Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2010

O novo fardo do homem, e cristão

Imagem
Por José Manuel Fernandes
Público, 2010-12- 31
É um sinal dos tempos a indiferença perante o regresso das perseguições religiosas um pouco por todo o mundo

Bernard-Henri Lévy defendeu esta semana, no El País, que "os cristãos formam hoje, à escala planetária, a comunidade perseguida de forma mais violenta e na maior impunidade". Mais: "enquanto o anti-semitismo é considerado um crime e os preconceitos anti-árabes ou anticiganos são estigmatizados, a violenta fobia anticristã que percorre o mundo não parece ter qualquer resposta". Curiosas palavras vindas de um não-cristão, interessantes considerações proferidas por quem, em tempos, ajudou a fundar o SOS-Racismo. E singularmente coincidentes com as de Bento XVI, que, na sua mensagem a propósito do próximo Dia Mundial da Paz, também notou que "os cristãos são, actualmente, o grupo religioso que padece o maior número de perseguições devido à própria fé". São raras as notícias sobre estas perseguições, mas isso nã…

Mensagem de Bento XVI para o Dia Mundial da Paz 2011

Imagem
Bento XVI

Liberdade religiosa, caminho para a paz
«Poder-se-ia dizer que, entre os direitos e as liberdades fundamentais radicados na dignidade da pessoa, a liberdade religiosa goza de um estatuto especial. Quando se reconhece a liberdade religiosa, a dignidade da pessoa humana é respeitada na sua raiz e reforça-se a índole e as instituições dos povos. Pelo contrário, quando a liberdade religiosa é negada, quando se tenta impedir de professar a própria religião ou a própria fé e de viver de acordo com elas, ofende-se a dignidade humana e, simultaneamente, acabam ameaçadas a justiça e a paz, que se apoiam sobre a recta ordem social construída à luz da Suma Verdade e do Sumo Bem. Neste sentido, a liberdade religiosa é também uma aquisição de civilização política e jurídica. Trata-se de um bem essencial: toda a pessoa deve poder exercer livremente o direito de professar e manifestar, individual ou comunitariamente, a própria religião ou a própria fé, tanto em público como privadamente, no …

Ano Novo — Vida Nova

Imagem
É proibido, neste fim de 2010 de triste memória para muitos portugueses, cair em pessimismos, pela simples razão de que tal atitude não nos conduz a parte nenhuma. Vamos pôr de lado as crises que nos assolaram durante 2010 e avançar, com o otimismo possível e necessário, para um novo ano de lutas, no sentido de conquistarmos o tempo perdido. De mangas arregaçadas, de olhar firme em novos horizontes e de coragem para ultrapassar obstáculos, é nosso dever caminhar em frente, na certeza de dias melhores.
Se é certo que as dificuldades aguçam a imaginação e espevitam a criatividade, então vamos apostar na busca de novas oportunidades e no aproveitamento de capacidades pessoais e coletivas porventura adormecidas, tendo em vista a conquista de um futuro melhor para todos.
Jovens e menos jovens, de mãos dadas e espírito aberto, saberemos partilhar saberes e entusiasmos, rumo a um mundo mais fraterno.
Bom ano de 2011 para todos.

Fernando Martins

Nota: Com Acordo Ortográfico

E os Velhos?

Imagem
(Clicar na imagem para ampliar)

Rua Complexo Desportivo da Gafanha

Imagem
Homenagem a todos os que contribuíram para a construção do Complexo Desportivo
Em boa hora baptizaram uma rua da nossa terra com o nome de Complexo Desportivo da Gafanha. E digo em boa hora porque esse gesto reflecte a importância de uma estrutura desportiva que, presentemente, acolhe centenas de atletas de todas as idades, em especial ligados ao Grupo Desportivo da Gafanha (GDG). Mas ainda reflecte o esforço que diversas pessoas e entidades empreenderam para que o Complexo Desportivo fosse uma realidade. Como é bem sabido, julgamos nós, os clubes amadores de futebol, que existiram na Gafanha da Nazaré, desde há muitas décadas, treinavam e jogavam em campos improvisados ou adaptados, minimamente, à prática do desporto-rei. Depois, por iniciativa da JAPA (Junta Autónoma do Porto de Aveiro), foi construído, no Forte da Barra, um campo, que foi posto à disposição do Grupo Desportivo da Gafanha, o mais representativo clube da nossa terra. Era um campo pelado, com balneários construídos para…

A mediocridade cresce como a erva daninha

Imagem
Churchill
Incómodo dos medíocres
António Marcelino
Quando Churchill, ainda jovem, fez a sua primeira intervenção política na Câmara dos Comuns, no fim perguntou a um velho amigo de seu pai, também ele homem da política e que o tinha ouvido, o que pensava desta sua intervenção. E ele respondeu: “Mal, meu rapaz, muito mal. Devias aparecer mais tímido, nervoso, a gaguejar um pouco e meio atrapalhado… Porque foste brilhante, arranjaste, no mínimo, trinta inimigos: os medíocres, os oportunistas, os ambiciosos… Porque só pensam em si mesmos, em defender o seu lugar e em conquistar posições de relevo, sentem-se incomodados com quem tem talento e pode passar-lhes à frente. Eles vão fazer tudo para te derrubar…” O episódio repete-se todos os dias, na política e fora dela, porque a mediocridade cresce como a erva daninha. Quem tem valor não aguenta e procura outros ares. Fora, há sempre lugar e acolhimento para os que valem. As cliques políticas, e não só elas, viciaram o ambiente, disseminaram a m…

Um Presépio Japonês

Imagem
Catedral de Santa Maria, Tóquio
Foto: guen-k
Um presépio japonês Guilherme d'Oliveira Martins

À Memória do João Bénard da Costa


Naquele dia de outono, Quioto estava na plenitude da sua beleza. O Pavilhão de Prata, o Ginkaku-ji, apagava-se diante da natureza pujante. Percebíamos que o importante não era o facto de a prata nunca ter sido colocada para tornar o edifício mais espetacular. Tudo se passava, afinal, como se apenas faltasse um espelho, pois o essencial era o jardim e a ordenação magnífica da natureza. E é a memória do xógum Yoshimasa, no distante século XIV, que está presente, a partir da recordação de seu avô, o qual num gesto de suprema audácia, cobriu de folha de ouro o surpreendente Kinkaku-ji… Ali, porém, naquele momento, mais do que a prata ou o ouro, estava a natureza em toda a sua intensidade. E talvez a ausência da prata pudesse ter sido um desígnio dos deuses, para que as árvores e as plantas pudessem tornar-se mais evidentes na sua magnitude. Era o tempo do momiji, …

Eliana Machado: Uma voluntária ao serviço da paróquia da Gafanha da Nazaré

Imagem
Eliana Machado
O voluntariado é importante nos tempos que correm
Eliana Mouta Machado, casada e com uma filha, reformada por invalidez há oito anos por força de uma artrite reumatóide, não se resignou a ficar em casa. Para além dos seus deveres de esposa e mãe, apostou em servir como voluntária nos tempos livres. Respondendo ao apelo do Prior José Fidalgo, para que substituísse uma funcionária do cartório em gozo de férias, aceitou o desafio e gostou do que fez: atendeu pessoas e executou tarefas próprias de uma paróquia que quer estar em organização permanente. Eliana descobriu que se sentia bem nessa função e foi ficando. Depois do Prior Fidalgo, vieram os Padres Paulo Cruz e Francisco Melo, o actual Prior, a quem manifestou a vontade de permanecer no Cartório, como voluntária, como desde a primeira hora. E assim se mantém. Presentemente, está a transpor para o computador, a partir dos livros oficiais, os registos de Baptismo, Casamento e Óbito, desde 2009 até 1960, retrocedendo no temp…

“Bags of Books” é uma editora sedeada na Gafanha da Nazaré

Imagem
"Meu Amor"
Segundo noticiou o Diário de Aveiro, foi criada na Gafanha da Nazaré uma editora de livros ilustrados, a “Bags of Books”. Trata-se de um projecto do ilustrador e designer Francisco Vaz da Silva, que afirmou àquele jornal que as edições se destinam a crianças e adultos. O primeiro livro, “Meu Amor”, foi feito com ilustrações em tecido pela autora, a italiana Beatrice Alemagna. Desejamos a Francisco Vaz da Silva os maiores êxitos editoriais, a partir da nossa terra.

Dois mil e Deus

Imagem
Por Octávio Carmo
Que 2011 chegue em festa, como uma página em branco que Deus nos coloca diante das mãos, para preenchermos com as marcas do melhor que existe em nós

2010 chega ao fim e volta em nós este sentimento de impotência perante a inexorabilidade do tempo, as tantas expectativas que ficaram por cumprir, as surpresas, o sabor amargo de uma crise que, em muitos momentos, apagou do mapa toda e qualquer boa notícia que cada dia pudesse trazer consigo.
Ler mais aqui

“Casa dos Vizinhos” abre no Porto

Imagem
Li e gostei do que li. No Porto, na freguesia da Paranhos (Há anos, o pároco afiançou-me que é a maior freguesia de Portugal) abriu a “Casa dos Vizinhos”, obviamente para envolver as pessoas umas com as outras, rua a rua, combatendo problemas, procurando soluções, derrubando “muros” como a indiferença, o abandono e a solidão. O mundo em que vivemos é, realmente, um mundo sem alma. Como prova disso, aí temos, na mesma rua ou prédio, pessoas que não se conhecem nem se saúdam quando se cruzam. O espírito de vizinhança dos tempos da minha meninice, em que se emprestava um ovo para a ceia ou um fósforo para acender a lareira, já lá vai. Mas seria bom que os vizinhos se olhassem mais uns aos outros.
Ler mais aqui

Sem-abrigo a nossa vergonha

Imagem
A comunicação social ainda fala hoje das refeições quentes que foram oferecidas aos sem-abrigo e outros famintos do nosso país. Um dia destes até houve feijoada servida no Metro. Estou em crer que, daqui a uns dias, com os preparativos para a passagem do ano, que deve movimentar milhões em festas para toda a gente de posses e até remediados, poucos se lembrarão dos dois milhões de pobres que vivem entre nós. E prega-se tanto que o Natal devia ser celebrado todos os dias do ano. Pois é… Por enquanto lá o vamos celebrando uns diazitos dos 365 que o ano tem…

Navio-escola Sagres já regressou

Imagem
Sagres O navio-escola Sagres já regressou da viagem de circum-navegação, à qual se associou a Câmara Municipal de Ílhavo, que aproveitou, por esta forma, a excelente oportunidade de promover, além fronteiras, os valores e a cultura do nosso município, que tem “O Mar por Tradição”. Associação dos Industriais do Bacalhau foi parceira da CMI nesta aposta, fornecendo todo o bacalhau que fez as delícias da Tripulação e dos Convidados das recepções oficiais oferecidas pelo navio-escola Sagres.

Gustave Eiffel morreu neste dia, em 1923

Imagem
Gustave Eiffel

Alexandre Gustave Eiffel (Dijon, 15 de Dezembro de 1832 — Paris, 27 de Dezembro de 1923),  foi um engenheiro francês que participou na construção da Estátua da Liberdade em Nova Iorque e da Torre Eiffel de Paris. Também viveu em Portugal, onde montou ateliê e projectou pontes, nomedamanete, a de D. Maria Pia, Dupla de Viana do Castelo,  Ferroviária de Barcelos e, ainda, o Mercado de Olhão. É óbvio que a sua obra mais célebre será a Torre Eiffel, que  foi construída entre 1887 e 1889, em Paris, para a Exposição Universal de 1889, sendo hoje o símbolo da capital francesa. Actualmente possui 325 metros (adicionada a altura das antenas que possui). Na época de sua construção tinha aproximadamente 7 300 toneladas de ferro e hoje em dia tem aproximadamente 10 000 toneladas.
Ver mais aqui

Oportunidade histórica

«Os homens crescem mais nas tormentas que na bonança. Por isso vivemos hoje uma ímpar oportunidade histórica: podemos finalmente dar o salto que falta para nos confirmar no ritmo do futuro.» Concordo. Em vez de nos lamuriarmos, há que inventar oportunidades para singrar na vida. Leia aqui.

José Estêvão nasceu neste dia, 26 de Dezembro

Imagem
José Estêvão, grande parlamentar português e um aveirense ilustre, nasceu neste dia. A nossa região, incluindo a Gafanha da Nazaré,  muito ficou a dever a este político, pela sua intervenção em defesa dos nossos interesses. 
Leia mais aqui

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS - 217

Imagem
PELO QUINTAL ALÉM – 53



A OLIVEIRA
A todos e cada um de vós que espreitais este quintal
Caríssima/o:

a.“Verde foi meu nascimento
E de luto me vesti
Para dar a luz ao mundo
Mil tormentos padeci.”

Foi com esta adivinha e com as imagens dos livros de leitura das primeiras classes da escola primária que me familiarizei com a oliveira e a azeitona. Aliás esta era manjar e conduto para refeição “festiva”, mas só nesta altura soube que era à oliveira que se ia apanhar. Lembrando-nos do empenho da Tia Albina que desejava uma oliveira junto do portão de entrada da casa, como sinal de Paz, houve mais do que uma tentativa da nossa parte mas as oliveiras não gostam da sombra das outras árvores e ficam tristes... A que o senhor Valentim ofereceu tarda em crescer!...
e. É possível que medrasse com dificuldade a oliveira, em algum quintal da Gafanha, e até teimasse mostrar algumas azeitonas (verdes e azedas) que para nós eram balas polidas para os nossos tiroteios, os marotos!
i. É uma árvore que raramente ultr…

O próximo ano trará uma pequena revolução à Igreja Católica em Portugal

Imagem
Por António Marujo


Presidência do episcopado pode ir para bispo do Porto. Patriarca só deverá sair em 2013. Cinco dioceses com mudanças anunciadas. Uma pequena revolução no catolicismo português


Cardeais e Bispos (Foto do PÚBLICO)

Um ano de mudanças profundas no topo da hierarquia católica marcará 2011. Substituições de bispos anunciadas em várias dioceses (com Lisboa e Coimbra à cabeça) acontecerão a par de diversas iniciativas que a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) lançou e que pretendem, até final do ano, redefinir dinâmicas e estruturas da Igreja Católica em Portugal. No início de Maio, renova-se a presidência da Conferência Episcopal Portuguesa: D. Jorge Ortiga, arcebispo de Braga, foi eleito pela primeira vez para o cargo em 2005, chegando em Abril ao fim do segundo mandato, não podendo ser reconduzido. O bispo do Porto, D. Manuel Clemente, pode vir a ser o próximo presidente da CEP. Assim ele o queira. Há três anos, o próprio recusou ser vice-presidente, depois de inicialme…

PÚBLICO: Crónica de Bento Domingues

Imagem
(Clicar na imagem para ampliar)

A Caminho do Natal

Imagem
O nosso Menino Jesus
O Pai Natal não teve lugar à nossa mesa
Encontro
Numa antecipação marcada pela vivência natalícia de décadas, felizmente sempre no seio da família, é saboroso perspectivar o NATAL de 2010 com muito de bom que há-de ficar na história pessoal de cada um. O tempo de crise, a vários níveis, acicatou cada um a descobrir formas e estilos de vida mais solidários. O encontro adivinhado na casa-mãe, com todos os membros da família a partilharem as alegrias próprias da quadra, onde os desejos de uma felicidade abençoada pelo Menino-Deus se pressente nos olhares de todos, é sinal de que tudo se conjuga para se reforçar o laço da ternura que almejamos. Por momentos, deixámos à porta da noite santa as políticas e as dificuldades próprias, para acolhermos com carinho o que de bom vivemos, quantas vezes experimentando novas emoções, na alegria vivida pelos mais novos ao atingirem metas marcantes no ano prestes a fechar o portão da entrada. Entraram ainda, no alvoroço da hora que se …

Faleceu o António Morais

Imagem
António Morais

Faleceu, esta noite, no Lar Nossa Senhora da Nazaré, o António Morais. Tinha 67 anos e estava profundamente ligado à comunidade paroquial, de que foi um empenhado colaborador. Estava muito doente, mas nunca perdeu a sua ligação a Deus e a Nossa Senhora, de quem era muito devoto. O António Morais veio para a Gafanha da Nazaré com os pais e irmãos, em 1953, para explorarem uma padaria na Cale da Vila, que ficou a ser conhecida, até hoje, por Padaria do Morais. Casou e teve um filho, Marco António, que trabalha no aeroporto da Madeira. Na década de 70 do século passado, o António Morais emigrou para o Brasil, de onde regressou, mais tarde, para retomar a actividade na padaria dos pais, que entretanto foi vendida. Nessa altura, dedicou-se à mediação imobiliária, durante algum tempo. Depois, deixou oficialmente essa ocupação, entregando-se a tempo inteiro à Igreja Católica, onde protagonizou uma intervenção muito intensa. Também ajudava quem o procurava na compra e venda de pré…

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS – 216

Imagem
NATAL- 2010



FIGURAS DO MEU PRESÉPIO


Eis o que diz o Senhor:
«Sairá um ramo do tronco de Jessé e um rebento brotará das suas raízes. Sobre ele repousará o Espírito do Senhor: espírito de sabedoria e de inteligência, espírito de conselho e de fortaleza, espírito de conhecimento e de temor de Deus.»
Do Livro de Isaías


Caríssima/o:
Armar o Presépio com os netos é tarefa sempre nova e interpelante; cada ano traz novos motivos de interesse na escolha das figuras que vamos colocar. Este ano, indo pelo quintal além, encontramos logo, mal pomos o pé de fora, no carreiro, o senhor José Araújo, amigo de longa data e que já ultrapassou a fasquia do centenário. Lá se ocupava no quintal do filho a preparar o terreno, a fazer as plantações; ele sachava, regava, afagava e conversava com as suas plantas. Claro que isto nada seria de extraordinário não se desse o caso de o senhor José ser cego e surdo! Parece que ainda o estou a ver com minha Mulher a colher umas uvas para a mesa:
O saco está cheio, mas vamos…

Presbíteros e Diáconos Permanentes ao serviço do Povo de Deus

Imagem
Presbíteros e diáconos,
dificuldades reais sempre superáveis


António Marcelino


O último Simpósio nacional sobre o diaconado permanente, realizado em Fátima no início do mês, trouxe, mais uma vez, ao de cima, algumas dificuldades, reais mas superáveis, entre presbíteros e diáconos, tanto a nível da relação pessoal como pastoral. Não se podem universalizar as dificuldades, mas também não se devem menosprezar, pelo clima que se pode ir criando que não é bom nem para os diáconos já em exercício, quer para os novos candidatos.

Ares do Inverno

Imagem
Vagueira
Dizem os cientistas que o Inverno começou hoje, oficialmente. Veio com algum tempo de antecedência para nos habituarmos a ele. Não é preciso muito para termos consciência de que se trata de uma estação do ano fria e agreste. Para muitos, no entanto, o Inverno tem os seus encantos: convida-nos a ficar mais por casa, sugere-nos a leitura no aconchego da lareira acesa, proporciona o encontro da família, obriga-nos, delicadamente, a olhar para outras tarefas. Depois, quando ele se for, até saboreamos, com outro gosto, a Primavera regeneradora.

A Caminho do Natal

Imagem
Crónica de um Professor: Natal na Escola
Maria Donzília Almeida
Eram os últimos dias do 1º período escolar. No amplo espaço da entrada, apresentava-se uma colecção de árvores ecológicas que davam o toque da época. Era uma demonstração pedagógica, já que os alunos as haviam construído com materiais reciclados. Simbolizavam a árvore de Natal, que ganhou preponderância nos tempos modernos, destronando assim o presépio, quase esquecido. Antigamente, por estas bandas, fazia-se o presépio com musgo, a simular os caminhos sinuosos e as figurinhas de barro que lhe davam beleza e encantamento. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades e é ver hoje a árvore de Natal a conquistar a supremacia. Também as luzinhas multicores que abundam por aí, a ornamentar as fachadas das moradias, exibem o colorido multicor, a rivalizar com a alvura imaculada da neve, que cobre as terras altas. No litoral é a geada que envolve com o seu manto branco, as terras cultivadas ou em pousio.

"Santo André" em obras de beneficiação

Imagem
Navio-Museu Santo André
Até 31 de Dezembro de 2010 o Navio-Museu Santo André encontra-se encerrado ao público entre terça e sexta-feira, por motivos de obras de beneficiação e requalificação. Contudo, mantém-se aberto ao fim-de-semana, entre as 14h00 e as 17h00.

Saúde: Estamos sempre a aprender

"Boas agressões"
«Os radicais livres têm sido responsabilizados em várias doenças, nomeadamente nas doenças cardiovasculares e no envelhecimento. Usar e aconselhar antioxidantes constitui uma moda, e quando se verificou que o vinho tinha essas substâncias, clamou-se alto e em bom som que o papel protetor do vinho era devido a elas. Logo, beber uns copitos passou a adquirir o estatuto de medicamento ou de vacina! Mas só o vinho? Não! Chocolate, chás, brócolos, cenouras, morangos, tomates, vegetais verdes, amêndoas, castanhas, frutas cítricas e silvestres, só para citar alguns, têm componentes dotados desta atividade. Tudo bem. Resta saber, caso do vinho tinto, se as quantidades ingeridas, bebendo moderadamente, serão suficientes para ter algum efeito.»
Leia mais aqui

Compatriotas com fome em pleno século XXI

Aí temos a campanha eleitoral para as Presidenciais, com os aplausos de uns e as críticas de outros. Mas também com a indiferença de muitos. É o meu caso, quando me posso afastar. Em período natalício, ao ouvir o que dizem os candidatos, apetece-me fugir de tanta banalidade e de tantos gestos menos positivos dos que aspiram a ocupar o lugar de Mais Alto Magistrado da Nação. Estamos mal… Vivemos um momento difícil da nossa democracia, com o descrédito a envolver políticos e partidos. Tanto mais perigoso para o regime quanto estamos a sofrer as consequências de más governações, agravadas pelo descalabro do sistema financeiro a nível mundial. Depois, é-se preso por ter cão e preso por não o ter. Os políticos do topo do nosso país, quais meninos rabugentos ou mimados, fazem guerra por tudo e por nada, apenas por interesses partidários e pessoais, como foi o caso do nosso primeiro-ministro se insurgir contra o Presidente da República, simplesmente por este sentir e dizer que nós, os portugu…

A Caminho do Natal

Mensagem de Natal do Bispo de Aveiro, D. António Francisco

PÚBLICO: Crónica de Bento Domingues

Imagem
(Clicar para ampliar)

Santa Casa da Misericórdia de Ílhavo com novos Corpos Gerentes

Imagem
Provedor João Bela

João Manuel Pereira da Bela é o novo Provedor

Realizou-se no passado dia 17 a Assembleia Geral Ordinária da Santa Casa da Misericórdia de Ílhavo, para eleição dos Corpos Gerentes para o triénio 2011/2013. Presente ao acto eleitoral uma lista, que recebeu 69 votos a favor, tendo havido 2 votos brancos e 3 nulos. A tomada de posse será a 14 de Janeiro, após os nomes eleitos serem ratificados pelo Bispo de Aveiro. Segundo o novo Provedor, João Bela, antigo Engenheiro da fábrica da Vista Alegre, o Plano de Actividades para o ano de 2011, aprovado em 4 de Novembro, é para se manter, destacando-se a cooperação e parceria com a Segurança Social, Administração Regional de Saúde e Autarquia, além de se desenvolver  todo o esforço na procura de recursos humanos e financeiros, considerados suficientes para minimizar as dificuldades e carências dos mais desprotegidos. Manter-se-á o apoio às famílias mais desfavorecidas, enquanto serão prosseguidas acções necessárias para se consegu…

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS - 215

Imagem
PELO QUINTAL ALÉM – 52


O AZEVINHO A Padre Manuel Ribau Lopes Lé, Dr. Quirino e Esposa Prof. Irene
Caríssima/o:

a. Imagem que é como que uma provocação! Ter azevinho no quintal sem as bagas vermelhas era consumição e motivo de certa «tristeza»: Por que é que não dá bagas? Recordação de viagem à Escócia, esperou e cresceu e este ano aí estão os vermelhos coloridos. Foi um encantamento! E como decorou a casa!... (Cortaram-se alguns, poucos, ramos que estavam atravessados e a prejudicar o equilíbrio da planta.) e. Também não me recordo de azevinhos pelas nossas paragens e ramos com bagas só em figuras de cartões de boas festas.
i. Usada como planta decorativa em jardins e sebes, suporta bem as podas frequentes, sendo também muito resistente à poluição urbana. A sua madeira é branca, homogénea, pesada e de boa qualidade, o que a torna muito cobiçada para a marcenaria. Pode, inclusive, substituir o ébano se for tingida de negro, sendo utilizada na confecção de peças de instrumentos musicais, entre out…

O Homem tem de aprender a viver com o Ter, o Prazer e o Poder

Imagem
Religião, felicidade e infelicidade
Anselmo Borges
Realizou-se nos dias 9 e 10 de Outubro passado, no Seminário da Boa Nova, Valadares, um Colóquio internacional, subordinado ao tema "Religião e (In)felicidade", com 220 participantes, e conferencistas vindos das Neurociências, da Sociologia, da Filosofia, da Teologia. Aquele "in" de (In)felicidade indicava, à partida, o reconhecimento de que as religiões foram e são simultaneamente causa de felicidade e infelicidade. Pela sua própria definição, a religião está referida à salvação: felicidade, sentido último, o sentido de todos os sentidos... Grandes filósofos, como Kant, Hegel, Bloch, Habermas, reconheceram que foi pelo cristianismo que soubemos da dignidade da pessoa humana. Em tempos terríveis de miséria material e humana, foi a religião que ajudou homens e mulheres a erguerem-se um pouco acima da animalidade e do quotidiano embrutecedor.

Imagem do verão para um dia de frio

Imagem
S. Pedro do Moel
Aqui, na minha tebaida, aconchegado pelo calor da fogueira, com o vento frio a sibilar lá fora, dei de caras com esta foto de uma esplanada, em S. Pedro do Moel, onde contemplei o mar a bater nas pedras, na ânsia de me chegar aos pés. O frio, decerto também necessário, em algumas circunstâncias, faz-nos recuar uns meses para nos imaginarmos de camisa temperada pelo calor do sol e pela brisa do mar. No próximo verão, vou-me vingar deste gelo de hoje, apanhando todo o sol possível. E não terei saudades das temperaturas destes dias que tanto me incomodam.

A Caminho do Natal

Imagem
Árvore de Natal na Praça de S. Pedro

Árvore de Natal enriquece simbolismo do presépio
«Bento XVI afirmou esta Sexta-feira que “a árvore de Natal enriquece o valor simbólico do presépio”, num dia em que a Praça de São Pedro ficou decorada com um abeto de mais de 30 de metros de altura, iluminado por 1500 luzes brancas e amarelas. Recebendo as autoridades civis e religiosas da região italiana alpina do Tirol do Sul, que ofereceu a árvore ao Vaticano, o Papa disse que esta “é uma mensagem de fraternidade e de amizade, um convite à unidade e à paz”. A árvore de Natal e o presépio, acrescentou, deixam “um convite a dar lugar, na nossa vida e na sociedade, a Deus, o qual nos oferece o seu amor omnipotente através da frágil figura de um Menino”. Estes símbolos transmitem uma mensagem “de esperança e de amor”, e ajudam a “criar o clima propício para viver na justa dimensão espiritual e religiosa o mistério do Nascimento do Redentor”. Segundo uma tradição natalícia estabelecida pelo falecido João Pa…

Quem nasce pobre pobre morre?

«Portugueses são dos que mais acreditam que quem nasce pobre pobre permanecerá...»

Será assim? Parece que sim.... Veja aqui

Eduardo Barroso Doutor Honoris Causa pela UA

Imagem
«Foi com um optimista «Yes, we can!» que o médico cirurgião Eduardo Barroso sublinhou a importância de confiar na capacidade das pessoas para enfrentar os desafios e não se deixarem abater por uma visão excessivamente economicista. O cirurgião hepático que participou no primeiro transplante hepático programado e realizado em Portugal falava durante a oração de agradecimento na atribuição do Doutoramento Honoris Causa pela Universidade de Aveiro que marcou a cerimónia do 37º aniversário da instituição.»
Fonte UA

A Caminho do Natal

Imagem
Amanhã, 18, às 22 horas


O Harlem Gospel Choir no Centro Cultural de Ílhavo
O Harlem Gospel Choir é o mais famoso grupo de gospel da América, facto comprovado pelo impressionante currículo que acumulou desde que foi fundado por Allen Bailey em 1986. Convidados a participar nas mais diversas iniciativas de prestigio, a comprovar quando recentemente o Harlem Gospel Choir participou na cerimónia de homenagem a Michael Jackson, ou os elogios de personalidades como Bono, Nelson Mandela, Papa João Paulo II, Oprah Winfrey e Obama. O gospel tem a condição singular de ser ao mesmo tempo uma música de devoção e de celebração e por isso as actuações do Harlem Gospel Choir são sempre exuberantes e profundamente sentidas. Se juntarmos a sua interpretação cheia de alma, vivacidade e paixão, e obtém-se um espectáculo perfeito para toda a família, em verdadeiro espírito natalício.
Fonte: CMI

A Caminho do Natal

Imagem
NATAL À BEIRA-RIO

É o braço do abeto a bater na vidraça?
E o ponteiro pequeno a caminho da meta!
Cala-te, vento velho! É o Natal que passa,
A trazer-me da água a infância ressurrecta.
Da casa onde nasci via-se perto o rio.
Tão novos os meus Pais, tão novos no passado!
E o Menino nascia a bordo de um navio
Que ficava, no cais, à noite iluminado...
Ó noite de Natal, que travo a maresia!
Depois fui não sei quem que se perdeu na terra.
E quanto mais na terra a terra me envolvia
E quanto mais na terra fazia o norte de quem erra.
Vem tu, Poesia, vem, agora conduzir-me
À beira desse cais onde Jesus nascia...
Serei dos que afinal, errando em terra firme,
Precisam de Jesus, de Mar, ou de Poesia?


David Mourão-Ferreira

País onde parece que a perfeição é ir só até ao meio

Imagem
Por António Marcelino

«Génios do inacabado, fascinados pelo imperfeito e pelo irremediável. Sobrevivem os que avançam sem olhar para o lado. São modelo de vida os que não desistem e os que procuram noutros climas melhor maneira de respirar um ar não poluído. O futebol é rei. Com ele e seus corifeus ninguém se mete. O povo, agora descontente, logo semi contente, depressa acalma. Depois, já estamos habituados a ir “cantando e rindo”, “gemendo e chorando”.»

Morreu o Senhor Acontece, Carlos Pinto Coelho

Imagem
Morreu hoje, com 66 anos, Carlos Pinto Coelho, conhecido por Senhor Acontece, em homenagem, decerto, ao seu programa da RTP2, dedicado a assuntos culturais. Na altura, já lá vão uns anos, foi uma pedrada no charco, pela sua oportunidade e acutilância, mas ainda pela sua postura pedagógica. Eu gostava de ver o programa Acontece com a regularidade possível e nele destacava a originalidade de Carlos Pinto Coelho,  na forma de entrevistar os artistas. Era um profissional que nos seduzia para a envolvência cultural, incutindo-nos o apetite pelos livros que anunciava, pelas exposições que visitava, enfim, pelas expressões artísticas que trazia até aos seus telespectadores e, depois, aos radiouvintes.  Recordo que, quando foi despedido ou dispensado pela RTP, se recusou a comentar o que lhe fizeram, sem, contudo, baixar os braços. Iniciou ou desenvolveu, posteriormente, programas radiofónicos, pegando no Acontece para o não deixar morrer.

Padre Pedro José vem integrar a equipa sacerdotal da Gafanha da Nazaré

Imagem
Padre Pedro José

O Bispo de Aveiro, D. António Francisco dos Santos, torna pública a seguinte nomeação, de acordo com o Decreto de Nomeação com data de 14 de Dezembro de 2010.

«Padre Pedro José Lopes Correia, membro da Equipa Sacerdotal da Gafanha da Nazaré, Vigário Paroquial de Nossa Senhora da Nazaré, da Gafanha da Nazaré, e de Nossa Senhora da Encarnação, da Gafanha da Encarnação, no Arciprestado de Ílhavo, e membro da Comissão Diocesana Justiça e Paz.»

NOTA: Daqui felicito o Padre Pedro José, que acaba de ser nomeado para trabalhar na equipa sacerdotal da Gafanha da Nazaré, como vigário paroquial das Gafanhas da Nazaré e Encarnação. Depois do regresso do Brasil, onde viveu uma grande e, decerto, enriquecedora experiência missionária, numa zona carenciada daquele país, o Padre Pedro José volta à sua diocese de origem, para trabalhar entre nós e connosco, integrando, paralelamente, a Comissão Diocesana Justiça e Paz. Aproveito para lhe apresentar os meus cumprimentos, formulando votos d…

A nova geração dos aposentados úteis

Imagem
Idosos com lugar cativo
Há gente que espera a aposentação para fazer companhia todo o dia à televisão, ver todas as telenovelas, dispor de tempo para conversar ao telefone e com os pés quentinhos, com amigos ou amigas. Outros começaram por terem olhado a tempo para os bancos dos jardins e aí marcaram lugar cativo. Nas aldeias, a vida dos aposentados, a menos que tenham regressado da cidade com o estatuto de funcionários públicos reformados, é de continuar a trabalhar, porque nunca fizeram outra coisa na vida e agora é difícil andar por outro caminho. Uma moda nova e de aplaudir é passear o país em camionetas da câmara para ver o que nunca se viu ou matricular-se em universidades seniores para continuar a aprender… Mas há outros, já aposentados ou lá a chegar depressa, que encontram agora tempo para investigar e escrever sobre a sua terra, sobre a história de tempos vividos antes, sobre usos e costumes que o tempo banal inclemente vai apagando. Uma maravilha de criatividade intelectual, …

Filatelia: Um ilhavense entre os melhores do mundo

Imagem
João Senos Matias recebe medalha de prata dourada  com a colecção Faina Maior/Cod Fishing Classe Aberta
Manuel João Senos Matias, natural de Ílhavo e Professor Catedrático na Universidade de Aveiro, conquistou recentemente, na Exposição Mundial de Filatelia, realizada em Lisboa, a medalha de Prata Dourada com a sua colecção “Faina Maior/Cod Fishing  Classe Aberta", estando entre os três melhores classificados, conjuntamente com um coleccionador Neozelandês e um Inglês. Esta colecção conta a história dos portugueses e da sua intervenção na pesca do bacalhau, recorrendo a selos e outras peças filatélicas. Começa com o estudo do bacalhau como espécie, habitat e características, além do seu valor comercial. Depois segue com a participação dos portugueses na pesca até ao séc. XVI, seguindo-se o séc. XIX. Fala-se das primeiras viagens dos europeus à Gronelândia e Terra Nova, dos portugueses na Terra Nova, do abandono da pesca no séc. XVI, das tentativas de recomeço, na primeira metade do …

A Caminho do Natal

Imagem
O PRESÉPIO SOMOS TODOS NÓS


O Presépio somos nós
É dentro de nós que Jesus nasce
Dentro destes gestos que em igual medida
a esperança e a sombra revestem
Dentro das nossas palavras e do seu tráfego sonâmbulo
Dentro do riso e da hesitação
Dentro do dom e da demora
Dentro do redemoinho e da prece
Dentro daquilo que não soubemos ou ainda não tentamos

O Presépio somos nós
É dentro de nós que Jesus nasce
Dentro de cada idade e estação
Dentro de cada encontro e de cada perda
Dentro do que cresce e do que se derruba
Dentro da pedra e do voo
Dentro do que em nós atravessa a água ou atravessa o fogo
Dentro da viagem e do caminho que sem saída parece

O Presépio somos nós
É dentro de nós que Jesus nasce
Dentro da alegria e da nudez do tempo
Dentro do calor da casa e do relento imprevisto
Dentro do declive e da planura
Dentro da lâmpada e do grito
Dentro da sede e da fonte
Dentro do agora e dentro do eterno

José Tolentino Mendonça

Um livro de Armando Tavares da Silva

Imagem
Ilustração do convite
"Camões e a Química — A Química em Camões"
No âmbito das comemorações do 50.º aniversário da CIRES, vai ser lançado, no próximo dia 17, pelas 15 horas, no auditório da Biblioteca Municipal de Estarreja, um livro de Armando Tavares da Silva, professor catedrático aposentado da Universidade de Coimbra, intitulado  "Camões e a Química — A Química em Camões". No mesmo auditório, decorre uma exposição fotográfica retrospectiva dos 50 anos daquela empresa.

III Jantar de Confraternização de ex-acólitos da Gafanha da Nazaré

Imagem
Alegria marcou presença
Homenagem póstuma a Paulo Sérgio Bola
A confraternização anual dos Ex-Acólitos da cidade da Gafanha da Nazaré teve lugar no restaurante «Porto de Aveiro», no dia 11 de Dezembro, em ambiente festivo e contagiante. Apesar dos compromissos profissionais e associativos, a organização conseguiu reunir cerca de vinte elementos, maioritariamente representativos da geração dos anos 80 e 90. Os elementos presentes tiveram oportunidade de prestar uma homenagem póstuma ao amigo Paulo Sérgio Bola, recentemente falecido, como sinal de gratidão pela tenacidade e perseverança, qualidades reconhecidas por todos, particularmente nos campos profissional e desportivo. Sob a inspiração de S. Lourenço, patrono dos acólitos, a iniciativa tem servido para desfiar as recordações das actividades outrora assumidas pelo grupo, bem como para comemorar muitos anos de sadia camaradagem. Com efeito, o grupo pretende manter vivos os laços de entreajuda e de sentido de responsabilidade formativa…

Centro Cultural da Gafanha da Nazaré: Dança entre nós

Imagem
Domingo, 19, às 17 horas
Este espectáculo procura mostrar de que formas a dança se pode exprimir. Entre diferentes idades e com diferentes experiências se chega a um conceito de dança contemporânea. Artistas convidados de vários pontos da cidade e com diferentes estilos visionários vão apresentar ao seu máximo apresentações e performances variadas. Organização: Casa do Povo da Gafanha da Nazaré e apoio da Câmara Municipal de Ílhavo.

Câmara de Ílhavo promove Festa de Natal

Imagem
A Câmara Municipal de Ílhavo vai realizar, pelo décimo terceiro ano consecutivo, uma Festa de Natal para todas as Crianças do Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico e Instituições Particulares de Solidariedade Social com valência de Pré-Escolar do Município de Ílhavo. Para este ano a organização optou por preparar um espectáculo de Circo, o qual inclui magia, palhaços, malabaristas, entre outras surpresas que, seguramente, farão as delícias de toda a pequenada. A Festa de Natal 2010 realiza-se no próximo dia 15 de Dezembro, Quarta-feira, no recinto da Feira dos 13, na Vista Alegre, e contará com a presença de cerca de 2500 Crianças. À semelhança dos anos anteriores, a Câmara Municipal facultará o transporte de todas as Crianças, respectivo Corpo Docente e Auxiliares para o local do espectáculo e, em parceria com as quatro Juntas de Freguesia do Município, oferecerá a cada Criança uma lembrança deste dia de Festa que comemora o Natal. Por motivos de logística serão efectuados três espectá…

Costa-Nova-do-Prado — 200 anos de História e Tradição” em 3.ª edição

Imagem
Maria José Santana, Senos da Fonseca e Helena Malaquias
Maria José Santana e Senos da Fonseca
Ílhavo seria muito diferente sem a Costa Nova
Um ano depois da 1.ª edição do livro “Costa-Nova-do-Prado — 200 de História e Tradição”, de Senos da Fonseca, surge a 3.ª, apresentada no sábado, 11, no Hotel de Ílhavo . No meio ficou a 2.ª edição, naturalmente. A razão é clara: a obra merece e os leitores não lhe viraram as costas. Voltada, ao que julgo, para quem conhece a Praia da Costa Nova do Prado, a obra começa a ser conhecida para além das nossas fronteiras regionais. A receita vai ser canalizada para o CASCI (Centro de Acção Social do Concelho de Ílhavo), como já o fora nas outras edições. Helena Malaquias, da direcção daquela instituição, sublinhou o facto e o gesto do autor, que ofereceu o produto da venda, pela sua postura de ser solidário. Recordou a fundadora do CASCI, na década de 80 do século passado, Maria José Senos da Fonseca, «que toda a população de Ílhavo deve ovacionar de pé…

A Caminho do Natal

Imagem
Para rezar enquanto se constrói o presépio

Primeiro Andamento

Visite-nos, Senhor, a Tua alegria.
Seja ela o dom que sustém esta hora da nossa vida.
Tenha o poder de reedificar, em nós, o caído,
de aclarar a tenda que a noite atribulou,
de unir aquilo que a pressa ou o cansaço interromperam.

Seja ela o sinal da leveza com que nos vês,
a carícia que nos estendes no tempo,
o assobio do Pastor que inaugura as tréguas.

Dá-nos Senhor, neste tempo,
a alegria como alento revitalizador:
inscreva ela em nós o sabor da vida abundante e
multiplicada;
perfume cada um dos nossos gestos;
traga às nossas palavras a luz daquela estrela
que o Teu Nascimento para sempre acendeu.

Que o Teu Nascimento inspire cada um dos nossos
renascimentos
Que a Tua presença, nos ensine o que significa tornar-se
presente
E o dom que fazes de Ti, nos ajude a tecer a vida
como quem entretece uma história de amor.

Segundo Andamento


Enganam-se os que pensam que só nascemos uma vez.
Para quem quiser ver a vid…

Jantar de Natal do Grupo Etnográfico da Gafanha da Nazaré

Imagem
Na hora de partir e repartir  o bolo
Se esquecermos o passado não teremos futuro
Ontem, 11 de Dezembro, num restaurante da nossa praça, o Grupo Etnográfico da Gafanha da Nazaré (GEGN) levou a cabo mais um convívio de Natal, sob o signo da alegria. Cerca de 100 convivas, entre membros do grupo e amigos, partilharam o que é típico desta quadra: o prazer da troca de impressões e a satisfação de se reverem, ao mesmo tempo que debitaram opiniões sobre o folclore e sobre vivências proporcionadas por um ano de trabalho intenso em prol da cultura da nossa região. E a propósito, Vasco Lagarto, um amigo do grupo e presidente da Direcção da Cooperativa Cultural e da Rádio Terra Nova, sentado ao meu lado, como é hábito, escreveu na toalha de papel da mesa comum: «O passado pode ser importante, mas quando o esquecemos não temos futuro.» Pois é verdade. Fiquei a pensar nisto e a medir a urgência, que é grande, de olharmos um pouco para as nossas raízes. Com uma refeição farta e variada, bem regada e c…

PÚBLICO: Crónica de Bento Domingues

Imagem

A Caminho do Natal

Imagem
NATAL

A voz clamava no Deserto.

E outra Voz mais suave,
Lírio a abrir, esvoaçar incerto,
Tímido e alvente, de ave
Que larga o ninho, melodia
Nascente, docemente,
Uma outra Voz se erguia…

A voz clamava no Deserto…

Anunciando
A outra Voz que vinha:
Balbuciar de fonte pequenina,
        Dando
À luz da Terra o seu primeiro beijo…
Inefável anúncio, dealbando
Entre as estrelas moribundas.

Augusto Casimiro
(1889-1967)