Homenagem a Mons. João Gaspar

60.º aniversário da sua  ordenação presbiteral 




A Diocese de Aveiro celebrou hoje o 60.º aniversário da ordenação presbiteral de Mons. João Gonçalves Gaspar, Vigário Geral da nossa Diocese e conhecido historiógrafo de Aveiro e sua região, com inúmeros livros publicados. 
A eucaristia celebrativa teve lugar numa capela interior do Seminário de Santa Joana Princesa, a mesma onde decorreu a cerimónia de ordenação em 3 de janeiro de 1954, presidida por D. João Evangelista de Lima Vidal, primeiro bispo da restaurada Diocese de Aveiro e conterrâneo de Monsenhor João Gaspar, pois ambos são naturais da vila de Eixo. 

A propósito da homenagem ao Vigário Geral da Diocese, D. António Francisco diz que «Tem particular sentido a gratidão do bispo diocesano em nome de todos os bispos com quem Monsenhor João Gonçalves Gaspar trabalhou, desde o primeiro dia após ter terminado o Curso Superior de Teologia no Seminário de Cristo Rei dos Olivais, em Lisboa, seja como Secretário dos primeiros três bispos diocesanos, seja como Vigário Geral da Diocese, desde 1988». 
Na eucaristia e no almoço de confraternização que se seguiu participaram muitos presbíteros e diáconos permanentes, bem como alguns convidados e familiares, sendo notória a alegria de todos, ou não fosse Mons. João uma personalidade marcante da diocese e região pela sua envolvência religiosa, mas também cultural e social e sobretudo humana, sendo estimado por todos, independentemente dos seus ideais.
Mons. João tanto se relaciona com as gentes humildes de aldeias perdidas na serra e com os intelectuais e artistas de vários quadrantes, mas ainda se sente à vontade nos ambientes académicos, nomeadamente, na Academia Portuguesa de História, na qualidade de académico correspondente, título com que foi distinguido em 1996, por mérito próprio e reconhecido. 
Atrevo-me a afirmar que Mons. João Gaspar é memória viva da Diocese e Cidade de Aveiro e sua região, sendo frequentemente consultado, por isso, em hora de qualquer evento histórico que as comunidades pretendam recordar ou celebrar.
Felicito Mons. João Gaspar, na certeza de que o seu labor vai prosseguir. É que me habituei à ideia de que a qualquer momento mais um livro seu nos vem enriquecer.

 


Comentários