Papa defende paternidade responsável



«O Papa Francisco disse esta segunda-feira que a Igreja Católica propõe uma “paternidade responsável”, com recurso aos “meios lícitos”, os métodos naturais de planeamento familiar.
“Alguns pensam que - desculpem a expressão - para ser bons católicos é preciso ser como os coelhos, não é? Não. Paternidade responsável: isso é claro e por isso há na Igreja grupos de casais, peritos nesta matéria”, declarou, no voo entre Manila e Roma, em conferência de imprensa.
Francisco mostrou-se preocupado com a quebra demográfica e sublinhou o trabalho feito pela Igreja Católica para travar o que denominou como “neomalthusianismo”, que “procurava um controlo da humanidade por parte das grandes potências”.»

Li aqui

Nota: A teoria (chamemos-lhe assim) da paternidade responsável não é de agora. É conhecida há décadas e o Papa Francisco limitou-se a recordá-la, de forma muito expressiva, quando diz que os católicos não precisam de ser como os coelhos, isto é, com filhos e mais filhos. A paternidade responsável implica ter filhos à medida da capacidade dos casais para os sustentar e educar. O exemplo  dado pelo Papa é contundente, decerto para todos o ouvirem, e tenho para mim que não faltará quem o conteste por mais esta ousadia de linguagem no seio da Igreja. Mas eu gosto dum Papa assim, frontal, sem papas na língua. capaz de dialogar e certamente de ouvir, sem hipocrisias. 
Isto não significa que, de forma egoísta, em alguns casos, os casais evitem sistematicamente os filhos. Em Portugal, como é sabido, há défice de nascimentos, o que conduz a um certo desnível demográfico, com o país a ficar cada vez mais envelhecido. E não haverá  casais pobres com mais filhos do que os  casais ricos?  Crises e mais crises, dificuldades de emprego e salários baixíssimos, desemprego e emprego precário ditarão esta realidade. 

Comentários