11 de setembro 2013




Hoje, até as temperaturas cálidas de um verão terminal, trazem à mente, com uma agudeza sobrenatural, as más memórias associadas a esta data.
Relatavam os mass media em todos os recantos do mundo civilizado, nesse dia 11 de Setembro de 2001, que pouco antes das 9h00 o mundo acordava para o primeiro embate. O primeiro de quatro aviões sequestrados pela Al-Qaeda, no espaço aéreo dos Estados Unidos, irrompia no Worl Trade Center.
O mundo, literalmente parou, defronte dos aparelhos de televisão, que duma forma cruel mas realista iam registando, a par e passo, a devastação perpetrada contra o símbolo do poder americano, The Twin Towers.
A forma como os Estados Unidos têm assinalado o 11 de setembro tem levantado polémica e, ao longo dos anos, foram sendo eliminados os discursos políticos.
Este ano, o presidente da câmara pediu ajuda aos novaiorquinos e acabou por receber cerca de 4500 sugestões para assinar este 12.º aniversário dos ataques. 


Entre as propostas estava, por exemplo, cortar a luz em toda a Manhattan durante 1 minuto, ou uma parada para homenagear os bombeiros e as equipas de resgate, que no dia dos atentados correram em massa aos locais atingidos.
A polémica tem-se reacendido sobre o “atentado” e Loose Change é um documentário de 2007, escrito e dirigido por Dylan Avery e produzido por Korey Rowe com Jason Bermas.
Alega que os atentados de 11 de setembro foram preparados e conduzidos por elementos dentro do governo dos Estados Unidos da América e fundamenta-se em alegadas anomalias detetadas, no registo histórico dos atentados. 
Baseiam-se alguns, na teoria da conspiração, nas forças internas da política americana.
Loose Change foi concebido, inicialmente, para ser um filme de ficção baseado nos ataques de 11 de Setembro, mas tornou-se depois, num documentário.
Em maio de 2002, Dylan Avery começou a pesquisa para o seu filme e com base na sua investigação, concluiu que o ataque terrorista não foi orquestrado e consumado por membros da Al Qaeda, ataque este que justificou a invasão ao Afeganistão e em seguida, ao Iraque, mas sim por membros do governo dos Estados Unidos da América.
Em Abril de 2005, a primeira edição do Loose Change foi disponibilizada, gratuitamente, na Internet e em DVD, com versão limitada a algumas lojas de vídeos. 
Uma data fatídica para a humanidade em geral e particularmente para quem perdeu a sua mãe, assinaladamente neste dia, em 2008. Tem a vida, por vezes, destas coincidências tristes que avolumam o sentido trágico da existência humana. A prole deixada pela Luz dos nossos olhos, ali perto do local da tragédia, em New Jersey, evocará, por certo, ambos os desditosos acontecimentos. 
Paz à alma de todos os que pereceram no funesto dia 11 de Setembro do século XXI.

Mª Donzília Almeida

11.09.2013

Comentários