VIAGEM À TAILÂNDIA: O MISTÉRIO DA VIDA


Crónica de viagem de Maria Donzília Almeida
Dia 11 de agosto – 2.ª feira




A manhã foi dedicada à visita a Bangkok, privilegiando os pontos de maior interesse turístico e ainda os seus mais famosos templos.
Bangkok é uma cidade relativamente jovem que foi construída para ser capital da Tailândia, no século XVIII. Hoje possui cerca de 14 milhões de habitantes, com um tráfego caótico, considerado um dos piores do mundo. As intervenções urbanas, como avenidas elevadas e o sistema de transporte Sky Trem, tentam amenizar o caos, porém sem muito sucesso.
A religião budista está muito presente em todo o país. O ambiente místico que se respira na sociedade tailandesa constitui a alma deste povo. Existem muitos templos, de diferentes tipos e tamanhos, mas todos sempre voltados para o budismo. Em todos os cantos da cidade e dentro dos templos, proliferam imagens de Buda: em pé, deitado, ou sentado em posição de flor-de-lótus. 



As estátuas são de ouro com pedras preciosas e enormes, mostrando a sua importância e a devoção dos fiéis, que costumam deixar, aos seus pés, oferendas de todos os tipos. A maioria das pessoas possui altares de adoração, no exterior de suas casas, (casinhas dos espíritos) e até dos comércios.
Isto evoca-me os tempos antigos da Gafanha, em que na sala do Senhor, sobre uma cómoda, havia sempre um crucifixo em tamanho grande e que era o fulcro das atenções e da importância do escasso mobiliário existente. Esse aposento não tinha, nesse tempo, qualquer outra função acrescida que não fosse a veneração de Cristo e o culto dos mortos que se velavam em casa. Tempos remotos, ultrapassados pela modernidade mas que deixaram a sua marca!
A paisagem está impregnada destes pequenos nichos que superam em tamanho as nossas “alminhas”. Existem também muitos monges em toda a cidade e em todos os templos, com panos alaranjados, traçados, à volta do corpo.
De quando em quando, passa por nós uma onda laranja(!?) e durante um relance... temos a sensação (não nostalgia!) de estar em Portugal!
É necessário tirar os sapatos para entrar nos locais sagrados, em sinal de respeito. Não deixa de ser divertido ver fileiras de calçado de todas as formas e cores, alinhado à entrada dos templos. Pés de todos os tamanhos e feitios, a pisar suavemente e com delicadeza, os aposentos de sua divindade! Admirei, particularmente, os pezinhos de Cinderela, que por lá abundam! Também é obrigatório usar roupas discretas, para não ser impedido de entrar. Um exemplo a seguir.... por estas gentes ocidentais! 
O Wat Benchamabopit ou Marble Temple é um perfeito exemplo da arte arquitetónica tailandesa, sendo construído com diversos materiais selecionados de vários países: mármore de Carrara e mosaicos chineses dentre outros.
A entrada principal apresenta um portão, cuja forma de serpente foi inspirada na antiga arte Khmeriana.
Wat Pho onde está localizado o Buda Reclinado é o templo mais antigo de Bangkok e possui mais de mil estátuas. Um monumento impressionante, todo revestido a ouro, que mede 43 metros de comprimento. Além do tamanho, há outra coisa que impressiona muito quando vemos o Buda Reclinado: nas solas de seus pés, esculpidos em madrepérola, estão os 108 símbolos auspiciosos de Buda. Inspirado por esses 108 símbolos, acontece atrás do monumento, um ritual do qual muitos forasteiros participam: há cento e oito potes de metal dispostos lado a lado, onde cada visitante coloca cento e oito moedas, uma em cada pote. O tilintar contínuo do dinheiro origina uma sinfonia, a bem dizer...familiar à juventude ocidental - música metálica! O número 108 é considerado um número abençoado na Tailândia, um número da sorte. Foi emocionante participar neste ritual!
É lá, em Wat Pho que se encontram, também, as famosas escolas de massagens tailandesas. As mulheres que desejam engravidar vão fazer uma carícia na barriguinha do Happy Buda, pois dizem que dá sorte. 


Wat Phra Kaew é um grande complexo de templos do século XVIII. Construído para abrigar o pequeno Buda de Esmeralda (feito de jade), é um dos mais importantes e sagrados templos de toda a Tailândia, com influência do Camboja e do Vietnam.
O Templo de Buda de Ouro construído no século XVII encerra uma estátua de Buda em ouro maciço com 5600 kg e 3 m de altura. É uma divindade de peso!
Este é o maior Buda em ouro maciço que existe no mundo. Era de barro, mas quando houve uma reforma no templo, ao ser deslocado, a estátua caiu, quebrou a cabeça e descobriu-se que, por dentro, havia um Buda de Ouro. Mais uma vez se provou que as aparências iludem! Por baixo de uma aparência tosca.... por vezes, se esconde uma preciosidade. Cabe ao homem descobrir o que está oculto! O mistério da vida!
Reservámos para este penúltimo dia da nossa estadia no país, a famosa, apregoada e divulgada massagem tailandesa. Fomos em grupo e deslocámo-nos de tuk-tuk, o táxi tailandês.

Comentários