foram participar com o Papa Francisco na celebração da Eucaristia para rezar e resistir ao imenso sofrimento dos pobres de todos os continentes, a blasfémia contra o ser humano.  Estava a pensar nisto quando deparei com dois livros, que vinham ao encontro de alguns temas que me preocupam. O primeiro [1] é de um bispo, carregado de doutoramentos e coordenador nacional do serviço do episcopado francês, no tocante à pastoral, às novas crenças e às derivas sectárias. Ao observar o que aparece nos meios de comunicação contra o cristianismo e contra a Igreja católica e, por outro lado, a velocidades com que o ateísmo e um certo paganismo alargam a sua influência, não ficou parado: procurou responder a essas crítica…

Púrpura e periferias

Imagem
Crónica de Anselmo Borges  no DN

1. Como tinha anunciado, o Papa celebra hoje e amanhã no Vaticano a cerimónia de criação de vinte novos cardeais, dos quais, porque têm menos de 80 anos, quinze são eleitores do novo Papa, num eventual conclave. Anteontem e ontem, Francisco examinou com o Colégio Cardinalício, uma espécie de Senado da Igreja, que agora representa 73 países de todo o mundo, a reforma da Cúria Romana, desafio fundamental. De facto, sem uma reforma radical, consistente e duradoura, "constitucional", da Cúria, não se cumprirá uma tarefa essencial para Francisco. Como já tinha acontecido na primeira nomeação de novos purpurados, há um ano, Francisco fez questão de abandonar critérios tradicionais de escolha. Assim, ficaram sem cardeal grandes cidades como Veneza e Bruxelas e só um membro da Cúria ascendeu ao cardinalato. Mas o arcebispo de Santiago, Arlindo Gomes Furtado, tornou-se o primeiro cardeal de Cabo Verde na história, o arcebispo de Rangun, o primeiro card…

QUERO, FICA LIMPO

Imagem
Reflexão de Georgino Rocha



Jesus curou-me. Jesus limpou a minha lepra. Jesus tocou o meu corpo impuro. Jesus deu-me saúde. E de outros modos, ia lançando o brado da feliz notícia o homem recuperado na sua dignidade. Mc 1, 40-45. A experiência feita enche-o de entusiasmo e de júbilo, de alegria incontida e de coragem ousada. Aconteceu nas ruas de Cafarnaúm, próximo do Mar da Galileia. O encontro pessoal com Jesus, o pedido ardente que lhe faz e a prontidão generosa com que é atendido abrem-lhe novos horizontes e provocam-lhe atitudes de vida contrastantes com as ordens recebidas.

Josué Ribau em entrevista ao jornal Timoneiro

Imagem
A música é realmente o melhor antidepressivo

O fascinante mundo da música volta este mês ao Timoneiro com outras facetas, entrevistando um entendido nas áreas do colecionismo, construção e restauro de instrumentos de corda, com o bandolim na linha da frente de um conjunto de 80 peças, cada uma com a sua história, de origens diversas.  Josué Ribau Teixeira, 65 anos, casado com Maria Aldina Matias, um casal de filhos e duas netas, professor de Educação Física aposentado, resolveu aprender música há três anos. Solfejo e teoria musical, dedicando-se também ao bandolim, foram as suas opções. «Dá-me gozo tocar para mim e isso me basta», não tendo pretensões de exibições públicas, sublinha. Não toca de ouvido, mas segue a leitura da pauta, estando já familiarizado com símbolos e sinais. E sobre as músicas, frisou que tudo está mais facilitado, porque estão à venda na Net a preços acessíveis. «Os portes são mais caros que as próprias músicas, por vezes», disse. Na altura, o fumador, que o foi…

O "Cozido das Furnas" vai ser taxado por "panela"

Imagem
Câmara Municipal da Povoação  anunciou as tarifas para a confeção  do cozido das Furnas


«Segundo a autarquia, "a partir de 01 de março serão aplicadas a tarifa de entrada, a tarifa de panela de cozido e a tarifa de estacionamento", mas os residentes nas Furnas estarão isentos. "A entrada custará 50 cêntimos, por pessoa, com isenção a crianças até 12 anos, aos residentes na Freguesia das Furnas e a todos quantos possuam o Cartão Amigo do Parque da Direção Regional do Ambiente. Estão ainda isentos o portador do cozido, os Guias Turísticos, os empresários da restauração e dos táxis e os condutores de autocarros", adianta o município, numa nota. No que toca aos cozidos, custará "aos particulares três euros por panela e os empresários da restauração pagarão 2,5 euros por panela".»
Li no DN
Nota: Do cozido das Furnas, em S. Miguel, Açores, tenho ouvido  falar há muito. Mais agora, que o meu filho João Paulo exerce por aquelas bandas a profissão de professor, Como…

Sexta-feira, dia 13 de fevereiro

Imagem
Superstição
1. desvio do sentimento religioso que consiste em atribuir a certas práticas uma espécie de poder mágico, ou pelo menos uma eficácia sem razão 2. crença sem fundamento nos efeitos mágicos de determinado objeto, ação ou ritual, crença irracional, crendice
Dos dicionários
Sobre a superstição, o dicionário é claro. Nada tenho a acrescentar. Apenas quero sublinhar que não sou nem nunca fui supersticioso. Mas conheço gente que o é, apesar de possuir alguma cultura. E quando a sexta-feira calha num dia 13, é certo e sabido que muitos sorriem por achar graça à coincidência, crentes ou não crentes. E como esta há outras superstições que limitam ou podem limitar a liberdade natural das pessoas que acreditam no azar ou na sorte que elas possam suscitar. Não há gato preto que me assuste, nem uivo de cão que me incomode, nem pio de mocho que me perturbe. Entro em qualquer sítio com o pé que calhar e quando jogava à bola não me benzia ao entrar no campo, como fazem alguns jogadores de fut…

Não me levem a mal

Imagem
Vem aí o carnaval de tantas tradições em muitas terras do nosso país e no mundo em geral. Não me levem a mal, mas é festa que nada me diz. Não me perguntem porquê, porque não sei explicar. Sempre fui assim. Contudo, nada tenho contra os que a vivem com intensidade transbordante estes festejos.  Desde menino que via passar os mascarados a que não achava graça nenhuma. Muitos, a pé ou de bicicleta, mais tarde de motorizada e até de carro, exibiam-se naturalmente e falando com disfarce de voz, levando-nos a tentar descobrir quem eram eles. Ficava-se por aí,  e a caravana, muito diferente do que veio depois, continuava. Não muito grande, é claro. Mais tarde, com o tempo, as coisas refinaram-se.  Em épocas ainda da minha meninice e juventude, surgiram as cegadas em que o Armando Ferraz foi mestre. Eram grupos maiores que se exibiam em zonas estratégicas da nossa terra e que tinham a sua graça. Tudo passou e presentemente o carnaval movimenta imensa gente, em algumas povoações, com organ…

Postal Ilustrado — Ponte da Barra

Imagem
Quem de perto ou de longe contempla o Canal de Mira, que se estende desde aquela ridente vila até ao mar, bem perto de Boca da Barra, não pode deixar de fixar a Ponte da Barra que veio substituir, em 1974, a velha ponte de madeira que ligava o lugar do Forte ou Castelo da Gafanha à Praia da Barra. Inaugurada e aberta em plenitude ao trânsito naquela data, veio facilitar de forma radical a circulação automóvel e pedonal, que se fazia através da Gafanha da Nazaré, de forma caótica em pleno verão. Se ainda hoje, em plena época balnear, as filas em direção às praias ficam bloqueadas, imagine-se como seria na atual Avenida José Estêvão antes da construção da ponte. Considerada, anteriormente, fundamental para um regular acesso às praias da Barra e Costa Nova, com o consequente desvio do trânsito da Gafanha da Nazaré, a Ponte da Barra foi reconhecida como uma mais-valia, tanto para os moradores e frequentadores daquelas estâncias balneares como para os habitantes da nossa terra e quantos…

A Idade não nos Torna mais Sábios

«As pessoas imaginam que precisamos de chegar a velhos para ficarmos sábios, mas, na verdade, à medida que os anos avançam, é difícil mantermo-nos tão sábios como éramos. De facto, o homem torna-se um ser distinto em diferentes etapas da vida.»
Johann Wolfgang von Goethe
Li aqui

Papa num Bairro de Lata

Imagem
«O papa Francisco, que adotou a preocupação com os pobres como pilar central do seu papado, fez no domingo uma visita-surpresa a um bairro de lata próximo de Tiburtina, nos arredores de Roma. "Quantos de vocês falam espanhol? ", perguntou o papa Francisco. "Todos! Todos!", respondeu a população, na sua maioria natural de países da América Latina, em particular do Peru e do Equador. A visita do sumo pontífice deu visibilidade às duras condições de vida dos clandestinos em Itália. O pároco de San Michele Arcângelo, Aristide Sana, assinalou que a visita do papa Francisco deu alento aos cerca de 150 moradores de Ponte Mammolo. O papa rezou o Pai Nosso em castelhano e abençoou ainda os fiéis. Depois, despediu-se com afeto.»
Li no Correio da Manhã;  texto de João Saramago.

As vantagens de não se julgar infalível (II)

Imagem
Crónica de Frei Bento Domingues 
no PÚBLICO de domingo



1. Há vantagens em não se julgar infalível. A primeira de todas talvez seja esta: o mundo não começou comigo nem vai acabar quando eu morrer. Os que jogaram ou jogam na ficção da infalibilidade gostariam de parar o tempo que vai medindo todas as mudanças. A verdade, no entanto, nunca é uma posse definitiva, mas um horizonte irrenunciável que exige um trabalho nunca acabado. A busca da “teoria de tudo”, para explicar o universo, pode ser um grande motor de investigação, mas por enquanto ainda vive no campo dos sonhos fecundos. Há pessoas e instituições que retardam, quanto podem, as mudanças. A chamada cultura tradicional procura assegurar a reprodução do passado no futuro. O método era o da iniciação das crianças nas teias do passado e acrescentar-lhes um feitiço, um tabu, que desgraçaria a vida de quem violasse essa herança. A cultura moderna coloca o acento na inovação do conhecer e do fazer: fazer acontecer o que nunca tinha aco…

Benefícios da jardinagem

Imagem
Crónica de Maria Donzília Almeida

Devo ter uma costela britânica, a julgar pela minha dedicação e gosto pela jardinagem que é apanágio dos britânicos. O amor do povo inglês pela jardinagem é notório e está bem patente tanto na esfera pública quanto na privada. A primavera é uma estação muito, mas muito celebrada na Inglaterra. Ninguém aguenta mais o frio e chuva que predominaram durante todo o inverno e nada como a promessa de temperaturas mais elevadas e as carícias do sol. A nova estação é a época ideal para que o país se dedique àquele que parece ser um dos hobbies nacionais preferidos: a jardinagem.

Papa vai ao congresso dos Estados Unidos

Imagem
Francisco vai ser o primeiro Papa a discursar numa sessão conjunta do Congresso

«O presidente da Câmara dos Representantes, o republicano John Boehner, anunciou hoje que o Papa Francisco vai discursar diante das duas câmaras do Congresso norte-americano, a 24 de setembro. “Nesse dia, Sua Santidade será o primeiro Papa na nossa história a dirigir-se a uma sessão conjunta do Congresso”, afirmou Boehner, em declarações aos jornalistas no Capitólio, sede do Congresso. O responsável mostrou-se “grato” pelo facto de o Papa ter aceitado o convite, mostrando-se “ansioso” para “receber a sua mensagem em nome do povo americano”.»
Ler mais aqui

É uma maravilha a Ria de Aveiro

Imagem
«Eu nunca tinha visto a ria de Aveiro. Daí — dirão — este meu entusiasmo. Ora a laguna, com os seus múltiplos canais, seus campos encharcados, seus horizontes abertos, sua exuberância de luz e seu sonho de distância — é bela sempre e cada vez mais, afirmam os que todos os dias se banham no mistério da sua extensão panorâmica. A ria de Aveiro — é uma maravilha. Fujo a descrevê-la, porque isso não está agora no meu programa. Faltam aos meus olhos os palácios de mármore, as colunas de oiro, as igrejas erguidas em renda, as margens coalhadas de sonho e arte: S. Maria degli Scalzi, S. Marcuola, a casa de Contarini, e a distância de oiro sobre gaze de azul de S. Giorgio Maggiore. Mas — lembro-me de Veneza… Uma Veneza despida, no seu estado imaculado, em plena exuberância primitiva, onde se adivinha a vontade de Deus, de tudo ficar como ele a criou. Maravilha contemplativa! O canal segue até o mar, lá pr’a baixo, nem eu sei pr’a onde. E as margens respiram humildade e humildade; evolam-se d…

Crentes e ateus críticos

Imagem
Crónica de Anselmo Borges no DN


No presente estado do conhecimento e do saber científico, impõe-se, contra o dogmatismo, uma atitude crítica, tanto por parte dos crentes como dos ateus. Refiro-me aos crentes e aos ateus que sabem o que isso quer dizer. Esta foi a mensagem fundamental deixada pelo jesuíta Javier Monserrat, neurólogo e filósofo, das universidades Autónoma e Comillas, de Madrid, nos debates que organizei no Porto, em Coimbra e em Lisboa, por ocasião da publicação do livro que coordenei: Deus ainda Tem Futuro? Deixo aí o essencial das suas exposições. 1. A revelação de Deus em Jesus e a revelação de Deus na criação vêm do mesmo Deus. Ele também se revelou no livro da natureza. Ora, como fez Deus a natureza? O único modo de sabê-lo é pela ciência e pela filosofia, e o que Deus disse em Jesus deve estar em harmonia com o que disse na criação.

JESUS E O ENIGMA DO MAL

Imagem
Reflexão de Georgino Rocha




O enigma do mal ”colou-se” à natureza humana e, tal como o joio da parábola, progride sem se saber bem como. Se é difícil a sua explicação, não o é a verificação dos seus efeitos perniciosos. As pessoas atingidas pelos tormentos que provoca sofrem horrivelmente. Job é o rosto humano de tal situação. As expressões que usa são bem elucidativas: vida dura e cruel, sofrimento atroz, noites intermináveis de amargura, dias breves de esperança, amanhecer sem aurora, angústia e morte. O drama de Job actualiza-se, hoje, nas vítimas da economia sem rosto, da política sem escrúpulos, da medicina sem ética, da educação sem humanidade, dos meios de comunicação sem regras respeitadoras da dignidade humana.

A nossa gente: António Cirino

Imagem
Neste mês de fevereiro, em que se realiza o I Congresso Náutico – Embarque para o Conhecimento, dedicamos a rubrica a “nossa gente” ao dirigente associativo mais antigo na área do desporto náutico: António Cirino, Presidente da Direção da ANGE – Associação Náutica da Gafanha da Encarnação. António Cirino nasceu a 25 de julho de 1946, na Gafanha da Encarnação, Município de Ílhavo. Estudou até à 4.ª Classe na Escola Primária Encarnação Sul e foi admitido na Escola Comercial de Aveiro, onde estudou até ao 4.º ano. Entre 1964 e 1968, cumpriu o Serviço Militar na Marinha de Guerra, onde desde logo demonstrou uma grande apetência pelos desportos náuticos. No final de 1968, com apenas 22 anos de idade, António Cirino emigrou para a França à procura de uma vida melhor. Viveu em Paris durante quinze anos, aliando o seu trabalho no ramo automóvel ao Associativismo. Para além de jogar futebol, foi Dirigente Associativo no Clube Saint Gracient. Em 1983 regressou à Terra Natal, onde se instalou …

Foto do Dia — O banco

Imagem
Normalmente gosto do mobiliário urbano, decorativo ou funcional. Decorativo porque enriquece com a sua beleza, discutível embora, os ambientes. Funcional porque serve de algum modo ao transeunte, turista ou não.  Ontem vi este banco à entrada da Costa Nova, na Biarritz, branco como a neve, a desafiar-me ao descanso, depois de uma caminhada junto à ria. Sentei-me, mas logo tive de me levantar, por tão frio estar o assento. O sol batia-lhe quase em cheio, mas nem assim, por volta do meio-dia, o banco aqueceu. Porém, aqui fica o convite para que o usufruam, assim que o tempo dê uma volta para temperaturas mais agradáveis. A paisagem merece uma pausa na caminhada.

Jornadas de formação do clero de Aveiro

Imagem
«O Jornalista António Marujo apelou a uma formação mais ativa e intensa dos cristãos em relação à Doutrina Social que permita repensar toda a acção social da Igreja. Foi neste sentido que propôs que a Igreja deveria saber criar uma “alternativa aos modelos económicos e financeiros vigentes”, que assentasse nos principais pilares da doutrina social, como o primado do bem comum sobre a propriedade privada ou o primado da pessoa sobre o capital e que a instituição Universidade Católica deveria revestir na sua proposta uma verdadeira alternativa aos modelos económicos vigentes. Na sua partilha elencou algumas periferias da Evangelii Gaudium como a “cidade e a pastoral urbana”, a “multiculturalidade”, a “solidão”, a “religiosidade popular” e a “pobreza”. Estas periferias são um apelo à missão para que se  concretize o sonho do Papa Francisco de “chegar a todos”.»
Ler mais aqui

A um jovem poeta

Imagem
Poema de Manuel António Pina




A um Jovem Poeta

Procura a rosa.
Onde ela estiver
estás tu fora
de ti. Procura-a em prosa, pode ser

que em prosa ela floresça
ainda, sob tanta
metáfora; pode ser, e que quando
nela te vires te reconheças

como diante de uma infância
inicial não embaciada
de nenhuma palavra
e nenhuma lembrança.

Talvez possas então
escrever sem porquê,
evidência de novo da Razão
e passagem para o que não se vê.

in "Nenhuma Palavra e Nenhuma Lembrança"



- Posted using BlogPress from my iPad

Camões e o Amor

Imagem
Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões

Podem visitar a Biblioteca do Agrupamento de Escolas da Gafanha da Nazaré aqui


- Posted using BlogPress from my iPad

Foto do Dia — Reflexo

Imagem
Para a minha idade, frio de rachar, como diz o nosso povo. Nem as águas da ria e do mar conseguiram amenizar a temperatura. Foi o que senti numa curta saída feita a correr. O sol, contudo, brilhava lá no alto, mas nem assim subiu a temperatura. Olhando a ria, captei esta imagem. Não é neve, não senhor. mas tão-só o reflexo dos raios solares nas águas serenas da laguna,

A tempestade

Imagem
A Tempestade é um desenho original de Amadeu de Sousa Cardoso para o álbum "XX Dessins,1912". Num estilo que o impôs ao mundo como grande artista, esta  imagem está no meu computador para eu a apreciar quando o abro. A arte faz parte da vida do homem desde o tempo da pré-história. Cerca-nos por todo o lado, no que pisamos, vemos e sentimos. Contudo, com a pressa, nem sempre lhe damos o devido valor. E este desenho faz todo o sentido nesta terra de mar e ria, tão propícia a tempestades.

Festas no Património Imaterial

Imagem
Festa da Vista Alegre  quer entrar no registo nacional  do Património Imaterial 




Na reunião da Câmara Municipal de Ílhavo (CMI), realizada ontem, 4 de fevereiro, foi aprovado por unanimidade o parecer prévio positivo, no âmbito da candidatura apresentada pela Fábrica da Vista Alegre ao registo Nacional do Património lmaterial das festas em honra de Nossas Senhora de Penha de França,   Entretanto, o vereador do PS, Pedro Martins, lembra que a autarquia deve prestar atenção a outras festividades do nosso município, com vista ao mesmo registo, nomeadamente, a Procissão pela Ria e  Festa em Honra de Nossa Senhora dos Navegantes,