Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2006

2007

Imagem
NOVO ANO, VIDA NOVA :: Logo mais, se Deus quiser, ao toque da meia-noite, saltamos para 2007. É um momento mágico que nos leva a desejar a quantos nos rodeiam um ano cheio de paz, saúde, amor e alegria. Tenho a certeza até de que todos formulamos estes votos de coração lavado, na ânsia, de facto, de vivermos um ano melhor do que o anterior. Olhando para trás, podemos constatar que cada ano tem coisas boas e coisas más. Os homens e mulheres deste mundo parece que nem todos conseguem aprender os caminhos da paz e da harmonia universais, teimando, alguns, em construir socalcos pedregosos que dificultam a marcha de quem sonha com uma sociedade de justiça e de fraternidade. Claro que não importa hoje lamuriar o que de menos bom nos aconteceu, porque o importante é assumir o esforço de lutar, pelos meios legítimos ao nosso alcance, para que toda a gente respire os ares do bem, do bom e do belo, com Deus sempre nos nossos horizontes. Com estes propósitos desejo a todos os meus leitores e amig…

IMAGENS DA GAFANHA DA NAZARÉ

Imagem
PARA VER MAIS LONGE O mar sempre foi um desafio. Tanto para quem o conhece bem como para quem mal o conhece. Mas não há dúvida de que as autoridades continuam atentas a quem gosta de ver mais longe, para descobrir no mar imenso o que os olhos nus não vêem. Na Praia da Barra, na Gafanha da Nazaré, este monóculo permite ver muito mais mar, a troco de uma simples moeda. Ao longe, muito ao longe, há sempre barcos que demandam outros portos e que nem se dão ao trabalho de dar uma voltinha pelas nossas praias, para os vermos melhor. Não nos interessa saber o que transportam, mas as silhuetas harmoniosas, mesmo vistas ao longe, têm sempre um encanto. Experimentem. F. M.

GOTAS DO ARCO-ÍRIS - 46

QUE NOVAS CORES NOS TRAZ S. SILVESTRE? Caríssimo/a: E vamos para a noite última do ano, a noite de S. Silvestre. Traz-nos gratas recordações da nossa juventude e das brincadeiras que organizávamos (a reunião começou a ser na barbearia do Hortêncio e de lá se partia...) e levávamos a efeito durante essa noite. Também nos regozijávamos com as vitória dos nossos atletas nas corridas de S. Silvestre. Quer dizer, S. Silvestre há-de ser... Vamos buscar os livros: “Silvestre I foi Papa de Janeiro de 314 a 31 de dezembro de 335, durante o reinado do imperador romano Constantino I, que instaurou o cristianismo como religião do Estado. A sua autoridade foi eclipsada pela de Constantino, e não assistiu ao sínodo de Arles (314) nem ao Concílio de Niceia (325), convocados pelo imperador. Não obstante foi durante o seu pontificado que a autoridade da Igreja foi estabelecida e se construíram os primeiros monumentos cristãos, como a Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém, e as primitivas basílicas de…

UM ARTIGO DE ANSELMO BORGES, NO DN

Ano Velho, Ano Novo :: Ainda hoje, há zonas do mundo onde, na noite de passagem de ano, o que é velho ou considerado desnecessário e gasto é atirado pela janela, de tal modo que algumas ruas de grandes cidades ficam mesmo intransitáveis. Nesta noite, há festejos estrondosos, euforias e loucuras, e as sociedades permitem excessos no comer, no beber e até de ordem sexual. De algum modo, é como se tudo voltasse ao caos originário para que se refaça o cosmos. Como aconteceu no princípio. "Naquele tempo" - in illo tempore, o tempo das origens, o tempo sem tempo, o tempo mítico fundacional -, os deuses organizaram o caos, que se tornou cosmos e mundo (não é de cosmos que vem cosmética e a mundo não se contrapõe imundo?). A noite de passagem de ano ritualiza, actualizando, o mito das origens. As sociedades precisam de dar lugar à expansão das forças caóticas, para que, em seguida, tudo regresse à ordem. É o mito da renovação e, de algum modo, do eterno retorno: tudo vai e tudo volta. Ma…

PENA DE MORTE

PORTUGAL FOI O PRIMEIRO PAÍS DA EUROPA A ABOLIR A PENA DE MORTE "Está pois a pena de morte abolida nesse nobre Portugal, pequeno povo que tem uma grande história. (...) Felicito a vossa nação. Portugal dá o exemplo à Europa. Desfrutai de antemão essa imensa glória. A Europa imitará Portugal. Morte à morte! Guerra à guerra! Viva a vida! Ódio ao ódio. A liberdade é uma cidade imensa da qual todos somos concidadãos" : Victor Hugo, 1876, a propósito da abolição da pena de morte em Portugal

CRIME POR CRIME

SADDAM FOI ENFORCADO Como estava previsto, Saddam foi enforcado esta madrugada. Em nome da lei. Com leis como esta, em que crimes são pagos com outros crimes, à sombra de opções humanas, temos de reconhecer que a nossa civilização ainda tem muito que andar, para atingir um grau em que os homens e mulheres sejam dignificados. O homem, olhado no sentido lato, ainda está longe de respeitar a vida, em toda a sua plenitude. Não é com a morte, seja de quem for, que o ser humano cresce e honra a dignidade de filho do Criador. Não está em causa o criminoso que Saddam foi. Não está em causa a onda de crimes hediondos que perpetrou, com os genocídios que protagonizou. Não está em causa o terror que alimentou. Nada disso. Ele merecia ser castigado. Ele merecia ser retirado do seio dos homens e mulheres amantes da paz. Mas nunca pela pena de morte. Que as mortes, como as vidas, para um crente, são apenas da vontade de Deus. Eu penso que os castigos são legítimos para quem transgride as leis que re…

IMAGENS DE AVEIRO

Imagem
Aveiro: Canal Central VER A CIDADE :: Apetece-me sugerir hoje aos meus leitores que registem imagens da cidade. Uma simples compacta digital, como a que uso, permite guardar recordações do que vimos e gostámos. E do que gostamos. Aveiro, com os seus espelhos de água, favorece as imagens. Quem há por aí que não fique extasiado com fotos como tantas que ponho no meu blogue? E não é legítimo pensar que as boas fotografias só estão ao alcance dos fotógrafos profissionais... Qualquer pessoa, com um mínimo de sensibilidade, poderá tirar fotografias... para mais tarde recordar.

UM ARTIGO DE PACHECO PEREIRA

Imagem
UM INTELECTUAL ORGÂNICO EUROPEU: JOSEPH RATZINGER (BENTO XVI) :: Olhando para 2006 com os olhos do fim do ano, pequena convenção do tempo, há uma figura intelectual que emerge da Europa, onde hoje elas não abundam: Joseph Ratzinger, o actual Papa Bento XVI. Não é tanto o Papa que me interessa em primeiro lugar, nem são motivos religiosos que me levam a destacar Ratzinger, mas sim o seu papel como intelectual na feitura da Europa como nós a conhecemos e do "Ocidente" como nós já não o conhecemos. Este tipo de aproximação a Ratzinger é provavelmente uma das que mais lhe desagradará, após uma vida a combater uma visão que considerará relativista e positivista e que acaba inevitavelmente por minimizar, na sua análise, o homem de fé que o padre, bispo, cardeal e agora Papa é sem dúvida. Ele próprio resumiu algumas das suas recusas em tomar determinadas posições com a afirmação definitiva: "Se o fizesse, não seria capaz de afirmar o Credo." Neste sítio, onde eu paro, começ…

IMAGENS DE AVEIRO

Imagem
PAINÉIS CERÂMICOS :: A vida vai obrigando toda a gente a correr. Isso mesmo verifico quando vou sem pressas a Aveiro. Que, é verdade, muitas vezes também lá vou a correr. Mas quando vou sem ter que olhar para o relógio, é certo e sabido que sei e gosto de contemplar o belo que há em cada canto. Os panéis cerâmicos, que ornamentam alguns recantos outrora frios, sem expressão, são agora excelentes motivos para um visita à capital do Distrito. Se puder, vá por lá um dia deste e confirme que eu tenho razão. A arte de artistas aveirenses de renome merece a nossa atenção.

JOVENS EM ZAGREB

Imagem
40 000 jovens em Zagreb para o Encontro Europeu animado pela Comunidade de TaizéZagreb, na Croácia UM CRISTIANISMO EM FESTA :: A cidade de Zagreb acolhe o 27º Encontro Europeu de Jovens promovido pela Comunidade de Taizé. De 28 de Dezembro de 2006 a 1 de Janeiro de 2007, a Croácia vai ver os rostos e as cores de um Cristianismo em festa. 40 000 jovens de toda a Europa e representantes de outros continentes são esperados na capital croata. Um dos momentos mais simbólicos acontece na noite de passagem de ano, quando os participantes, nas paróquias, promovem uma vigília de oração pela paz “em comunhão com os povos que sofrem”, seguida de uma “Festa dos povos”. À chegada cada um receberá, na sua língua, uma carta do irmão Alois, Prior de Taizé. Nesse texto, intitulado “Carta de Calcutá” (que se segue a um encontro de Taizé nesta cidade indiana, teve lugar em Outubro de 2006), o sucessor do irmão Roger escreve: “Os imensos problemas das nossas sociedades podem alimentar o derrotismo. Quando e…

MUSEU DE ÍLHAVO

Imagem
IMAGEM DA RIA O Museu Marítimo de Ílhavo, dos mais notáveis no seu género, merece perfeitamente uma visita em dias de férias para alguns, como são os dias correntes. Tenho visto gente que anda por aí, quase sem programa, que bem podia aproveitar umas horinhas para visitar este Museu que retrata, com muita nitidez, o amor que os ílhavos têm ao mar e a tudo o que lhe diz respeito. Ali, podem descobrir facetas curiosas da nossa Ria, enriquecendo, por essa forma tão simples, o espírito.

GAFANHA ANTIGA

Imagem
PORTO DE PESCA LONGÍNQUA :: Aqui fica mais uma foto da GAFANHA ANTIGA. Trata-se de uma Seca de Bacalhau de há décadas. Agora, pelo que sei, o bacalhau é seco em estufas, com temperaturas e humidades controladas, para sair no ponto. No ponto, quer dizer de acordo com os gostos dos portugueses, gostos esses criados há meio milénio. Que estas coisas não podem ser feitas à sorte. Não sei em que ano foi tirada esta fotografia. Estava por aqui, por casa, perdida no meio de papelada. Penso que já a publiquei, mas não tive tempo de o confirmar. De qualquer forma, o registo é sempre importante, ou não fosse a quadra que atravessamos marcada por umas boas postas de bacalhau, com batatas e couves das terras gafanhoas, mais um ovinho cozido e uns dentes de alho, e tudo bem regado com azeite de qualidade. Claro que nunca falta um bom tinto (tinto, sim senhor, que faz bem ao coração, segundo dizem), mais boa broa. Se querem um conselho de amigo, esta será uma excelente proposta para a passagem do an…

GAFANHA ANTIGA

Imagem
RESPOSTA A UM DESAFIO Leitor que gosta de rever o passado desafiou-me a publicar fotos da GAFANHA ANTIGA. Para recomeçar (Já o fiz várias vezes), aqui vai uma foto, com uma informação e um desafio. Foi tirada na década de 40 do século passado. Dou um doce a que souber o nome destas mulheres e em que seca do bacalhau trabalhavam...

NATAL - 22

Imagem
CRISTO, PALAVRA DE DEUS Antes de o mundo ser mundo, aquele que é a Palavra já existia. Ele estava com Deus e ele mesmo era Deus. Desde sempre ele esteve com Deus. Todas as coisas foram feitas por meio dele, e sem ele nada foi criado. Nele estava a vida, e essa vida era a luz dos homens. A luz brilha nas trevas e as trevas não a venceram. Só aquele que é a Palavra era a luz verdadeira, que alumia toda a humanidade, luz que apareceu neste mundo. Ele veio realmente ao mundo, mas o mundo não o reconheceu, apesar de ter sido criado por meio dele. Veio para o seu próprio povo, que não o quis receber. Mas àqueles que o receberam e acreditaram nele deu o privilégio de se tornarem filhos de Deus. Do Evangelho de São João

NATAL - 21

A MELHOR PRENDA DE NATAL O Albano acordou na segunda-feira com o firme propósito de resolver de uma vez por todas o problema das prendas de Natal. Todos os anos sentia o mesmo dilema, sem saber o que oferecer na noite de consoada aos seus familiares. A esposa, essa sim, tinha jeito para tais coisas. Sempre estava mais disponível e não tinha preocupações que a incomodassem. O Albano era diferente. A empresa ocupava-o todos os momentos de todos os dias, ou não o obrigassem a isso a crise económica que domina o país e alguns conflitos com um ou outro trabalhador, que há sempre quem esteja insatisfeito com o ordenado que recebe, como ele tantas vezes dizia. Por isso, escasseava-lhe o tempo para pensar em prendas. Mas o Natal ainda o motivava para se mostrar generoso com quem mais o ajudava nos negócios e com os familiares mais próximos. Restos de uma educação cristã que havia recebido em criança e do ambiente solidário que a época natalícia propicia. As prendas dos mais directos colaborad…

GOTAS DO ARCO-ÍRIS - 45

LENHAAMARELA? VERDEAVERMELHADAAZULADA? Caríssimo/a: “Em 1900 ainda era frequente queimar à noite o cepo de Natal.” Assim escreve o padre João Vieira Resende, na página 257, da “Monografia da Gafanha”. E quando muito se fala em “voltar às origens”, aqui deixo esta imagem de encantamento, como prolongamento da Ceia. Voltaremos a encontrar este “culto do fogo” lá mais para o Verão na inesquecível noite de S. João, quando meninos e moços, saltávamos a fogueira das palhas das favas que se guardavam. Mas fogo aconchegador era o que vomitava as chamas pela porta do forno, mudando as cores do barro das paredes para preparar a fornada do pão ou o assado do carneiro. Menos violento e mais próximo o que acariciava a panela que, nesta Noite, sempre esconderá alguma maravilha (quem sabe, talvez umas enguias...). E nós lá íamos atrás dessas chamas que subiam, desciam, se encolhiam, se retorciam, mudavam de cor, se extinguiam. Pegar no fogo, da bica ou do cavaco, era perigoso!... Onde o encanto do so…

NATAL - 20

Imagem
A Sara Reis da Silva enviou-me este "presente de palavras", com votos de um Natal muito luminoso. Aqui o partilho, com os mesmos votos, com os meus amigos. DIA DE NATAL :: Hoje é dia de Natal Mas o Menino Jesus nem sequer tem uma cama, Dorme na palha onde o pus. Recebi cinco brinquedos Mais um casaco comprido. Pobre Menino Jesus, Faz anos e está despido. Comi bacalhau e bolos, Peru, pinhões e pudim. Só ele não comeu nada Do que me deram a mim. Os reis de longe lhe trazem Tesouros, incenso e mirra. Se me dessem tais presentes, Eu cá fazia uma birra. Às escondidas de todos Vou pegar-lhe pela mão E sentá-lo no meu colo Para ver televisão. ::: (Poema de Luísa Ducla Soares, incluído na colectânea «Conto Estrelas em Ti» - org. por José António Gomes, Campo das Letras, 2000).

NATAL - 19

Imagem
A Virgem Gloriosa e as Sibilas - Livro de Horas da Duquesa de Borgonha. Museu Condé, Chantilly ÚLTIMO NATAL :: Menino Jesus, que nasces Quando eu morro, E trazes a paz Que não levo, O poema que te devo Desde que te aninhei No entendimento, E nunca te paguei A contento Da devoção Mal entoado, Aqui te fica mais uma vez Aos pés, Como um tição Apagado, Sem calor que os aqueça, Com ele me desobrigo e desengano: És divino, e eu sou humano, Não há poesia em mim que te mereça. In "POESIA COMPLETA", de Miguel Torga

DIREITOS HUMANOS

Imagem
Bento XVI defendeu que os crentes "devem opor-se a uma ditadura da razão positivista que exclui Deus da vida pública" Papa diz que mundo muçulmano deve respeitar os direitos humanos O mundo muçulmano deve aceitar os direitos humanos e a liberdade religiosa, tal como a Igreja Católica foi pressionada a fazer no passado, defendeu ontem o Papa Bento XVI, no seu discurso de final de ano perante a cúria, que reúne todas as administrações do Vaticano. "O mundo muçulmano encontra-se hoje perante uma missão particularmente urgente, muito semelhante à que foi imposta aos cristãos a partir da época do Iluminismo", disse Bento XVI. Perante este desafio, os crentes "devem opor-se a uma ditadura da razão positivista que exclui Deus da vida pública", acolhendo "as verdades conquistadas pelo Iluminismo, que são os direitos humanos, nomeadamente a liberdade de fé e o seu exercício". Estes valores, sublinhou, "são os elementos essenciais para uma religião aut…

NATAL - 18

Imagem
Relatos dos Evangelhos na análise do Pe. Carreira das Neves Adoração dos Magos - Mestre do Sardoal. Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa O NASCIMENTO DE JESUS Jesus nasceu a 25 de Dezembro, foi dado à luz numa gruta, havia burros ou vacas a assistir, os magos eram reis e eram três, houve pastores a adorá-lo, fugiu para o Egipto? As respostas são dadas pelo especialista em Sagrada Escritura, Pe. Joaquim Carreira das Neves: : Todos os anos, ao celebrarmos o Natal de Jesus, nos encontramos com figuras e factos que evocam a memória desse Natal de há dois mil anos. Vivemos de memórias e somos uma memória viva. Não há história sem memória nem memória sem história. Ao lermos o Evangelho de S. Mateus, nos dois primeiros capítulos, cheios de encanto e significado, passam por nós os reis magos, a estrela, o encontro dos magos com Herodes, a adoração do Menino, a fuga para o Egipto, o massacre dos inocentes, o regresso do Egipto e a vinda para Nazaré, dois anos e tal depois de se refugiarem no Egi…

NATAL - 17

Imagem
A ÁRVORE DE NATALEste Natal, faz uma árvore dentro do teu coração e pendura nela os nomes de todos os teus amigos e familiares: dos que te são próximos e dos mais afastados, dos antigos e dos recentes, dos que vês todos os dias e dos que raramente encontras, dos que sempre lembras e dos que por vezes esqueces, os das horas difíceis e os dos momentos felizes, os que magoaste sem querer ou sem querer te magoaram, os que conheces profundamente e aqueles de quem conheces as aparências, os que pouco te devem e aqueles a quem deves muito, os jovens e os mais velhos, os teus amigos humildes e os teus amigos importantes, os que te estimam e admiram sem saberes e os que amas sem lhes dares a entender. Pendura os nomes de todos os que passaram pela tua vida. Neste Natal arma uma árvore de raízes profundas, para que estes nomes não sejam nunca arrancados da tua vida. Uma árvore de ramos muito longos, para que novos nomes vindos de todos os lados se juntem aos que já existem. Uma árvore de sombra…

CRÓNICA DE VASCO PULIDO VALENTE, NO PÚBLICO

MILHÕES DE POLÍCIAS Na Inglaterra e na América é politicamente incorrecto, e hoje quase criminoso, festejar o Natal. Porquê? Porque, celebrado com tanta exuberância, o Natal se arrisca a ofender (ou a convencer) os crentes de religiões minoritárias, sobretudo, claro está, os muçulmanos. Mas como não se pode proibir o Natal, coisa que decerto os puristas gostariam de fazer em nome dos direitos do homem, a ortodoxia política tem por enquanto de o camuflar. Isto obriga naturalmente a algumas contorções verbais, a muita hipocrisia e a uma boa dose de intimidação. A "árvore de Natal" passou a "árvore da amizade" e o "jantar de Natal" a "jantar do solstício de Inverno". Os "cartões de Natal" são agora também "cartões da estação" e o "Bom Natal", suponho, "Boa Estação". Nos países católicos, como Portugal, esta espécie de purga ainda não começou. Mas cá chegará, com o atraso e o zelo do costume. Entretanto, mesmo a…

UM ARTIGO DE D. ANTÓNIO MARCELINO

LUTADORES INCANSÁVEIS NUM MUNDO DESENCONTRADO Nutri sempre um especial afecto, misturado com uma admiração agradecida, pelos diversos secretários gerais da ONU. Sempre vi neles gente doada a uma causa difícil, se não quase impossível, como é a da justiça, da paz, do entendimento entre os povos, do clamor incómodo dos mais pobres, débeis e indefesos, da verdade sem manobras. O mundo dos grandes é mais dominado por interesses que por projectos de justiça e de paz. Quando falam de paz, com voz de aparente sinceridade, fabricam armas de guerra e de destruição e maquinam formas novas de exploração dos povos indefesos. Dão ajudas de um desvelado patrocínio àqueles a quem antes destruíram vidas e haveres e aos quais mataram, impunemente, os seus sonhos mais que legítimos de ser gente reconhecida e livre. É no meio deste universo de contradições que um secretário geral se move, sempre em sobressalto, sempre consciente que lhe podem retirar o tapete ao primeiro assomo de crítica ou …

NATAL - 16

Imagem
BOM NATAL EXCELENTE ANO NOVO Paz. Solidariedade. Alegria. Prosperidade. Saúde. Camaradagem. Paz. Tranquilidade. Progresso. Alegria. Desenvolvimento. Saúde. Felicidade. Amor. Paz. Solidariedade. Ternura. Alegria. Progresso. Paz. Prosperidade. Esperança. Saúde. Bom 2006. Camaradagem. Paz. Solidariedade. Alegria. Sucesso. Confiança. Tranquilidade. Saúde. Felicidade. Amor. Paz. Solidariedade. Ternura. Feliz Ano Novo. Desenvolvimento. Saúde. Felicidade. Amor. Paz. Solidariedade. Ternura. Alegria. Progresso. Paz. Prosperidade. Esperança. Saúde. Alegria. Desenvolvimento. Saúde. Felicidade. Amor. Paz. Solidariedade. Ternura. Alegria. Progresso. Paz. Prosperidade. Esperança. Saúde. Bom 2006. Camaradagem. Paz. Solidariedade. Alegria. Sucesso. Confiança. Tranquilidade. Saúde. Felicidade. Amor. Paz. Solidariedade. Alegria. Prosperidade. Saúde. Camaradagem. Paz. Tranquilidade. Progresso. Alegria. Desenvolvimento. Saúde. Felicidade. Amor. Paz. Solidariedade. Ternura. Alegria. Progresso. Paz. Prosper…

AVEIRO ATENTA A QUEM SOFRE

Imagem
CAMPEÕES DA SOLIDARIEDADE O Ministro do Trabalho e da Segurança Social, Vieira da Silva, disse ontem, conforme refere o “PÚBLICO”, que Aveiro foi o distrito nacional que obteve o maior número de candidaturas aprovadas na primeira fase do Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES). Sublinha o Ministério do Trabalho e da Segurança Social, afirma o mesmo diário, que os projectos do distrito representam um investimento em equipamentos sociais num total de 30 milhões de euros, proporcionando mais 1876 lugares para crianças, idosos e pessoas com deficiência. As candidaturas que recolheram aceitação estendem-se a 16 dos 19 concelhos do distrito, e irão merecer, em termos totais, uma comparticipação pública de 13,5 milhões. "Se houvesse um campeonato em termos de candidaturas aprovadas, Aveiro teria tido o primeiro lugar", realçou Vieira da Silva, como adianta o “PÚBLICO”. Quem conhece o dinamismo dos aveirenses não pode estranhar estas informações e até há-de c…

NATAL - 15

Imagem
Santuário de Fátima: Presépio QUANTO MAIS LUZ, MAIS NATAL? Um sentimento de engano (per)segue o Natal em que nos (des)encontramos. No meio de tantas luzes que brilham na noite é imensa a escuridão de corações não amados que não nascem com o nascer da Luz do 25 de Dezembro. Este dia de todos os dias, reveste o brilho inapagável de uma esperança infinita que nos quer visitar sempre, novamente, e que traz consigo o único presente que sacia a fome de sentido de vida e de paz: Deus em Pessoa, Jesus! Que tempo e lugar haverá para este “Presente” de Tudo?! Que contraditório o caminho dos homens, que até são capazes de diminuir o “outro” no natal de cada dia e depois fazer a maior árvore do mundo na quadra festiva; que distâncias entre o ser e o parecer (que conduz ao ter) dos tempos modernos. Natal, outra vez, (trans)formado em luzes e doces, excessos e supérfulos, mas em que se perdeu (ao menos) da memória a razão de tanta doçura! Porque o assinalamos? Vivemos o “resto” do Natal(?). Enquanto …

NATAL - 14

Imagem
Mensagem do Bispo de AveiroRepouso na fuga para o Egipto - Gerard David. Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa O NATAL É HORA DE DEUS E DOM DA VIDA :: São múltiplos os sinais, diversificados os gestos e variadas as expressões e mensagens que afirmam o Natal como acontecimento que dá sentido às nossas vidas e oferece encanto e alegria às nossas terras. Aveiro, cidade e diocese, testemunha esta verdade e manifesta esta alegria. As comunidades e as famílias cristãs, as instituições e as pessoas, guiadas pela estrela de Belém, sentem-se neste tempo de Natal mais disponíveis para acolher Jesus, o Príncipe da Paz, o Filho de Deus. Recebemos do tempo e da história, formas e modos, jeitos e tradições de celebração do Natal. Nesta herança revelam-se o gosto e a arte, o encanto e a verdade com que oferecemos júbilo e beleza às nossas convicções de fé e aos acontecimentos da nossa redenção. Assim se percorrem, também, caminhos de proximidade entre o humano e o divino, entre o efémero e o absoluto,…

GOTAS DO ARCO-ÍRIS - 44

TUDO DA COR DA NEVE... Caríssimo/a: E continua a chover. Seguramente que lá mais para diante, Janeiro fora, o tempo apertará e aparecerão as geadas e a neve 'na serra da Estrela'. Para quem vive nas 'cidades' só há bom tempo com sol esplendoroso e passamos a vida a queixar-nos do 'tempo', nós, os filhos do urbano - se chove, porque chove; se está calor, ... Aliás, salvo erro, já o nosso povo diz que 'o lavrador quer sol na eira e chuva no nabal'. Basculhando apontamentos em outras arcas encontrei referências a tempos vários e outros que nos farão sorrir perante a nossa incredulidade e a nossa dúvida: pode lá ser?! Vamos ver: 1938 - Jan - 11- Neva em Avanca. " Caiu por aqui [Avanca] neve aos bocadinhos. Uma coisa como nunca tinha visto. Choveu neve aos pedacinhos, pareciam bocadinhos de algodão branco em rama. Via-se no céu tudo a mexer-se como que fossem 'boagens'. Ao outro dia estava a serra toda branca de neve. Muita gente bastante velha…

NATAL - 13

Imagem
Virgem e o Menino - Lorenzo Ghiberti. Nacional Gallery of Art. Washington - Kress Collection PELO NATAL :: Recordo com saudade aqueles Natais Que celebravam o nascimento de um petiz Um momento tão marcante e tão feliz Passado numa cabana pobre de animais Eram pobres as prenditas que me dava O menino Jesus, nos Natais da meninice Um doce e algo útil. Mesmo que não pedisse Ele sabia sempre do que eu mais precisava E que podia eu esperar receber mais De um menino muito mais pobre do que eu De um menino que eu sabia que nasceu Tão pobre numa cabana de animais Era um tempo muito belo mas modesto As roupas partilhadas com os manos Os brinquedos, simples, duravam anos A imaginação e o engenho faziam o resto Hoje é diferente e faz-me certa confusão Que o Natal que era outrora de um menino Seja hoje de um velho abastado e fino Que publicita as suas prendas na televisão O Pai-Natal impôs-se no nosso imaginário... Um menino pobre numa cabana de animais Não encaixa bem nos propósitos comerci…

NATAL - 12

Imagem
Sagrada Família - Frei Agostinho Paolo. Museu Nacional de Arte Antiga - Lisboa A CONSTRUÇÃO DO PRESÉPIO :: «A primeira coisa a ir para dentro da gruta foi o musgo. Com muito jeito alcatifámos o chão com mantas fofas e verdes que fomos tirando das cestas. As heras foram crescendo em redor. E, de repente, o interior da gruta transformou-se numa serra verdinha, com arvoredo e cheia de pasto, a precisar de um rebanho de ovelhas e de alguns pastores. (…) Feita com espigas de trigo, saiu da caixa uma manjedoura. Era uma boa ideia. Se chovesse ou nevasse, aquela manjedoura serviria para lá pôr o feno seco para o rebanho comer. Outro pastor chegou. Aquele pastor, que era ainda rapazinho e tinha um chapéu roto na cabeça, foi pôr-se junto dos cordeiros. E fez muito bem. Aquela serra não estava vigiada. Se aparecesse um lobo, os cordeios, coitaditos, nem sequer teriam tempo de chamar pelo cão. Depois apareceu uma vaca (…). Do outro lado veio encostar-se um burrinho. Logo depois apareceu S. José e foi …

UM ARTIGO DE ANTÓNIO REGO

HOMENS E GOLFINHOS Desde muito novo me habituei a ver os golfinhos pelos mares dos Açores. Não faz parte da minha infância a descoberta das suas altas virtualidades. Simpáticos, brincalhões, boas companhias nas longas viagens de barco. Pelo que percebia, os pescadores não lhes achavam muita graça, pois roubavam muitos dos chicharrinhos que deviam cair nas suas redes. E, ainda hoje, saindo um pouco da costa, o lugar certo e a hora precisa de ver os golfinhos coincide com a espuma branca do lugar onde os cardumes acorrem para as suas abundantes refeições. É a lei do mar. Passados a animais de circo ganharam alguma magia e arrastam multidões para os seus rituais de acrobacia e velocidade dentro e fora das águas. Possivelmente ultrapassaram, nalguns casos, a colheita de ternura roubando, não já cardumes que podiam servir para a mesa dos pobres, mas algum lugar de afecto que é recusado a pessoas. Agora, com as ecografias de gestação, deixam extasiados alguns que revelaram indiferença pelo i…

NATAL - 11

Imagem
A Virgem e o Menino, de Hans Memhng, Museu Nacional de Arte Antiga, LisboaNA PAZ DA MINHA TEBAIDA Na paz da minha tebaida, usufruindo do aconchego dos meus familiares e da companhia sedutora dos livros que me trazem recordações de tantos anos, vieram até à minha memória vivências de Natais doutros tempos. Dos tempos em que o essencial não eram apenas as lembranças compradas em lojas de modas, que o Menino Jesus de então nada tinha a ver com o símbolo comercial do anafado Pai Natal dos nossos dias. Lembro-me, era eu menino que acreditava mesmo nas prendas do Menino Deus, de ver minha mãe regressar da loja da Tia Joana Rita, esposa do mestre José Lázaro, com uns embrulhos que tentava esconder. Por mais que lhe pedisse que nos mostrasse o que trazia, ripostava com maus modos, mas a sorrir: o Menino Jesus não gosta nada de meninos teimosos. E lá ia esconder as simples guloseimas que na madrugada da Noite de Consoada estariam bem distribuídas nos sapatos que eu e meu irmão púnhamos num rec…

TURISMO

Imagem
Aveiro: Canal Central AVEIRO: DESTINO TURÍSTICO DE QUALIDADE :: A Ria de Aveiro e a zona costeira limítrofe foram distinguidas como destino costeiro turístico de qualidade, através de um projecto europeu. A região lagunar é a primeira a nível nacional a ser reconhecida com este galardão. Isto mesmo noticia hoje o Diário de Aveiro, com o destaque que merece. Há muito se diz que a Ria de Aveiro e as terras que banha são riqueza paradisíaca insuficientemente aproveitada para fins turísticos. Noutros países, estas belezas naturais seriam certamente motivo para mais largos voos no campo do turismo, gerando novas fontes de rendimento e mais trabalho para muitos. Estou convencido de que, nos tempos que correm, os nossos autarcas e gente empreendedora estão mais abertos a novas formas de criar riqueza, obviamente com vantagens para toda a gente, se devidamente apoiada em projectos credíveis e com visão de futuro. A Marina da Barra, de que tanto se falou há anos, seria, em minha opinião, um proje…

NATAL - 10

Imagem
JESUS NO PRESÉPIO - Um menor em risco Mais uma vez vai ser Natal! Já agora, e antes de mais, Bom Natal a todos os leitores desta “coluna de opinião”. No pressuposto de que esta coluna vá correspondendo a um certo “sobressalto cívico e de cidadania” que o seu autor dela pretende, a simbologia do Natal sugere-me uma reflexão sobre a problemática que tanto (e tão oportunamente) tem andado pelas páginas do SOLIDARIEDADE muito bem tratada, a saber: os “menores em risco”. Esta criança chamada Jesus andou com um azar miserável: filho de mãe solteira, adoptado pelo bom S. José, pessoas pobres que, como tais, levaram com a porta na cara quando, em viagem, viram chegar a hora do nascimento e pediram alojamento em várias pensões! Lá foram parar a um curral de sendo aquecidos pelo calor de animais que os humanos lhes negaram, ali viram nascer o seu Menino. Ainda mal refeitos deste pesadelo, tomam conhecimento de que essa criança estava na mira das autoridades por representar uma ameaça ao poder do…

NOVO BISPO DE AVEIRO

Imagem
Bento XVI e D. António Francisco D. ANTÓNIO FRANCISCO AO LEME DA BARCA DIOCESANA Embora um pouco tarde, por razões de saúde, não posso deixar de registar a entrada de D. António Francisco em Aveiro, no dia 8 de Dezembro, dia da Imaculada Conceição, Padroeira de Portugal desde o reinado de D. João IV. D. António Francisco, que vem de Tendais, Cinfães, Diocese de Lamego, já assumiu o leme da barca diocesana, barca esta que navega entre o oceano e a serra, bordejando a ria e o Vouga, estabelecendo laços entre povos de vida e pensar muito diversos, unidos por histórias, sonhos e projectos que cimentaram uma identidade muito própria. Conforme li no “Correio do Vouga”, órgão da Diocese aveirense, D. António Francisco manifestou o desejo de “testemunhar a esperança cristã para que a Igreja de Aveiro seja âncora e farol para todos”. Imagem bonita nos apresenta o novo Bispo de Aveiro, quando fala de âncora e de farol, símbolos tão expressivos da identidade desta gente que respira ares carregado…