FALECEU VASCO BRANCO



Voto de Pesar 
da Câmara Municipal de Aveiro


A Câmara Municipal de Aveiro lamenta profundamente a morte do Dr. Vasco Branco, considerando tratar-se de uma perda irreparável para a cultura e para vida intelectual da Cidade. No momento de imensa consternação a edilidade associa-se à dor e ao luto da Família, a quem dirige os sentidos pêsames.
Natural de Aveiro, Vasco Branco notabilizou-se como pintor, escultor, escritor e cineasta, tornando-se num exemplo de rara diversidade e capacidade artística e de extraordinária sensibilidade humana. 
As criações artísticas refletem o amor incondicional pelas figuras, pelas paisagens e pela história de Aveiro, como documentam os livros e os filmes sobre a cidade, bem como os painéis de azulejos que emolduram locais nobres da urbe, o Mural da Praça da República e o da passagem desnivelada de Esgueira, que são da sua autoria.


O reconhecimento do trabalho que o Dr. Vasco Branco desenvolveu encontra-se no prestígio e na diversidade de prémios atribuídos em Portugal e no estrangeiro. Entre o final dos anos 50 e os anos 80 foi galardoado com quase todas as distinções cinematográficas portuguesas. Os seus filmes obtiveram prémios em cidades de todos os continentes: Paris, Salzburgo, Cannes, Corunha, Lobito, Newark, Cristchurch e Hiroshima. Na literatura destacam-se o Prémio Antero de Quental, em 1964, e o Prémio Associação Portuguesa de Escritores e Secretaria de Estado da Cultura, em 1979.
Foi sócio fundador do grupo AveiroArte, fundou o Cine-clube de Aveiro, colaborou com jornais como o “Litoral” e o “Libertação” e participou em inúmeras conferências. 
No dia 12 de Maio 1993, Vasco Branco foi galardoado com a Medalha de Prata da Cidade numa homenagem prestada pela Câmara Municipal de Aveiro. Oportunidade para os aveirenses exprimirem a afeição pela personalidade e pela obra que influenciou o destino cultural e artístico aveirense e projetou o nome da cidade pelo mundo fora. 
A 17 de maio de 2007 a Comissão de Toponímia decidiu propor a atribuição à avenida entre o viaduto da estação de caminho-de-ferro e a rotunda da Policlínica o nome de “Avenida Dr. Vasco Branco. Emérito Aveirense”. A proposta de perpetuar a memória pública do Dr. Vasco Branco foi deliberada na Reunião de Câmara de 11 de junho de 2007.
Aos 95 anos o Dr. Vasco Branco deixa-nos um exemplo de distinto aveirense e uma obra inigualável.

Fonte: CMA

~~~~~~~~

Nota: Subscrevo inteiramente o voto de pesar da Câmara Municipal de Aveiro pela morte de Vasco Branco, um artista multifacetado e proprietário da Farmácia Branco da Gafanha da Nazaré.  Do mesmo modo, como gafanhão, apresento à família enlutada os meus pêsames pelo falecimento de um cidadão que à nossa terra também muito deu.

Comentários