24 de novembro, dia especial



Hoje foi um dia especial para mim, com quase toda a família a viver comigo o meu 75.º aniversário. Um filho ausente, a lecionar nos Açores, sentou-se ao nosso lado com a ajuda do telemóvel. Bonita idade, sim senhor, para celebrar. Chamam-lhe data redonda, o que corresponde, neste caso, a três quartos de século. Não sei se atingirei o século, mas vou apostar nisso, com a ajuda de Deus, da família e dos amigos. Para já, vou a caminho com a esperança a acompanhar-me.
Conta-se que um dia, na antiguidade, um grupo de alunos (que seriam diferentes do que estamos a imaginar) terá perguntado a um velho mestre (de uns 80 anos) se não tinha pena de estar a chegar ao fim da vida. A resposta, que foi resposta de mestre para levar os alunos a pensar, terá sido mais ou menos assim: «Não tenho pena, não!, porque eu já vivi estes anos todos; os meus amigos é que devem andar angustiados porque não sabem se chegarão à minha idade.» Pois é… 
Boas festas de aniversário para todos os meus amigos.

Comentários