Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2009

Educar para os valores?

Imagem
1. Vem a público um grande inquérito de análise comparativa sobre os valores pessoais e sociais dos portugueses nos últimos dez anos. Este género de documentos interessa a todos os que de algum modo se preocupam com o progresso da sociedade tendo em vista um desenvolvimento pautado por valores com valor. Este inquérito intitulado Dez anos de valores em Portugal é apresentado ao público num seminário na UCP (30-06-09) tendo como pano de fundo a temática: A urgência de educar para os valores. Reveste-se de ampla pertinência o estudo em que, mesmo contando com a densidade das subjectividades, vai ao encontro de questões de fundo futuras da comunidade nacional. 2. A destacar duas linhas força de conclusões: uma que confirma o individualismo dos portugueses, outra que há menos preconceitos raciais nesta entrada do terceiro milénio da sociedade global. Muito mais que enquadramentos e suas justificantes, valerá a pena ir além das conclusões do estudo e lançarmos o olhar sobre quem e como s…

Um livro sobre a Gafanha de Maria Donzília Almeida e Oliveiros Louro

Imagem
Domingos Cardoso, Donzília Almeida e Oliveiros Louro, na apresentação da obra “Língua e Costumes da Nossa Gente” é um desafio à memória de muitos leitores No dia 6 de Junho, na Biblioteca Municipal, foi apresentado pela Confraria Camoniana de Ílhavo o livro “Língua e Costumes da Nossa Gente”, da autoria de Maria Donzília de Jesus Almeida e Oliveiros Alexandrino Ferreira Louro. Ambos gafanhões, da Gafanha da Encarnação, e docentes do ensino secundário. Trata-se de uma obra que retrata actividades ligadas à ria, que serviu de “matriz das sucessivas gerações que tão prodigamente acolheu e alimentou”, como se sublinha em “Nota Prévia”, assinada pelos autores. Há ainda “expressões e vocábulos que ouvíamos nas nossas meninices”, mais “breves descrições de alguns usos e costumes”, documentos e curiosidades. Com edição dos autores e Prefácio de Domingos Freire Cardoso, da Confraria Camoniana de Ílhavo, “Língua e Costumes da Nossa Gente” apresenta-se a cores, em bom papel e com arranjo gráf…

Almoço Missionário: Centro de Recursos Mãe do Redentor, na Gafanha da Nazaré

Imagem
(Clicar na imagem para ampliar) Aqui fica o convite para um Almoço Missionário, uma organização da ORBIS - Cooperação e Desenvolvimento. É já no próximo domingo e ainda há alguns bilhetes por vender! Se puder e gostar (porque será moamba, receita tradicional angolana), a sua participação será bem-vinda! As inscrições podem ser feitas em 917494874, 964417249 ou almocomissionario@hotmail.com

Museu do Vinho de Anadia recebe Confraria Gastronómica do Bacalhau de Ílhavo

FESTIVAL DO BACALHAU - Jardim Oudinot, 19 a 23 de Agosto -


A Confraria Gastronómica do Bacalhau visitou recentemente o Museu do Vinho de Anadia, visita integrada no programa de actividades culturais e lúdicas da instituição gastronómica ilhavense. Presentes alguns confrades, os quais foram recebidos por responsáveis do Museu, tendo visitado as salas da vinha, vindima, prova e vinificação, com a mostragem dos espumantes, das caves e adegas existentes na zona da Bairrada. Também foi interessante ver os diversos artefactos que ilustram a evolução técnica da viticultura, que, para alguns dos confrades presentes, não foram novidades, havendo muitos utensílios ainda em uso nas suas propriedades.
O roteiro da Bairrada, a enoteca, a biblioteca e mediateca foram outros espaços visitados pelos confrades, além da colecção de 1400 saca-rolhas oferecidos ao Museu pela família do Comendador Adolfo Roque e das exposições de pintura, fotografia e escultura patentes na altura. O almoço foi servido na…

Michael Jackson maior que “Si”

Imagem
1. As últimas décadas viram nascer e crescer um conjunto de grandes artistas que, à medida que o mundo das comunicações se foi globalizando, os tornou presentes em toda a parte. Assim aconteceu com Michael Jackson (1958-2009), que (na internet) é colocado entre os cantores, compositores, actores, dançarinos, escritores, produtores, poetas, instrumentistas, estilistas, ilusionistas e empresários. O artista cresceu muito, tendo sido a sua estrutura de personalidade, de um jovem que não viveu a juventude e de uma criança forçada ao trabalho musical, desafiada fortemente a compreender o preço da fama planetária. O álbum mais vendido da história da música Pop – Thriller – editado em 1982, sendo na altura uma revolução envolvida de dança e inovação de vídeo-clip é marca de recorde de vendas. 2. Por estes dias, na ocasião de seu falecimento, foram muitas as reportagens e entrevistas que ajudam a compreender muitas realidades da vida dos artistas por dentro, do altíssimo preço da fama e da …

Férias em tempo de crise

Imagem
Dois livros como sugestão de leituras Penso que o conhecimento do nosso passado, que tanto nos enche de orgulho, deve ser intensificado. Só amamos verdadeiramente o que conhecemos bem. O ilhavense Senos da Fonseca escreveu uma obra, “ÍLHAVO - Ensaio Monográfico”, com diversas pesquisas, estudos e informações, sobre terras ilhavenses, que merece ser mais lida. Também dois gafanhões, da Gafanha da Encarnação, Maria Donzília Almeida e Oliveiros Louro, publicaram recentemente “Língua e Costumes da nossa Gente”, que nos convida a recordar cenas da infância do nosso povo mais velho. Afinal, são dois livros que podem ajudar a passar umas boas horas ou dias das nossas férias.

Um poema de Orlando Figueiredo

Imagem
VIAGEM Sabes o caminho não sabes os passos Como uma criança os teus olhos buscam a rota dos pássaros no céu Cabeça erguida sorvendo o vento no deserto Não sabes os passos apenas a rota dos pássaros no céu a estrada aberta pelos veleiros entre azul e neblina Não sabes os passos sabes o caminho do vento O deserto é o orvalho das noites Orlando Jorge Figueiredo 25 de Junho 2009

Dia um tanto ou quanto desagradável para o meu gosto

Imagem
Maria Filomena Mónica mostra um sentido crítico muito apurado O dia está um tanto ou quanto desagradável para o meu gosto. Isto é, não me aconselha a sair de casa. Aliás, é aqui que sinto a intimidade do meu mundo muito especial. Se não dá para sair, dá para ler e ouvir música. O livro que me ocupou um tempinho, e que vai continuar a ser lido, numa perspectiva de viajar com a autora, tem por título “Passaporte – viagens 1994-2008” e foi escrito pela socióloga Maria Filomena Mónica. Para já, fui com ela ao “Islão Ibérico”, revisitei “Lisboa”, fui a “Fátima fora de horas”, participei numa “Viagem ao fim da pátria” e andei com ela pela terra dos seus avós. As outras viagens ficarão para um dia destes. Permitam-me que sublinhe o poder descritivo e a cultura multifacetada de Maria Filomena Mónica, sempre com o sentido crítico muito apurado. Porque não quero ocupar, de forma alguma, o lugar dos críticos, apenas refiro que é um livro que se lê com gosto. O leitor, quer queira quer não, sai n…

FÉRIAS EM TEMPO DE CRISE: Importa descobrir o nosso concelho

Imagem
Costa Nova em tempo de férias FÉRIAS ECONÓMICAS: Não há nada como aproveitar o que a terra oferecePara umas férias económicas em tempo de crise, não há nada melhor do que aproveitar o que a terra oferece, tanto em termos de festas dedicadas aos padroeiros das paróquias, como no âmbito das organizadas pelas autarquias e instituições culturais, recreativas ou desportivas, com larga aceitação junto das populações. O nosso concelho, como é sabido, tem quatro freguesias, as quais abrangem seis paróquias, estando garantido que haverá festejos em todas elas. Depois, a Câmara Municipal não deixará, à semelhança do que tem acontecido nos anos anteriores, de oferecer ao povo diversos espectáculos, uns mais populares e outros de nível artístico mais elevado. Para todos os gostos, diga-se de passagem. Mas Ílhavo tem muito mais para dar. Importa, pois, descobrir o nosso concelho em tempo de férias. Permitam-me que sugira visitas ao Museu Marítimo de Ílhavo e ao Museu da Vista Alegre, que nos dão o…

José Tolentino Mendonça: É utópico pensar radicalmente a sociedade do dom e da colaboração

Imagem
Entrevista publicada na RevistaÚNICA do EXPRESSO:(Foto de Tiago Miranda)"É PRECISO OUVIR O SILÊNCIO DO MUNDO""Num dia de denso calor, no fresco jardim da York House, em Lisboa, o madeirense José Tolentino Mendonça, 43 anos, padre e poeta, mas sobretudo, um pensador livre, parou o tempo para falar de utopia. Um homem que admira os místicos, escreve sobre sensualidade e sabores na Bíblia e gosta de cidades. Em Nova Iorque, observa a multidão "numa coreografia de Pina Bausch". Nos mosteiros, escuta a profundidade do silêncio. Esta entrevista é atravessada por essa luminosidade." Ler toda a entrevista aqui

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS – 137

Imagem
BACALHAU EM DATAS - 27 : Iate NazarethI CONGRESSO NACIONAL SOBRE A PESCA DO BACALHAU Caríssimo/a: 1920 - «A imprensa ilhavense referia que, no início dos anos 20, os navios franceses estavam já equipados com telefonia sem fios, como podiam contar com um navio-hospital.» Oc45, 86 1921 - «O governo nomeou em 1921 uma comissão com o fim de estudar e propor um conjunto de medidas que conduzissem ao desenvolvimento da pesca do bacalhau.» HPB, 69 «O governo decretou a criação da Junta de Fomento da Pesca, na Póvoa do Varzim, dotada de meios para fomentar a construção de novas embarcações. Mas tal medida não trouxe qualquer alteração significativa.» HPB, 71 «A partir de 1921 a frota bacalhoeira volta a compor-se por mais de 35 embarcações.» Oc45, 86 «Em 1921, Aveiro tinha 11 navios da pesca do bacalhau. O ano foi excelente. “A Gafanha está a abarrotar e nos secadouros já não sabem onde o hão-de arrumar”. Nos finais de 1921, os periódicos locais anunciam a venda de um lugre de 500 t, “acabad…

Imagem de Deus e do Homem

"A glória de Deus é o Homem vivo" Independentemente do que se pense sobre a concepção de Deus como mera projecção do Homem, penso que mesmo os crentes não terão dúvidas de que a imagem de Deus será decisiva para a imagem que têm de si mesmos, do Homem e do mundo. Talvez nada possa prejudicar tanto o ser humano como uma imagem malsã de Deus. Por isso, nunca se agradecerá suficientemente àqueles e àquelas, crentes e ateus, que ousaram, até ao sacrifício da própria vida, purificar a imagem de Deus. De facto, é preferível ser ateu a acreditar num deus que humilha o Homem, o escraviza ou diminui aos seus próprios olhos. Uma imagem malsã de Deus envenena a imagem do Homem e vice-versa. Cá está! Durante séculos, foi pregado um deus irado e mesquinho. Era tal a sua ira que precisou da morte do Filho para ser aplacado e reconciliar-se com a Humanidade. E, devido ao pecado cometido por Adão e Eva, mandou todos os males ao mundo, incluindo a morte. Durante quanto tempo se pregou qu…

Férias em tempo de crise

Imagem
Sem de algum modo querer aceitar a crise como coisa boa, não posso deixar de admitir que, com ela ou sem ela, até podemos aproveitar uma situação destas, como a que estamos a viver, para passar umas férias com sentido muito positivo. Sem dinheiro para extravagâncias ou para grandes despesas, podemos muito bem usar o tempo livre para visitar alguns familiares e amigos um tanto ou quanto esquecidos, por força da vida agitada que levamos. Alguns, já de idade avançada ou doentes, talvez se regozijem com a nossa visita, provavelmente há muito esperada. Umas tardes dedicadas a esta meritória forma de preencher os dias de férias serão, por certo, enriquecidas pelo prazer de recordar tempos idos em família ou em encontros de amigos, com episódios e situações que, revividos, nos hão-de dar algumas alegrias do dever cumprido. Depois, poderá surgir a descoberta de que afinal ainda podemos ser úteis a muita gente, desenvolvendo em nós o espírito de solidariedade, tão necessário nos dias que corre…

Bloqueio ético na Internet!

Imagem
1. Ninguém duvida de que a auto-estrada da informação traz novas possibilidades que transportam as correspondentes responsabilidades. O recente bloqueio da China durante duas horas ao Google (uma das fontes de informação planetária mais usadas onde em cada momento pode ser encontrado de tudo), sugere uma ampla reflexão. As agências noticiosas chinesas criticaram fortemente em termos de regime educativo o livre acesso do Google à pronografia, o que foi a fundamentação estatal para o bloqueio. Em entrevista ao jornal britânico The Guardian o fundador do site China Digital Times, Xiao Oiang, sublinha que «é claramente um aviso ao Google bem como a outras companhias estrangeiras», ainda que tal facto represente que o governo quer manter o controlo sobre a Internet. 2. Nesta decorrência, uma medida já está decidida: a partir de 1 de Julho todos os milhões de computadores na China deverão ser vendidos tendo incorporado o chamado Green Dam (barragem verde), um filtro que impede o acesso a …

Ruas da Gafanha da Nazaré: Alameda D. Manuel II

Imagem
Alameda D. Manuel II D. Manuel II D. Manuel II foi o único rei português que passou pela Gafanha da Nazaré Tanto quanto sabemos, D. Manuel II, o último rei de Portugal, foi, provavelmente, o único soberano português a passar pela Gafanha. Mereceria, por isso, ter uma rua com o seu nome. Porém, houve uma razão muito mais forte para que os nossos autarcas dele se lembrassem, já que foi D. Manuel II quem assinou o decreto da criação da freguesia da Gafanha da Nazaré, em 23 de Junho de 1910. Em 5 de Outubro, como é sabido, foi implantada a República, exilando-se o rei em Inglaterra, sem resistência, ao jeito de quem aceita as circunstâncias. Sua própria mãe, a rainha D. Amélia, tê-lo-á acusado de falta de empenho na luta pela causa monárquica. Mas a sua atitude também é vista como a de um homem que soube pôr os interesses da Pátria acima dos interesses pessoais. A Alameda D. Manuel II é fácil de localizar. Seguindo pela Rua João XXIII, a Alameda dá acesso ao novo mercado da Gafanha da Naz…

A ARTE E A ALEGRIA DE EDUCAR

Imagem
A E.M.R.C. confere à oferta curricular um contributo essencial de formação no quadro da educação integral 1. O ano lectivo aproxima-se do termo. Anuncia-se já o desejado e merecido tempo de férias. Um ano lectivo significa e implica muito tempo de trabalho realizado, de preocupações sentidas, de horizontes sonhados, de alegrias vividas, de êxitos alcançados e de dificuldades ultrapassadas. A escola é tudo isto. Mas é sobretudo uma comunidade de pessoas que se sentem responsáveis e se sabem participantes num projecto educativo comum. A escola nasceu para abrir caminhos novos ao futuro e para ajudar a ver mais longe. Em cada escola brilha já o amanhecer do amanhã. O dia de cada escola é sempre um acto de fé num mundo melhor. Esta é, por isso, uma hora de gratidão por tanto trabalho aí realizado e por todo o bem que na escola nasce. António Francisco, Bispo de Aveiro Ler toda a Nota Pastoral aqui

Dia da Igreja Diocesana: Domingo, 28 de Junho, no Santuário de Santa Maria de Vagos

Imagem
Santuário de Santa Maria de Vagos : Todos os diocesanos estão convidados O Dia da Igreja Diocesana celebra-se no Domingo, 28 de Junho, no Santuário de Santa Maria de Vagos. Este dia é sempre uma ocasião de convívio, oração e reflexão das paróquias, padres, leigos, grupos, movimentos e outras estruturas que compõem a Diocese. Todos os cristãos estão convidados para este dia, que conclui com a Eucaristia presidida por D. António Francisco, às 16 horas. No canal de TV Online da Diocese de Aveiro (http://www.diocese-aveiro.pt), será transmitida em directo, pelas 16 horas, a Eucaristia do Dia da Igreja Diocesana, presidida pelo Bispo de Aveiro.

Um Livro de Manuel da Cerveira Pinto: “BOASSAS – Uma aldeia com história”

Imagem
“A neblina da manhã amaciava os longes. As quebradas dos montes vinham juntar-se em baixo, suavemente, segredando o caminho do rio. Os refegos, acastelados, ficavam no horizonte, como panejamentos de cores suaves, onde havia cinzentos fimbrados de moreno baço com laivos de neve, tão branco se tornara o nevoeiro com o contacto da luz do sol. Nos primeiros planos das dobras dos montes ainda de desenhavam copas de árvores em borrão; mas, lá adiante, só ficava o dentado dos cerros mais altos em caprichos de formas. E aldeias espalhadas. Porto Antigo e do outro lado do Avestança, Souto do Rio. Depois Buaças, lá longe, onde os homens trazem tatuado nos braços um sino-saimão.” Alves Redol In Porto Manso (Na introdução ao livro) Para todos os que cuidam da preservação da nossa identidade Tenho andado a ler, há meses já, com o cuidado indispensável, que aumenta o prazer, uma monografia interessante, como quase todas as monografias o são. Trata-se do livro “BOASSAS – Uma aldeia com história”, co…

Biblista Carreira das Neves em entrevista ao Correio do Vouga: O verdadeiro Paulo é um desafio para a Igreja

Imagem
Biblista Carreira das Neves Sem São Paulo não estaríamos aqui a conversar. O Cristianismo seria uma seita, que talvez já tivesse morrido. Não teria universalidade. São Paulo não teve medo. Movia-se bem nos ambientes gregos e romanos. Pensava converter o mundo inteiro em pouco tempo, diz o biblista Joaquim Carreira das Neves em entrevista ao Correio do Vouga, quando o Ano Paulino está a chegar ao fim. No dia 28 de Junho, Bento XVI preside na Basílica de São Paulo Extramuros (Roma) às Vésperas da solenidade litúrgica dos santos Pedro e Paulo, encerrando um ano que teve como finalidade principal realçar a importância do Apóstolo para o acesso do mundo a Cristo Leia toda a Entrevista aqui

Uma influência pequena e residual! É isso que o povo pensa?

Só o facciosismo, a ignorância, a cegueira, o fanatismo podem negar uma realidade, que se mete pelos olhos dentro : "A Igreja, pelos seus membros, tanto é pecadora como irmã universal que luta pelo bem, num mundo onde abundam os acomodados. Reconhece as suas limitações e falhas, mas, também, o seu caminho de conversão, os seus méritos passados e presentes, a sua vocação de serva das pessoas, homens e mulheres, de qualquer raça, religião, língua ou cor. Por isso não se acomoda e se, por vezes, o fez ou ainda o faz, é contra a sua razão de ser e missão permanente. Tudo isto o dizem as páginas da história, nas quais, uma multidão inumerável de procuradores dos pobres, ocupa lugar cimeiro, com destaque para gente da têmpera de Francisco de Assis, Vicente de Paulo, José Cotolengo, João de Deus, Frederico Ozanam, Américo de Aguiar, João XXIII, Teresa de Calcutá… Alguns governos laicos põem entraves à sua acção, mas não podem negar o que é claro e que o povo agradece como o sempre benefic…

Ninguém seja Estrangeiro

Imagem
Siri Hustvedt 1. Em inícios de Junho a escritora norte-americana Siri Hustvedt, esposa do reconhecido escritor da actualidade Paul Auster, lançou o seu quatro romance. De ascendência norueguesa, cedo ela sentiu os EUA como a sua terra e nos tempos de estudante (anos 80) foi para Nova Iorque. Nessa cidade cosmopolita sentiu a presença de gentes de todas as paragens, de todos os sotaques, de todos os credos, pois o credo fundante dessa liberdade social é inclusivo e respeitador. Por estes dias, Siri concedeu uma interessante entrevista à televisão portuguesa (claro, no canal 2 e a horas já bem tardias) acerca do novo romance e do sentir da vida e do mundo. 2. O seu pai foi militar na 2ª guerra e assistiu à mortandade horrenda nessas paragens turbulentas da Europa (tal como ela assistiu ao 11 de Setembro). Foi quando da situação do falecimento de seu pai (2003), Lloyd Hustvedt, que Siri começou a redigir a sua obra «Elegia para um americano», escrito de pendor marcadamente autobiográfic…

ALMIRANTE HENRIQUE TENREIRO: Biografia política por Álvaro Garrido

Imagem
Decorreu hoje, dia 24, na Fundação Mário Soares, em Lisboa, a apresentação do novo livro de Álvaro Garrido, denominado "Henrique Tenreiro - uma Biografia Politica". A obra será apresentada pelo historiador e professor universitário Fernando Rosas. A apresentação, em Ílhavo, será a 4 de Julho, no Museu Marítimo. Henrique Tenreiro nasceu em Dezembro de 1901, filho de um professor e neto de um coronel. Após a instrução primária e o Liceu Pedro Nunes, ingressa na Escola Naval. Em 1936, como Primeiro Tenente, entra no aparelho corporativo, onde trabalha às ordens do ministro Ortins Bettencourt, cuja cunhada, abastada brasileira, será sua mulher. Em 1936, o então ministro Pedro Teotónio Pereira nomeia-o delegado do governo junto do Grémio dos Armadores de Navios da Pesca do Bacalhau. Durante 38 anos é o verdadeiro patrão das pescas, sendo nomeado delegado do governo nos restantes grémios (sardinha, arrasto, baleia e atum) Henrique Tenreiro consegue esvaziar a vida associativa dos…

Crónica de um Professor: Pedalada

Imagem
Prontos para a partida Finalmente, chegou ao seu termo. Mais um ano lectivo. Mais uma etapa na vida dos alunos, mais um passo para a retirada dos professores. Com muita acuidade, os britânicos chamam à reforma, retirement. Mas não é isso que hoje motiva a teacher a escrever estas linhas. Foi, de alguma forma original, o desfecho deste ano de actividades. Enquanto alguns alunos faziam provas de exame, na Escola, outros, em grande número e acompanhados por familiares e amigos faziam uma grande pedalada, em conjunto, em prol do ambiente. Aqui foi a consumação de todas as aprendizagens, numa formação que se pretende global para o indivíduo. Consumição também houve alguma, quando alguma ovelha tresmalhada se afastava do trilho e exigia a voz dura do pastor a chamá-la outra vez ao redil. Em fila e aos magotes, passou aquela mole de gente a pedalar pelas artérias pouco movimentadas deste canteiro à beira ria. Com efeito, nestes dias, as Gafanhas tiveram mais encanto, pois o dia estava estup…

Gafanha da Nazaré: decreto real da sua fundação

Imagem
D. Manuel II Não sei se sabem que neste dia, em Junho de 1910, pouco tempo antes da implantação da República em Portugal, o último rei, D. Manuel II, assinou o decreto da criação da nossa freguesia, como pode ver aqui. Recordo, por isso, uma data que tem sido menosprezada e até esquecida. D. Manuel II, que passou pela Gafanha da Nazaré, aquando de uma visita que fez a Aveiro, deixou o trono, em 5 de Outubro de 1910, quase sem contestação. Um dia destes falarei um pouco mais deste rei, a quem chamaram Patriota, pelo amor que sempre dedicou a Portugal e aos portugueses.

“Mini-Repórteres do Porto de Aveiro”.

Imagem
Mini-repórteres em acção A APA vai levar a efeito, no próximo dia 27 de Junho, a segunda etapa da iniciativa “Mini-Repórteres do Porto de Aveiro”. Esta acção compreenderá uma explicação sumária da actividade dos pilotos do Porto de Aveiro às crianças; passeio, para toma de fotos, na Lancha “Duas Águas”, com partida na Caldeira, passagem pela zona da entrada da barra e pela Ponte n.º 1, junto ao nó da Friopesca. Envolverá a participação de 20 crianças, com idades compreendidas entre os 8 e os 16 anos. Depois do sucesso da primeira sessão, realizada em Maio, com a equipa dos mini-repórteres fotografando as obras da ligação ferroviária ao Porto de Aveiro e os trabalhos da NAVALRIA, desta feita o percurso para toma de fotos será feito pela Ria de Aveiro. Uma tarde que promete ser inolvidável, pretexto para um convívio salutar, para mais umas centenas de fotos, não esquecendo a vertente pedagógica, através do detalhe de alguns pormenores da delicada tarefa dos pilotos do Porto de Aveiro. …

Igreja e crise

Imagem
Os portugueses sofrem na pele as consequências da crise que se abateu sobre a sua economia, mas já começam a ficar imunes ao autêntico bombardeamento noticioso que todos os dias explora o tema, das mais diversas maneiras. Neste conjunto de notícias, histórias, dramas e casos de polícia entram, também, as receitas mais ou menos milagrosas que muitos daqueles que não deram pela crise a rebentar querem agora apresentar para se sair da mesma. A Igreja Católica, ao reflectir sobre estes temas, deve evitar aparecer como mais uma "receitadora" perante a crise, até porque o seu notável trabalho junto daqueles que mais sofrem a torna uma voz muito mais autorizada do que aqueles que têm da pobreza apenas a imagem que lhes chega pela televisão ou nas fotos dos jornais. Octávio Carmo Ler todo o texto aqui

Comercial, puro e duro?

Imagem
1. Há dias o programa de entrevista Diga Lá Excelência convidou o director geral da TVI, José Eduardo Moniz. Para além das novelas geradas pelo jornal de sexta-feira e das “perseguições” à classe política ou da ex-futura candidatura sua à presidência do Benfica, falou-se da realidade da televisão em Portugal, ou não fosse Moniz um dos senhores mais poderosos da TV. Talvez a melhor síntese que se possa apresentar seja a de que, no limite, não valerá a pena termos grande ilusões ou grandes esperanças quanto ao papel das comunicações sociais, especialmente a televisão (?), nomeadamente no que se refere à sua esperada função pedagógica. É certos que as fronteiras da comunicação não tão fáceis de discernir… Mas a televisão que tem como critério o dar o que as gentes gostam fica bem aquém da sua função e missão. 2. Percebe-se o gosto da polémica geradora de audiência e o desejo, então, do contraditório clarificador. Tudo está previsto e tudo é estudado nos (melhores?!) referenciais do market…

Depois de umas horas de folga...

Imagem
(Clicar na foto para ampliar) Depois de umas horas de folga, que nem só de trabalho vive o homem, aqui estou de novo para o contacto quase permanente com os meus habituais leitores e amigos. E se vierem outros, que sejam bem-vindos. FM

Figueira da Foz: Forte de Santa Catarina

Imagem
Forte de Santa Catarina Para uma visita obrigatória Quem chega à Figueira da Foz não pode deixar de visitar o Forte de Santa Catarina, ali na embocadura do Mondego, com mar e areal por perto. É, sem dúvida, uma marca histórica de singular significado. Trata-se de uma construção dos finais do séc. XVI, embora tenha sido concluída posteriormente. Serviu para defender da entrada do Mondego e durante a Guerra Peninsular, na luta contra as tropas napoleónicas, foi palco de fortes confrontos, a que me referi há tempos. Ao passar por este forte, não deixe de ler as lápides com anotações históricas interessantes e importantes.

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS – 136

Imagem
BACALHAU EM DATAS - 26CONSTRUÇÃO NAVAL EM PARDILHÓ Caríssimo/a: 1916 - «Em 1916 foi despendida uma verba de 4.789.129$00 na importação de bacalhau e 7 anos depois [1923] este valor subia para 123.775.924$00. Quer dizer, neste período a saída de divisas aumentou quase 30 vezes.» [HPB,69] 1917 - «Os navios bacalhoeiros da Figueira da Foz não irão este ano [de 1917] à pesca nos bancos da Terra Nova, em virtude de o pessoal exigir remunerações exorbitantes”. [...] Também a subida dos preços dos seguros chegou a pôr em risco a companha de 1917. Acresce ainda que a navegação se fazia com receios dos submarinos alemães, o que obrigou diversas empresas a fazer seguro das cargas.»[Oc45, 85/86] «Apesar das contrariedades, iam surgindo novas empresas. Em 1917, nasce uma sociedade por quotas, com um capital de 32 contos, em que a maior quota pertence a D. Lucília Ferreira Duarte Pinto Basto.» [Oc45, 86] 1918 - «Após o final da Guerra, assistiu-se a um incremento da pesca do bacalhau e da constr…

Um pouco de História: Aqueduto das Águas Livres

A alergia dos cristãos à política

Imagem
É interessante constatar que nos anos 60 e 70 os movimentos cristãos juvenis e universitários acalentavam um grande entusiasmo pelo compromisso social e político, discutiam-se acaloradamente as formas de participação política dos cristãos, qual o seu lugar e missão na edificação de um mundo novo ou de um mundo melhor. É verdade que houve ambiguidades e derivas, tornando-se a política não uma dimensão, mas o centro e, em alguns casos extremos, a totalidade, relegando para um plano secundaríssimo a função eminentemente espiritual da proposta cristã. Mas a verdade é que hoje se corre o perigo oposto: o de buscar apenas uma espiritualidade, desenhada à maneira de um bem-estar íntimo, ou intimista, em que a Fé se torna um assunto privado, uma gestão exclusiva do eu, onde as necessárias implicações históricas e colectivas não entram. Será possível conjugar um grande amor por Deus com um grande desinteresse pelos homens? A rarefação do entusiasmo e da presença dos cristãos nas várias dimensõ…

O Estado deve pagar a velhice de famílias ricas?

Imagem
O Estado deve pagar a velhice de famílias ricas? O Estado é de confiança ou abusa? São questões pertinentes a que José Couto Nogueira responde hoje no jornal i. Vale a pena ler aqui. Ver Coluna Vertical, em Opinião.

Figueira da Foz: sinais de festa

Imagem
Os sinais de festa indiciam folguedos adequados ao São João, santo popular muito querido dos portugueses, a par do também nosso Santo António e de São Pedro, o primeiro Papa do cristianismo. Não sou muito dado a festas de bailaricos, mas aprecio a alegria espontânea do povo... Bom São João para todos os figueirenses e veraneantes desta terra de muito mar, de muito sol e... de algum vento.

Coro da Catedral de Aveiro vai formalizar a sua constituição

Hoje, em Assembleia Constituinte, pelas 15 horas, vão ser analisados e aprovados os estatutos do Coro da Catedral de Aveiro. A Assembleia vai ter lugar no salão do Centro Paroquial da Glória-Sé. São convidados os responsáveis pela Música Sacra das paróquias da Diocese de Aveiro.

QUE NOS ESPERA?

Imagem
João Bénard da Costa Mesmo os mais distraídos colocar-se-ão, nas situações-limite, as velhas perguntas: donde vimos?, para onde vamos?, quem somos? Porque a realidade nos aparece por vezes exultante e, outras, horrorosa, e morreremos, perguntamos: o que é verdadeiramente?, qual o sentido da existência?, que andamos cá a fazer?, que nos espera? . Cada um de nós vivencia-se a si mesmo como presença de si a si mesmo: sou eu e não outro. Coincidimos, portanto, connosco mesmos. Mas, por outro lado, experienciamo-nos como não plena e totalmente idênticos. Somos nós mesmos e chamados a sermos nós mesmos, pois estamos ainda a caminho de nos tornarmos nós mesmos. Precisamente deste paradoxo de sermos e ainda não sermos adequada e plenamente surge a nossa inquietação radical e a pergunta que nos constitui: afinal, o que somos?, quem somos? Eu sou eu, mas ainda não sou o que serei. Cá está, portanto, a pergunta ineliminável: então, o que sou e quem sou? E que devo fazer para ser finalmente eu? É ass…

Figueira da Foz: Um Bar no Sítio Certo

Imagem
O novo Bar UM OÁSIS PARA RECUPERAR Hoje foi dia de passear descontraído pela Figueira da Foz, à procura de paisagens conhecidas há muito. Deixei que os pés e a mente andassem ao sabor da maré, durante umas duas horas. Como é inevitável, nestas circunstâncias, fui atraído para o rio Mondego que aqui desagua e para o mar, com praias de tanta fama, de areais a perder de vista. Há sempre um momento que me encanta e me faz viajar por paragens de sonho. Quando dou de caras com a marina, com seus barcos e barquinhos, aí vou eu de abalada, mar fora, qual navegador sem rumo certo. É que, tenho a certeza, nas minhas veias, baloiçam navios desde a hora em que nasci, com o som do oceano a entrar-me na alma. No fim da jornada, junto à marina, exausto mas feliz, encontrei um novo bar. De traço simples, moderno e convidativo, foi oásis para recuperar da caminhada. Entrei, uma água refrescou-me o corpo e um café, saboroso, animou o meu espírito. Olhei então, mais serenamente, os barcos e barquinhos …

Faleceu Carlos Candal

Imagem
UM POLÍTICO DE CAUSAS Tomei ontem conhecimento da morte de Carlos Candal, um aveirense carismático a vários títulos. Embora saiba que não vou acrescentar nada ao muito que já foi dito sobre ele, penso que é justo sublinhar aqui, neste meu espaço aberto ao mundo, a importância do seu contributo para o reconhecimento da identidade de Aveiro. Dotado duma força anímica pouco comum, sempre defendeu, desde muito novo, causas de justiça, de liberdade, de democracia e de civismo. E fê-lo, é bom recordar, com garra, com determinação e até com graça, já que era possuidor de dotes oratórios capazes de empolgar quem o ouvisse. Carlos Candal foi acometido de doença grave no ambiente onde se sentia à vontade, como peixe na água, em plena campanha eleitoral para o Parlamento Europeu. Seria, pensei então, mais uma batalha que teria de travar. Assim não aconteceu, para tristeza dos muitos amigos que o admiravam. Porém, não se julgue que só os amigos e correligionários o apreciavam. Também os seus adv…

Reconhecer para crescer

A verdade das coisas não é ou branca ou preta, também há o cinzento 1. Sabe-se que o poder do criticismo cego, quando aplicado em todo o seu esplendor, não deixa espaço para o reconhecimento de que os outros também sabem pensar e fazer coisas boas. Também se compreende bem que, se o unanimismo de todos concordar com tudo, sendo uma inverdade, não abre espaço à dialéctica, à procura, à nossa e nova síntese que faz crescer. Mas, nem ao mar, nem à serra! Será tão importante o reconhecimento do bem realizado pelos outros, como o sentirmos e despertarmo-nos mutuamente para uma superação sempre mais aperfeiçoada, pois que tudo pode ser sempre melhor, mais amplo, mais envolvente. Talvez a prova da maturidade completa esteja, sem a anulação de identidade própria, o reconhecer-se (aperfeiçoando-se) dos valores e das virtudes do outro. 2. Há dias realizou-se no parlamento português o debate da avaliação da liderança política. Qual pêndulo do relógio, que ora vai para um lado ora para o outro, a…

Crónica de um Professor: Fim à vista

Imagem
“Prima non datur, ultima non recipitur”! Soa como uma melodia, este binómio que agora se vai concretizando. Na verdade, nos alunos que frequentavam o ensino liceal, no século passado, era uma expressão recorrente e que muito lhes agradava. A primeira aula ficava-se pelas apresentações, de mestres e discípulos, a última pela despedida. E... o Latim tinha força de lei! Caminha a passos largos para o fim mais um ano lectivo e multiplicam-se as tarefas, os esforços, de ambas as partes deste processo, ensino/aprendizagem. Sendo verdade que até ao lavar dos cestos é vindima, como se ouvia aos mestres doutras épocas, também hoje, nas escolas, por todo o país, se esfalfam os professores para dar, aos seus alunos, a possibilidade de alcançar os seus objectivos pedagógicos, isto é, o tão almejado sucesso. Sim, a classe docente, a mesma que é tão maltratada pela opinião pública, é aquela que dá o corpo ao manifesto e a alma ao diabo, para conseguir que os seus alunos ultrapassem as dificuldades.…

Um poema de Domingos Cardoso

Imagem
Estrada Olhando as minhas mãos, assim despidas, Tão vazias de anéis e compromissos, Tão desnudas de feitos e feitiços Penso que as intenções foram perdidas. Descubro em minhas rugas esculpidas As marcas dos propósitos postiços E, nos meus olhos, de brilhos já mortiços, A dor de renovadas despedidas. Tive amor no meu peito e não o quis, Senti m sonho à mão e nada fiz Por julgar que este mundo era ilusão. Tendo de meu tão pouco ou quase nada Vejo, no fim da estreita e erma estrada, Sorrindo, à minha espera, a solidão. Domingos Freire Cardoso

Uma leitura livre em clima democrático

Imagem
OS PARTIDOS PASSAM, O POVO PERMANECE Deixei o país na manhã do dia seguinte às eleições. Já levava comigo os jornais cheios de números e comentários, euforias e pesadelos, justificações e profecias. A meio do dia, em espaço alemão, pude folhear outros jornais da Europa, que comentavam o mesmo tema, no mesmo tom. Lá como cá, uns, sem olharem às contradições em que caíam, outros, justificam os resultados com a crise social geral, outros ainda, com opiniões fixadas no modo de agir dos partidos, que os eleitores acabavam de castigar. As leituras políticas são, por vezes, monocórdicas e superficiais, ditadas pelo imediato que exprime gosto ou desgosto. O exame das causas, porque exige ponderação, tempo e saber, raramente ultrapassa o trivial. Mesmo quando, de modo crítico, se tenta opinar sobre a crescente abstenção, o leque vai apenas da indiferença pelo acto eleitoral à opção mais agradável pela praia ou pelo passeio, do pouco conhecimento do que está em causa, à falta de confiança nos …

A Liberdade na EMRC

Imagem
1. Não é fácil o assunto, também porque os sucessivos sistemas que reflectem visões de educação o foram e vão complicando. A palavra de ordem é sempre a liberdade; educar na e para a liberdade. Educar na liberdade, significará o aceitar que ao projecto social e educativo pertencem um conjunto de valores plurais mas construtivos, e não um habitar na neutralidade do vazio que ao nada conduz. Sejamos objectivos, pensamos: é impossível a neutralidade na educação, tal a força imensa das subjectividades presentes. Pode parecer que a questão pouco importa, mas o esbatimento diluidor da Lei da Liberdade Religiosa numa neutralidade de exclusão do fenómeno sociorreligioso da comunidade social é o reflexo claro do fechamento intencional. 2. Na democracia das liberdades amadurecidas, por isso sempre inclusivas e autenticamente co-responsáveis, tudo deveria ser claro e transparente. Nada de obscuro tornearia e negociação. Atender-se-ia ao princípio de que as pessoas estão mesmo primeiro. Defender-…

Ideias Pela Positiva: É preciso Valorizar os Recursos Naturais

Imagem
“Com esta crise, a tecnologia vai sair a perder e vão ser valorizados os recursos naturais. Portugal tem tudo a ganhar investindo nos recursos que tem, fruto da nossa excelente localização geográfica. O sol, através do qual podemos reduzir a nossa factura energética; o mar, desenvolvendo ideias concretas para tirar partido dele; e a floresta, que com uma boa gestão pode multiplicar por dois ou três a sua capacidade…” Carlos Martins, Presidente da Martifer Citado pelo jornal i

Escrever bem e com graça: Miguel Esteves Cardoso

Imagem
Faz-nos falta quem escreva bem e com graça. Também com sentido de oportunidade. Um exemplo que vale a pena sublinhar está no jornal PÚBLICO e chama-se Miguel Esteves Cardoso. Leio-o regularmente. Aqui fica uma passagem digna de registo: “Falta fazer o elogio do sedentarismo. É o indesporto radical do nosso tempo. Define-nos. Delicia-nos. Sentamo-nos e sentimo-nos bem. Sentemo-nos pois.” Miguel Esteves Cardoso

FIGUEIRA DA FOZ: Praia deserta, por enquanto!

Imagem
PRAIA DA FIGUEIRA Quem passa pela marginal da Figueira da Foz, com mar e areal à vista, não pode deixar de reconhecer que as pessoas fazem falta. O tempo ainda não se convenceu de que tem de se pôr a jeito, oferecendo cor, calor e alegria ao pessoal que gosta de banhos. Mas estou em crer que, mais dia menos dia, ele há-de surgir em força, para prazer de todos nós.